conecte-se conosco

Estilo e Vida

Inferno astral existe? Astróloga nega a ocorrência do fenômeno

Avatar

Publicado

em

A astrologia vem se consolidando como ferramenta de autoconhecimento. Cada vez mais, um número maior de pessoas busca informações sobre seu mapa astral, trânsitos astrológicos do momento e procura se consultar com profissionais da área. Porém, existe ainda um conceito que persiste no senso comum, apesar de não ser endossado por estudiosos do campo: o inferno astral.

O inferno astral refere-se principalmente ao mês anterior ao aniversário de alguém, que seria marcado por acontecimentos negativos. Brigas com pessoas queridas, perdas de oportunidades no trabalho, confusões em casa seriam comuns nesse período. Entretanto, o céu muda constantemente e, por isso, astrólogos afirmam que não é possível determinar um mês específico que seja mais desafiador para uma pessoa.

“A maneira que o céu está no período em que antecede o aniversário muda todo ano, já que existem diferentes trânsitos e progressões astrais que nunca são iguais. O céu não se repete, está sempre se modificando. Por isso, essa história de que o mês anterior ao aniversário será sempre negativo e com problemas não faz sentido”, afirma a astróloga Claudia Lisboa.

Surgimento do “inferno astral”

Apesar de negado pela astrologia, muitas pessoas ainda se referem ao inferno astral como um fato. O período em questão fala sobre o final de um ciclo, logo antes do aniversário, considerado o próprio ano novo de alguém. Por isso, pode ser um momento de maior cansaço, com grande gasto de energia.

“Sabe como dezembro, no final do ano, é geralmente uma época de fechar contas, fazer balanços dos acontecimentos? Esse mês, anterior ao aniversário, tem funcionamento semelhante”, aponta a astróloga.

As casas astrológicas ajudam a entender o surgimento do mito do inferno astral. Desde o momento em que o indivíduo nasce, o Sol passa mensalmente por alguma casa do mapa astral, até completar a volta, quando ocorre a chamada Revolução Solar – ou seja, o aniversário.

Portanto, a Casa 12 refere-se ao mês anterior à comemoração. Esse pode ser um posicionamento associado a temas desafiadores, como espiritualidade e medos ocultos. Por isso, também diz respeito a reflexões e questionamentos internos. “Não existe inferno astral nesse período. Nós é que vamos com pressa e acabamos sem tempo de refletir, o que pode pesar durante o momento”, afirma Claudia Lisboa.

Para compreender melhor o processo, é preciso deixar de lado a noção de inferno astral e buscar informações sobre a própria Revolução Solar.

 

Todo ano ocorre a Revolução Solar (Foto: Reprodução/Canva)

O que é a Revolução Solar?

Quando se completa mais um ano de vida, ocorre o que é chamado na astrologia de Revolução Solar, ou seja, o momento em que o Sol retorna para a mesma posição em que estava quando a pessoa nasceu. Isso pode acontecer em diferentes horários do dia, não necessariamente o minuto exato que consta na certidão de nascimento.

Anualmente o céu apresenta diferentes trânsitos e progressões, que podem indicar desafios e evoluções específicas. A todo momento, planetas e astros alteram suas posições, trazendo novas influências sobre os humanos.

Portanto, uma leitura de mapa focada na Revolução Solar irá abordar tendências e compreender oportunidades que aqueles próximos doze meses podem trazer para a pessoa, baseando-se no posicionamento dos astros no período que está por vir.

“Quando me procuram para fazer uma Revolução Solar, eu proponho algumas tarefas que representam focos importantes do ano, experiências que tendem a marcar aquele cliente nesse intervalo”, afirma Claudia Lisboa. A profissional aponta que é importante também avaliar, no ano seguinte, se a pessoa conseguiu cumprir suas missões, já que não há mais tempo para realizar todas as pendências.

Na leitura, é preciso levar em conta também o mapa astral natal de cada um, uma vez que esses movimentos são sentidos de maneira individual. Esse mapa é uma espécie de retrato do céu no exato momento do nascimento e fala sobre traços de personalidade, aspectos físicos, manias e dificuldades que cada pessoa pode apresentar ao longo da vida. Por isso, não se altera com o passar do tempo.

A Revolução Solar pede calma e reflexão, o que nem sempre é possível durante uma rotina corrida e estressante. “Isso acaba sendo esquisito nesse período. É o que eu chamo de TRP: Tensão Pré-Revolução”, brinca a astróloga. Portanto, é importante se preparar para o mês, a fim de tirar melhor proveito do momento delicado, ideal para transformações.

Dicas para lidar com o momento

As semanas anteriores à Revolução Solar implicam o recomeço de ciclo e não precisam ser necessariamente negativas. Existem práticas específicas que podem tornar o período mais fácil, a fim de auxiliar a chegada do próximo ano.

“Esse momento, que ocorre durante o mês anterior ao aniversário, deveria ser vivido de uma maneira mais recolhida. É uma época de pisar mais leve, ficar mais quieto e refletir sobre o que se viveu, além de pensar no que se quer para essa próxima etapa da vida”, indica a astróloga.

Para isso, vale listar em um papel pontos negativos e positivos. Além de traçar o que pode ser mudado, recomenda-se valorizar o que está indo de acordo com os planos, a fim de iniciar a nova fase com foco e gratidão.

A pessoa ainda pode fazer uma lista específica com suas principais metas e meios de alcançá-las. Para isso, vale contar com a ajuda de um astrólogo para identificar os próximos trânsitos astrológicos e a melhor forma de encaixar cada objetivo ao longo do ano.

“Então, dentro do possível, nesse mês que antecede o aniversário, a pessoa deve baixar o ritmo e poupar energia. Se recolher no fechamento do ciclo, para, no pós-aniversário, correr atrás dos propósitos do ano. Quando falamos desse mês, essa noção é bem mais pertinente do que reduzir o momento a um inferno astral”, conclui Claudia Lisboa.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio começa a vacinar hoje crianças e gestantes contra gripe

Redação

Publicado

em

Por

O estado do Rio de Janeiro inicia hoje (19) a imunização de crianças, gestantes, puérperas e indígenas contra a gripe. A campanha começou na última quarta-feira (14), com a vacinação de profissionais que atuam em unidades de saúde. A previsão da Secretaria Estadual de Saúde é, até julho, imunizar 6,8 milhões de pessoas ou 90% dos grupos prioritários. A campanha é dividida em três etapas.

A segunda etapa, que se estende de 11 de maio a 8 de junho, focará em idosos com 60 anos ou mais e professores. Já a última etapa, de 9 de junho a 9 de julho, será voltada a pessoas com comorbidades e profissionais como caminhoneiros, rodoviários, profissionais de segurança etc.

Quem tomou a vacina contra a covid-19 precisa ficar atento ao intervalo entre as duas vacinas. Os imunizados com a CoronaVac podem tomar a vacina contra a gripe 15 dias depois da segunda dose. Já quem foi imunizado com a Oxford/AstraZeneca pode tomar a vacina contra gripe 15 dias depois da primeira dose.

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Saúde

SP abre vacinação dos profissionais de saúde a partir de 47 anos

Redação

Publicado

em

Por

Começa nesta segunda-feira (19) a vacinação do grupo prioritário formado por trabalhadores dos serviços da área de saúde com 47, 48 e 49 anos na capital paulista. O público-alvo é de cerca de 40 mil pessoas.

Trabalhadores dos serviços de saúde são todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. 

O grupo inclui os profissionais de saúde, com prioridade neste momento a médicos; enfermeiros/técnicos e auxiliares; nutricionistas; fisioterapeutas/ terapeutas ocupacionais; biólogos; biomédicos/técnicos de laboratório que façam coleta de RT-PCR SARS CoV2 e análise de amostra de covid-19; farmacêuticos/técnico de farmácia; odontólogos/ASB (auxiliar de saúde bucal) e TSB (técnico de saúde bucal; fonoaudiólogos; psicólogos; assistentes sociais; profissionais da educação física e médicos veterinários.

Toda a rede de vacinação da cidade – inclusive as 468 unidades básicas de Saúde (UBS) – está disponível aos públicos elegíveis da campanha, o que inclui pessoas de grupos prioritários anteriores que ainda não iniciaram ou completaram o esquema vacinal.

A Secretaria Municipal de Saúde alerta que, mesmo após a vacinação, as pessoas devem manter as regras de distanciamento social, o uso de máscaras e a lavagem constante das mãos. O uso de álcool em gel também segue indispensável.

A secretaria recomenda ainda que as pessoas busquem a vacina de maneira gradual, evitando aglomerações nos postos da capital e preenchendo o pré-cadastro no site Vacina Já, a fim de agilizar o tempo de atendimento para imunização.

Informações também podem ser obtidas acessando o link Vacina Sampa.

Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Receitas

Como fazer Crumble de Maçã? Piraquê ensina truques para obter a crocância perfeita

Avatar

Publicado

em

O Crumble é um prato doce de origem britânica, feito com frutas picadas cobertas com uma massa especial, que é assada até que a cobertura fique crocante, resultando em uma experiência única de sabor. Aproveitando o período da safra da maça, que se estende até o mês de maio no Sul e Sudeste do Brasil, a Piraquê, marca premium de biscoitos, massas e torradas da M. Dias Branco, ensina como fazer um Crumble de Maçã.

O segredo do crumble, a farofinha usada na cobertura do doce, está no Biscoito Maizena Piraquê, que fará toda a diferença. O prato é servido quente, portanto, pode acompanhar uma bola de sorvete de baunilha, criando uma experiência sensorial diferente.

Gostou da dica? Confira abaixo a receita completa e saboreie com quem ama.

 

Crumble de Maçã

 

Ingredientes:
Para a massa:
200 g de Biscoito Maizena Piraquê triturado
150 g de manteiga em temperatura ambiente
1 colher de (chá) de canela em pó

Para o recheio:
1 colher (sopa) de amido de milho
Suco de 1 limão
5 maçãs sem casca, cortadas em cubos médios
½ xícara (chá) de açúcar
1 colher (chá) de canela em pó

Para o crumble:
100 g de Biscoito Maizena Piraquê
50 g de açúcar
100 g de manteiga fria cortada em cubos
50 g de amêndoas cruas picadas grosseiramente


Modo de Preparo
Para a massa:
– Em um recipiente, misture o biscoito, a manteiga e a canela até obter uma massa úmida.
– Forre o fundo e as laterais de uma forma redonda, de fundo removível, de 22,5 cm de diâmetro e refrigere.

Para o recheio:
– Dissolva o amido em 3/4 de xícara (chá) de água e limão.
– Em uma panela, leve os demais ingredientes para cozinhar, junto com o amido diluído por cerca de 10 minutos. Espere esfriar por completo.

Para o crumble:
– Reserve 5 biscoitos e pique grosseiramente. O restante processe até formar uma farinha grossa.
– Misture a farinha de biscoito e o açúcar em uma tigela. Acrescente a manteiga e misture com as mãos até obter uma massa arenosa. Coloque as amêndoas e o restante do biscoito.

Para a montagem:
– Com a base fria, recheie a torta com o recheio já frio e cubra com a farofa.
– Asse a 180 °C por cerca de 25 minutos até que o crumble fique crocante.


Rendimento:
 8 porções
Tempo de preparo: 60 minutos

Continue lendo

TENDÊNCIA