Conecte-se conosco

Tecnologia

Pesquisa da Microsoft revela que 43% das pessoas no Brasil estiveram envolvidas em um incidente de bullying

Publicado

em

Pesquisa da Microsoft revela que 43% das pessoas no Brasil estiveram envolvidas em um incidente de bullying
  • A exposição a riscos online caiu para 67% no mundo inteiro, três pontos percentuais a menos do que no ano passado. 
  • Um em cada quatro entrevistados em todo o mundo disse que a gentileza online aumentou como resultado da COVID-19. 
  • O estudo mostra que a geração Y e Z foram as mais afetadas pelo cyberbullying em todo o mundo. 
  • 26% dos entrevistados no Brasil dizem que a civilidade online foi melhor durante a pandemia.  

Hoje, no Dia da Internet Mais Segura (SID), a Microsoft desafia pessoas do mundo inteiro a abraçar a “civilidade digital” e tratar uns aos outros com respeito e dignidade online. Há 17 anos participando da SID, a Microsoft está convocando pessoas ao redor do mundo para aceitar o Desafio da Civilização Digital e aprender sobre os riscos de segurança online, divulgados no mais recente Índice de Civilidade Digital. O índice é baseado numa pesquisa realizada em maio de 2020 para medir as atitudes e percepções de adolescentes (13-17 anos) e adultos (18-74 anos) em 32 países1 sobre o atual estado da civilidade digital. Quanto mais baixo o índice (numa escala de zero a 100), menor a exposição ao risco e maior a percepção de gentileza online entre as pessoas naquele país.

O Índice de Civilidade Digital (ICD) da Microsoft revela que a exposição ao risco online diminuiu três pontos percentuais globalmente, atingindo 67% versus 70% no ano passado. A pesquisa fez perguntas como “Quais riscos online você e seu círculo imediato já enfrentaram? Quando e com que frequência os riscos ocorreram? Quais foram as consequências e quais ações foram tomadas?” – e mediu a exposição dos entrevistados a 21 riscos online em quatro áreas: comportamental, reputacional, sexual e pessoal/intrusivo, com os 5 principais riscos:

  1. Contato indesejado
  1. Fraudes / golpes
  1. Sexting indesejado
  1. Ser mal-tratado
  1. Trolling

O Brasil atingiu um ICD de 72%, mesmo índice de civilidade atingido no ano passado. Dentre os entrevistados, 41% disseram que a civilidade online foi pior durante a pandemia, 43% alegaram algum envolvimento num incidente de bullying, enquanto 21% disseram ter sido os alvos. De acordo com a pesquisa, os entrevistados da Geração Z e Millenials foram as mais afetadas pelo bullying, com 48% e 42% respectivamente. Apenas 30% dos entrevistados brasileiros acham que a civilidade online é boa e 62% fez pelo menos uma ação do Desafio da Civilidade Digital.

“A Microsoft está profundamente comprometida com a segurança online. Trabalhamos com diferentes agentes da indústria, governos, entidades educacionais e consumidores para desenvolver soluções e promover políticas públicas eficazes que ajudem a proteger a todos. O objetivo desta pesquisa é aumentar a conscientização sobre os riscos que nós, como usuários, enfrentamos na Internet e, ao mesmo tempo, promover ferramentas que nos permitam coexistir num ambiente digital seguro. A ideia é que as pessoas possam se proteger e melhorar suas práticas online. Queremos compartilhar o que estamos aprendendo para que, como sociedade, possamos entender que ações de empatia, respeito e colaboração têm um impacto positivo e preventivo contra comportamentos de risco no mundo virtual”, comenta Elias Abdala Neto, diretor de Políticas Públicas da Microsoft.

Nas primeiras colocações do ranking se encontram os Países Baixos que ocupam o primeiro lugar no ICD, com 51%, 5 pontos abaixo do índice do ano passado, enquanto o Reino Unido caiu da primeira para a segunda posição, com 55% e um aumento de 2 pontos. As próximas três posições entre as melhores pontuações do ICD em todo o mundo são: Estados Unidos, com 56% (2 pontos a menos do que no ano passado); Singapura, com 59%; e Taiwan que aparece pela primeira vez na pesquisa em 5º lugar, com uma pontuação de 61%. O estudo mostra também que, globalmente, os adolescentes foram responsáveis por uma melhoria notável na civilidade online, os millennials e a geração Z foram os mais afetados pelo assédio (com 42% e 43%, respectivamente), e um em cada quatro entrevistados disse que a gentileza online aumentou como resultado da COVID-19.

Como parte de nossos esforços para melhorar a experiência online de indivíduos, empresas e governos, a Microsoft compartilha os quatro princípios do Desafio da Civilidade Digital, que promovem interações mais seguras, saudáveis e respeitosas. Todos podem se comprometer com as ações do desafio e adotar hábitos e práticas online positivas ao longo do ano:

  1. Viva a regra de ouroagindo com empatia, compaixão e bondade em todas as interações e tratando com dignidade e respeito todos com quem você se conecta online.
  2. Respeite as diferenças, considere perspectivas diferentes e, quando surgirem desavenças, aja cuidadosamente e evite insultos e ataques pessoais.
  3. Faça uma pausa antes de respondera algo de que discorda, e não publique ou envie nada que possa prejudicar outra pessoa, abalar uma reputação ou ameaçar a segurança de alguém.
  4. Defenda a si mesmo e aos outrosoferecendo apoio àqueles que estão sujeitos a abuso ou crueldade online, denunciando ameaças e preservando evidências que comprovem comportamento inadequado ou inseguro.

Com a disponibilidade de dados do Desafio e do Índice, a Microsoft espera que os formuladores de políticas, como empresas e indivíduos, considerem a necessidade de criar uma Internet mais segura e respeitosa e usem essas evidências como base para impulsionar a “civilidade digital” em todo o mundo.

 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Light Dark Dark Light