Medicina no esporte: saiba o que é e quando procurar

Você sabe o que é medicina no esporte? Embora o nome possa ser enganoso, os médicos esportivos não são apenas para atletas. Além disso, médicos de medicina esportiva, muitas vezes, servem como um trampolim entre a atenção primária e um cirurgião ortopédico.

Isso porque, os médicos dessa área se especializam na prevenção, diagnóstico e tratamento de lesões esportivas e nas associadas à atividade física. Sendo assim, ele trata de osteoartrite a tendinite e de isquiotibiais distendidos e dores nas canelas. 

Neste sentido, esse profissional é treinado para diagnosticar e tratar lesões sofridas durante a prática de esportes e qualquer outro tipo de lesão ortopédica. Além disso, estuda tratamentos para aliviar dores, como os ensinados nos cursos de cannabis medicinal.

Portanto, se você está pensando em cursar medicina ou já se encontra na graduação e quer se tornar um médico esportivo, continue a leitura. Preparamos esse artigo exclusivo que traz todas as informações necessárias para você entender a medicina no esporte. 

Afinal, o que é a medicina esportiva?

O campo da medicina esportiva está focado em ajudar os pacientes a se recuperarem de lesões relacionadas ao esporte e evitar que essas lesões se repitam. Embora seja usado por atletas e esportistas profissionais, não é apenas para eles.

Isso porque, qualquer pessoa que pratique esporte ou atividade física pode se beneficiar do tratamento fornecido por um médico especializado e que presta cuidados dedicados na área de sua escolha.

Nesse sentido, médicos de medicina esportiva recebem treinamento especializado que permite reabilitar lesões em crianças, adultos e atletas profissionais. Muitas vezes, é administrada por uma equipe de pessoas com diferentes níveis de especialidade.

A equipe pode ser chefiada por um clínico geral e pode incluir outros especialistas. Isso ocorre porque pode haver necessidades especiais que exigem informações de diferentes profissionais, como:

  • fisioterapeutas, os quais podem ajudar na reabilitação;
  • treinadores esportivos, que podem personalizar programas de exercícios e treinamento para obter resultados ideais;
  • nutricionistas, justamente para fornecer nutrição adequada.

Portanto, a rotina do médico esportivo é lidar com o gerenciamento de problemas musculoesqueléticos e qualquer tipo de condição metabólica ou óssea, nutrição e outros elementos. 

Profissional aplicando medicina no esporte

O que considerar antes de buscar formação para medicina no esporte?

Se você quer se tornar um médico esportivo é importante considerar que essa é uma das áreas da medicina que está em alta no mercado. Isso se deve ao fato de que esse profissional não atua somente nas unidades de saúde.

Nos centros de reabilitação, clubes esportivos, assim como em consultórios são locais onde um médico do esporte também trabalha. Para se ter uma ideia, grandes times contam com esses profissionais para acompanhar atletas de alto rendimento.

Além disso, por se tratar de uma especialidade um tanto nova, já que a primeira formação aconteceu em 2007, a expectativa no mercado é de crescimento, principalmente com a população se preocupando ainda mais com qualidade de vida.

Para se ter uma ideia, um levantamento feito em 2018, pela Demografia Médica no Brasil, mostrou que, no país, o total de médicos especializados na área não chegava a mil no país. Sendo assim, vale a pena investir nessa carreira.  

O que faz um médico no esporte?

Agora que você já entendeu a medicina no esporte e o que considerar ao buscar por essa formação, vamos explicar de fato o que faz um médico esportivo. Assim, você saberá a sua área de atuação, assim como o que é preciso para ter essa especialização. 

Medicina no esporte: área de atuação e mercado de trabalho

Partindo do princípio que esse profissional lida com a fisiologia do exercício, em práticas esportivas, na melhora do desempenho dos pacientes, prevenindo problemas de saúde, a área de atuação de um médico do esporte é ampla. Sendo assim, ele pode:

  • realizar avaliações de saúde antes, durante e após práticas de exercícios físicos, tanto para praticantes comuns quanto para atletas profissionais;
  • solicitar uma série de exames, tanto clínicos, quanto laboratoriais;
  • analisar o desempenho físico, assim como realizar intervenções;
  • gerenciar projetos voltados para inovação no esporte;
  • sugerir planos de alimentação balanceada, além de exercício para um objetivo específico;
  • estar à frente de equipes com profissionais que promovem a saúde esportiva. 

Como já falamos por aqui, o mercado de trabalho para o médico esportivo apresenta boas expectativas de crescimento. Em relação ao salário, ele pode variar de um recém-formado para um médico mais experiente, partindo de R$ 6 mil a R$ 17 mil. 

Medicina no esporte: saiba o que é e quando procurar

Como se tornar um médico esportivo?

Para se tornar um médico esportivo será preciso fazer a faculdade de medicina. Isso porque, é essencial ter o conhecimento necessário em relação ao corpo humano, no que se refere às suas condições musculoesqueléticas. 

Com o registro profissional no Conselho Regional de Medicina (CRM) em mãos, basta fazer ou um curso de pós-graduação lato sensu ou a residência em Medicina Esportiva. Essa residência tem duração de três anos, sendo que o primeiro ano é dedicado à formação básica em Clínica Médica e Pediatria. 

Especializações para um médico no esporte

Além da pós-graduação ou da residência em Medicina Esportiva é importante que o profissional dessa área busque por outras especializações. Isso porque, a medicina está em constante desenvolvimento, principalmente com os recentes avanços tecnológicos. 

Nesse sentido, como esse profissional também pode lidar com pacientes com dores crônicas por condições relacionadas à atividade física ou pela falta dela, faz-se necessário um aprofundamento no estudo de novas medicações para auxilir no tratamento, como os de cannabis medicinal.

Dessa forma, você estará pronto para atuar na promoção da saúde, aperfeiçoar o desempenho e na recuperação dos pacientes. 

Conclusão

Como visto, a medicina no esporte é importante para o alto desempenho de atletas e para tratamentos específicos em algumas modalidades. 

Ao contrário do que se pode pensar, essa área também é capaz de cuidar de pessoas mais velhas, que estão tentando ser ativas, mas são limitadas pela dor. 

A medicina no esporte, portanto, trata qualquer pessoa ativa e que deseja melhorar sua saúde geral. Nesse sentido, o atendimento não será voltado apenas para um jogador de futebol, por exemplo.

Wendell Soares
" Wendell Soares é jornalista, analista de conteúdo SEO, apaixonado por música, literatura de terror, gatos e viagens. Nem sempre nessa ordem. "