0

A RealNetworks, Inc. (NASDAQ: RNWK), líder em softwares e serviços de mídia digital, anuncia uma parceria inédita com a Aster — empresa de serviços de segurança, facilities e automação — para a oferta de uma solução única e integrada para controle de acesso e gestão de portarias.

Com a parceria, o SAFR® da RealNetworks, plataforma líder global em reconhecimento facial e visão computacional, será integrado no sistema anti-carona da Aster, criando uma infraestrutura automatizada de identificação de pessoas para gestão de portaria remota.

“O que estamos oferecendo conjuntamente para o mercado brasileiro é uma solução inovadora de portaria. O reconhecimento facial é o futuro dos condomínios. Por meio dessas tecnologias digitais inteligentes, é possível proporcionar mais segurança, eficiência e precisão em uma ponta, e conforto, conveniência e praticidade na outra”, observa Fabio Fragoso, CEO da Aster.

Jose Larrucea, SVP da RealNetworks, explica que novas tecnologias de segurança eletrônica estão surgindo para aprimorar e potencializar ao máximo a segurança da sociedade. O SAFR® é uma dessas inovações que elevam o nível de segurança dos condomínios que utilizam a portaria remota.

“Um dos princípios da RealNetworks é criar impacto positivo para a sociedade através do uso da tecnologia colocando-a em mãos de parceiros que tenham esse mesmo credo. E é assim que entendemos a nossa parceria com a Aster: criamos uma solução única capaz de atender a demanda por segurança dos condomínios, trazendo a inteligência artificial como ferramenta para maior conveniência, segurança e higiene no dia a dia das pessoas”, afirma Larrucea.

Sistema touchless e anti-carona: tendência

O uso de tecnologias de segurança eletrônica para condomínios veio para ficar. É uma solução que vem sendo adotada por residências, empresas e demais instituições públicas e privadas que dependem de um controle de portaria eficiente e que possa ser realizado com economia, segurança e sem perda de qualidade.

Na prática, os moradores abrem os portões com seus rostos pré-cadastrados no sistema, ou seja, o comando de abertura, que antes era feito com impressão digital, tag, chaves ou senha, é realizado com o reconhecimento facial.

Além do controle de acesso, o reconhecimento facial também permite configurar sistemas que detectam a presença de invasores. Assim, a solução anti-carona envia um alerta de invasão de eclusa, utilizando a tecnologia de reconhecimento facial para identificar rostos e corpos não cadastrados no sistema.

Essa solução, conta ainda com uma funcionalidade de contagem de corpos, caso o invasor esconda o rosto da câmera dentro da eclusa. Se o sistema anti-carona detecta a presença de um rosto estranho, ou seja, não cadastrado, o segundo portão que dá acesso ao condomínio não abre e um alerta é emitido para a central de monitoramento que segue os procedimentos padrões de segurança.

centralrbn

5 dicas para turbinar o atendimento das empresas para ampliar vendas

Artigo anterior

Explante de silicone: a tendência é abraçar a beleza natural

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Tecnologia