0

Funcionário foi morto a tiros quando estava em transporte coletivo

Médicos Sem Fronteiras (MSF) denuncia o assassinato de um membro de sua equipe médica na República Centro Africana (RCA). O funcionário foi baleado quando estava em um caminhão usado para transporte coletivo na cidade de Grimari, na região administrativa de Ouaka. No incidente, ocorrido no último dia 28, vários passageiros morreram ou ficaram feridos.

O membro da equipe de MSF estava de folga e havia embarcado no caminhão de transporte público para ir de Bambari a Bangui, quando ocorreram os disparos. Todos os feridos foram levados a um hospital de Grimari para receber atendimento de emergência.

MSF enviou imediatamente uma equipe médica de Bambari para Grimari para fornecer assistência médica imediata e encaminhou cinco pacientes gravemente feridos, incluindo o funcionário de MSF, para o hospital apoiado pela organização em Bambari, que fica perto de Grimari. Infelizmente, ele não resistiu devido à gravidade dos ferimentos.

“Este incidente com armas de fogo em Grimari e o assassinato de nosso colega é mais um exemplo claro do custo humano da violência recorrente na RCA”, disse Marcella Kraay, vice-coordenadora de projeto de MSF.  “Mais uma vez, civis são apanhados no fogo cruzado de um conflito letal e tornam-se vítimas de um interminável ciclo de violência. Estamos chocados e profundamente tristes pela morte de nosso colega. Oferecemos nossas condolências à família e aos amigos.”

O corpo do funcionário de MSF, cuja identidade não será divulgada em respeito à sua privacidade, foi transportado e entregue à sua família em Bangui.

Uma nova onda de violência ligada ao processo eleitoral nacional já atingiu diversas regiões da RCA desde meados de dezembro, particularmente na região oeste do país, impactando ainda mais a vida da população. O ataque ocorrido em Grimari mostra mais uma vez que civis continuam a pagar um preço alto pelo ciclo de violência que se perpetua na RCA.

Neste tipo de situação crítica, equipes de MSF mantêm-se mobilizadas para prestar assistência humanitária à população. Entre os dias 20 e 30 de dezembro, foram recebidas e atendidas em Bossangoa ao menos 50 pessoas com ferimentos de guerra que necessitaram de cirurgia. Outras 24 pessoas receberam atendimento similar em Bangui e pelo menos uma dezena foi assistida em Bambari.

centralrbn

Esqueci de tomar a pílula. O que fazer?

Artigo anterior

Onde chegará o Bitcoin em 2021?

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *