Logo
0
Foto: Divulgação

O estudante Vinícius Amaral, 16, 2º ano, do Colégio Estadual Wilson Lins, localizado no município de Valente, criou o aplicativo e-Covid19 como meio de informação segura sobre prevenção à Covid-19. O projeto intitulado ‘e-Covid19 conhecer para combater: desenvolvimento de aplicativo para dispositivos móveis em código aberto on-line’ conquistou o 1º lugar na categoria ‘Empreendedorismo’ na 9ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (Feciba), realizada de forma on-line, em dezembro de 2021.

Segundo Vinícius, o aplicativo ainda não está disponível para download em lojas oficiais, pois ainda precisa da liberação do Ministério da Saúde. No entanto, o arquivo do aplicativo foi divulgado em grupos de WhatsApp da cidade e entre os estudantes para que os jovens, que são o principal público-alvo do aplicativo, tivessem acesso às informações, como os cuidados para não se contaminar com o Coronavírus; deliverys disponíveis na cidade; dados de contaminação na cidade; e informações oficiais em nível nacional; além de dicas de estudos para os estudantes que estavam em ensino remoto.

Vinícius conta que se sente orgulhoso e satisfeito em criar um aplicativo com o foco na saúde da população. “Além de poder ajudar muitas pessoas, trazendo informações confiáveis e combatendo a desinformação, a ideia do projeto foi desenvolver um aplicativo em uma plataforma aberta e de código em blocos. As pesquisas de opinião realizadas na conclusão do projeto mostraram que ele possui total relevância. Penso que todo projeto científico, além de cumprir seu foco principal, sempre vai servir como inspiração”.

O orientador Adaltro Araújo comentou de que forma o projeto impactou no aprendizado de Vinícius. “A iniciativa, que é resultado de um projeto de extensão do departamento de Ciências Humanas e Tecnologias da Universidade do Estado da Bahia [UNEB] em Camaçari, no qual sou membro de um grupo de pesquisa, contribuiu significativamente no desenvolvimento de competências técnicas do estudante, que poderão ser utilizadas na sua vida escolar e pessoal, o que possibilita novas perspectivas no futuro de uso destes conhecimentos nas suas atividades educacionais”.

Fonte: Ascom/SEC



Fonte

centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar