[ad_1]

Principalmente as mulheres dos 35 aos 39 anos, com 92% das participantes.

A chegada da ômicron ao Brasil, bem como sua rápida propagação, é o principal motivo para o segundo ano de impacto negativo na realização de uma das maiores festas populares do mundo. É que pensando nisso, as capitais brasileiras, mais o Distrito Federal, agiram no sentido de cancelar ou suspender as festas de carnaval deste ano, em decorrência da pandemia de Covid-19.

E conforme constatou o Trocando Fraldas em seu mais recente estudo, 83% das brasileiras têm ou teriam medo de contrair Covid nas aglomerações de carnaval. Principalmente as mulheres dos 35 aos 39 anos, com 92% das participantes. E as mulheres dos 50 anos ou mais, com 95% das entrevistadas. Já entre os homens, o percentual de medo é menor, e somente 74% deles teriam medo de contrair o vírus nas aglomerações.

Os dados por estado demonstram que Minas Gerais está entre os estados em que as mulheres mais têm ou teriam medo de contrair o vírus na festa, com 94% delas. No Distrito Federal e em São Paulo, 91% têm ou teriam medo de pegar Covid no Carnaval. E no Espírito Santo e Rio de Janeiro, 89% e 87%, respectivamente, têm este medo.

Ainda, somente 12% das respondentes iriam a festa, caso ela fosse realizada. Principalmente as mulheres dos 18 aos 24 anos, com 16% delas. E dos 35 aos 39 anos, com 15% das participantes. Já nos estados, Alagoas é o estado em que mais respondentes participariam da festa, com 20% das participantes. No Rio de Janeiro e no Espírito Santo, pelo menos 14% iriam. E em São Paulo e no Distrito Federal, pelo menos 7% das participantes.

89% das brasileiras têm medo de pegar Covid nas aglomerações de Carnaval, diz estudo

*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe com seus amigos

[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.