Atleta de Osasco, Marcio Alicate brilha no cenário norte-americano de Jiu-Jitsu
0

Natural da cidade de Osasco, cidade localizada na região metropolitana de São Paulo, Marcio Antonio Pires Junior, mais conhecido como “Alicate”, tem brilhado no circuito norte-americano de Jiu-Jitsu. O lutador foi criado no bairro de Jaguaribe, próximo a comunidade 13 de setembro, vendo de perto a violência, onde perdeu amigos para o crime e para o mundo das drogas.

Superando as adversidades desde a infância e adolescência, aos 26 anos Alicate conheceu o Jiu-Jitsu através de um convite do amigo Sidnei Pereira e, desde então, se apaixonou pela modalidade no qual decidiu adotar como um estilo de vida. Inicialmente, Alicate começou no Jiu-Jitsu devido ao stress do trabalho e para melhorar a qualidade de vida, emocional e física, porém, não demorou muito para o atleta iniciar nas competições, mesmo sem o apoio necessário.

— Hoje a Cidade de Osasco tem atletas campeões mundiais, conhecidos no mundo, que iniciaram no esporte ainda muito cedo. No meu caso, iniciei um pouco tarde, aos 26 anos, devido à falta de apoio, incentivo e preconceito, pois o atleta não é visto como profissão, ainda mais com aquela idade, onde muitos estão iniciando uma vida mais estável, seja ela financeira, profissional, ou construindo família — declarou Alicate ao falar das dificuldades que enfrentou ao iniciar a carreira.

Após ganhar destaque no Brasil, Marcio decidiu buscar voos mais altos na carreira e em 2014 desembarcou pela primeira vez nos Estados Unidos. Campeão mundial sem kimono no ano de 2018, ainda como faixa-marrom, o atleta que foi graduado a faixa-preta por Erik Klinger e Lino Cotti Palito tem acumulado conquistas nos Estados Unidos.

Ativo nos treinos e nas competições, Marcio foi o lutador que mais disputou competições no ano de 2018, segundo levantamento da própria IBJJF. Em 2018, o atleta decidiu se aventurar e disputar todos os campeonatos da organização, foram 9 meses, 19 estados e 40 mil milhas percorridas (cerca de 64 mil km), nesse período o atleta disputou 51 torneios. Foram 20 medalhas conquistadas, incluindo os ouros do Campeonato Mundial No-Gi, Pan Americano e bronze no Europeu.

— As pessoas me perguntavam como eu tinha tempo de treinar, devido a estar sempre na estrada, dormindo dentro do carro ou em casa de amigos, mas eu sempre dizia que treinava no campeonato, minha cabeça sempre foi boa para lidar com essa pressão. Em 2019, Houston foi o local onde nos fixamos, foi muita mudança com a academia Level Up Brazilian Jiu-Jitsu, mas não podia ter sido diferente, consegui conciliar as aulas, aos alunos e aos campeonatos e neste ano quase dobrei meus títulos indo para 37 medalhas — declarou o atleta que se manteve na primeira colocação do ranking da IBJJF entre os anos de 2018 e 2019 na faixa-marrom sem kimono.

Atualmente em San Antonio, no estado do Texas, onde treina e vive com a esposa, o atleta ainda acumula como experiência o período em que foi professor em uma das filiais da Level Up nos Estados Unidos. Apelidado como Alicate ainda como faixa-branca e pela guarda forte que apresentava nos treinos, o atleta espera aumentar a coleção de títulos em 2022, e se manter entre os melhores da sua categoria no planeta:

 — A meta para 2022 é novamente bater esse recorde, ficar em primeiro no ranking da minha categoria, e trazer no peito a tão sonhada medalha de ouro do Mundial No-Gi como faixa-preta — finalizou o atleta que tem representado a sua cidade natal Brasil afora.

Marcio acumula dentre as conquistas recentes os títulos nos Opens de Nashville, Charlotte e Phoenix.

Compartilhe com seus amigos




centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar