Nanofranquias atraem atenção para quem busca empreender com pouco capital e trabalho home office
0

Nos últimos anos empreender se tornou realidade de muitos brasileiros que buscam um trabalho de forma independente. Há aqueles que querem abrir o próprio negócio, mas pensam se tratar de uma realidade distante devido ao custo para ter uma empresa. Porém, hoje há no mercado alternativas de negócios acessíveis para investidores com pouco dinheiro, inclusive no mercado de franquias, a popularmente chamadas de nanofranquias – franquias que solicitam investimento inicial de até R$ 25 mil.

Pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pelo Sebrae, em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ) apontou crescimento de 75% na taxa de empreendedorismo no país entre 2019 e 2020, passando de 30% para 53%. A pesquisa ainda revelou que ter uma empresa está entre os desejos dos brasileiros.

Somente a taxa de formalização cresceu 69% durante o período analisado, na qual mostrou que o total de empreendedores com CNPJ passou de 26% para 44%, a maior taxa de crescimento dos últimos quatros anos.

Negócios criativos e diferenciados acabam se sobressaindo no mercado devido à baixa concorrência. Exemplo da franquia SmartComm – primeira rede brasileira especializada em comunicação inteligente no Brasil com soluções voltadas à redução de custo, otimização, inovação e tecnologia para empresas, que exige investimento de R$ 24.999.

Diferente de negócios que requerem ponto comercial, na qual reflete no investimento ser mais alto, a SmartComm trabalha exclusivamente o formato home office, o que permite esse investimento mais acessível, com chances de retorno nos primeiros meses, entre 10 e 12 meses. Além do mais, o faturamento bruto mensal é outro atrativo do negócio, que pode chegar a R$ 30 mil por mês, conforme o desempenho do franqueado.

Perfil para empreender

Anderson Lucila, CEO da SmartComm, dá uma dica para quem está em busca do próprio negócio. “Não basta ter capital para empreender é essencial ter aptidão com o segmento que busca, isso já é meio caminho. Em seguida vem força de vontade e dedicação para crescer, já que o esforço de uma nanofranquia é o mesmo que uma franquia maior”, avalia.

Para quem busca empreender nesse segmento é necessário ter características como fácil comunicação oral e raciocínio lógico; bom relacionamento comercial; familiaridade com tecnologia (e-mail, WhatsApp, mídias digitais); e ter mentalidade ownership, ou seja, postura de pensar como dono e colocar a mão na massa.

Lucila explica que o papel do franqueado é comercializar os serviços que fazem parte do portfólio da empresa, além de acompanhar o pós-venda com o intuito de fidelizar o cliente final e garantir a qualidade do atendimento. Também é necessário que o empreendedor esteja próximo ao cliente, fazendo vendas consultivas para que os objetivos sejam alcançados, apresente o funcionamento da plataforma e ofereça suporte para condução dos serviços.

A franquia SmartComm, inclusive, pode ser conduzida como uma renda extra, na qual o franqueado tem a possibilidade de trabalhar nas horas extras, com mais flexibilidade nos horários e dias alternativos.

Serviços inovadores

Ter uma comunicação ágil e moderna é fundamental para que as empresas se aproximem mais dos clientes. A SmartComm trabalha com serviços como envios de mensagens corporativas e notificações através de SMS, WhatsApp, pesquisa de satisfação, chatbot e integração API onde é possível dispensar custos desnecessários, investir em soluções tecnológicas e reaproveitar as soluções existentes.

“É um mercado que vem crescendo e tende a continuar nesse ritmo, tendo em vista a busca das empresas a estarem mais próximas dos clientes, bem como avaliar a experiência de compra. Trabalhamos com soluções como estratégia de marketing que pode gerar ótimos resultados para empresa, possibilitando aproximá-la dos seus clientes, e ainda entender como ele enxerga essa empresa, avaliar os serviços, entre muitas outras interações. Além de trabalhar com soluções inteligentes, o fato de conduzir o próprio negócio home office, fácil gestão e o baixo valor de investimento são outros atrativos que ganham o interesse de investidores pela franquia”, finaliza Lucila.

centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar