Conecte-se conosco

Notícias

Novo polo aeronáutico da região metropolitana apresenta andamento das obras

Empreendimento que está sendo erguido na cidade goiana de Aparecida de Goiânia contará com know how de mais de quatro décadas de Francisco Lyra, atual CEO da C FLY Aviation e do Aeroporto Internacional de Guarulhos

Publicado

em

Novo polo aeronáutico da região metropolitana apresenta andamento das obras

Uma cerimônia marcada para o próximo dia 19 de outubro, a partir das 9h30min, recebe convidados para o lançamento da pedra fundamental do maior empreendimento aeroportuário do Centro-Oeste brasileiro, o Antares Polo Aeronáutico. Com as obras iniciadas em julho deste ano, o evento será uma oportunidade para que autoridades públicas e empresários de diversos setores possam conhecer de perto o projeto do aeroporto executivo e dos hangares, e o andamento da construção. Entre os convidados, está o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, o presidente da Anac.

Podendo receber todos os modelos de aviação geral, já após a conclusão de sua primeira etapa, o Antares Polo Aeronáutico promete ser um marco na infraestrutura portuária do País. Privilegiadamente localizado no centro do Brasil, na cidade de Aparecida de Goiânia (GO), o empreendimento deve atrair empresas de táxi aéreo, serviços aeromédicos, de logística, manutenção de aeronaves, hangaragem, agro aviação e escolas para formação de pilotos. A expectativa é atrair também indústrias, em especial fábrica de peças aeronáuticas, turbinas e motores para aviação, entre vários outros.

“Com isso, um novo nicho de oportunidades de empregos qualificados irão surgir, o que movimentará até mesmo universidades e centros de formação especializados. O Antares, por exemplo, quando estiver em pleno funcionamento, irá gerar mais de três mil postos de trabalho”, comenta Paulo Roberto da Costa, diretor da Tropical Urbanismo, uma das cinco empresas que integram o grupo empreendedor responsável pelo polo aeronáutico. Além da Tropical Urbanismo, integram o grupo empreendedor a Innovar Construtora, CMC Engenharia, BCI Empreendimentos e Participações e a RC Bastos Participações.

Comandante Lyra
Na oportunidade, também será anunciado oficialmente o nome do empresário Francisco Lyra como gestor operacional do Antares. Com mais de 45 anos de atuação no setor da aviação, o comandante Lyra (como é mais conhecido) é CEO do GATGRU, terminal de aviação geral do Aeroporto Internacional de Guarulhos; e também CEO e sócio da C FLY Aviation, empresa especializada na venda e compra de aeronaves executiva e gestão de frotas aéreas.

Além das mais de 17.000 horas de vôo  em e aviões e aeronaves executivas, comandante Lyra possui em seu currículo a participação em vários e importantes projetos ligados ao setor da aviação, como a fundação do Aeroporto Catarina, na região metropolitana de São Paulo, que é o primeiro terminal aeroportuário público internacional, de propriedade e investimento 100% privado. O executivo também é presidente do Instituto Brasileiro de Aviação e um dos idealizadores do IBAS – International Brazil Air Show, evento bienal que reúne toda a cadeia aeroespacial, de infraestrutura aeroportuária e de fornecedores da aviação comercial e executiva. Recentemente, em parceria com a universidade norte-americana Embry-Riddle e vários outros empresários da aviação brasileira, o comandante Lyra também lançou a Universidade do Ar, que se encontra em implementação.

“O comandante Lyra é hoje uma unanimidade no setor da aviação, por sua trajetória e projetos que encabeçou. Por isso, esse convite que fizemos a ele para assumir a gestão operacional do aeroporto é um claro indicativo da seriedade com que estamos encaminhando esse projeto e do diferencial de qualidade que traremos para a aviação executiva no Brasil”, explica Romeu Neiva, diretor da Innovar Construtora.

Aposta no Brasil
Ao falar do convite para comandar a gestão operacional do Antares, o comandante Lyra destaca a coragem e determinação do grupo empreendedor responsável pelo projeto e construção do polo aeronáutico. “Admiro profundamente a coragem desses empresários que decidiram apostar alto no Brasil, mesmo num momento de pandemia. Tenho certeza que o futuro saberá recompensá-los e chamá-los de visionários”, elogiou o executivo.

Para Lyra, o investimento em infraestrutura pode representar um divisor de águas para o Brasil. “Toda nação que investe em infraestrutura garante um crescimento econômico constante e sustentável, e não algo esporádico ou temporário”, pontua.

Marco aeroportuário
Com investimentos na ordem de R$ 100 milhões, o Antares Polo Aeronáutico será voltado para aviação executiva, manutenção de aeronaves e operações logísticas. Ao todo, serão 2,096 milhões m² de área total, dos quais 611 mil m² de área vendável, distribuídas em 455 hangares com metragens entre 1.000 m² e 1.500 m². O Antares também contará com uma ampla estrutura de apoio como lojas, restaurantes e um hotel executivo.

“Aparecida de Goiânia converge todas as potencialidades que um projeto como esse requer. É altamente industrializada e está no coração do país, a 210 quilômetros do DF [Distrito Federal]. É um polo que está sendo construído próximo a dois aeroportos internacionais, o de Brasília e o de Goiânia. Também teremos acesso fácil com modais de transporte rodoviários e ferroviários. Portanto, será um empreendimento que irá agregar significativamente à economia goiana, e irá consolidar a vocação de Aparecida de Goiânia para ser uma smartcity”, Paulo Roberto, diretor da Tropical Urbanismo, ao destacar a localização geográfica do Antares.

A obra
Ao todo, a construção do empreendimento será dividida em cinco fases, sendo a primeira com previsão de entrega para 2024. A primeira fase está prevista para ser concluída em 2024, com 72 lotes entregues, pista de pouso funcionando, além de área de embarque e desembarque e toda a infraestrutura necessária para os hangares, como energia elétrica, sistema de abastecimento de água, pavimentação asfáltica e toda a área fechada com portaria monitorada.

Principal estrutura a ser construída no Antares Polo Aeronáutico, a pista de pouso e decolagens contará com 1.800 metros de extensão ou cumprimento, por 30 de largura, o que dá um total de 54 mil m².  A pista será capaz de receber todos os modelos de aviação geral, jatos executivos, monomotores, bimotores, até o Gulfstream 650.

A pista de pouso e toda a pavimentação do empreendimento será feita com Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), que é o material mais utilizado hoje em dia em pistas de aeroportos pelo Brasil. Cerca de 4.500 toneladas, quase a metade, serão usadas apenas para a construção da pista.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *