Conecte-se conosco

Notícias

Jovens respondem qual é a prioridade na escolha de uma vaga

Publicado

em

Quais aspectos são considerados relevantes na escolha de uma vaga de estágio, emprego ou aprendizagem? Para entender como os jovens encaram essa questão, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios fez uma pesquisa e perguntou: “além da remuneração, qual é sua prioridade mais importante na escolha de uma vaga?”. O estudo ficou no ar entre 22 de fevereiro e 5 de março de 2021 e contou com a participação de 47.350 brasileiros entre 15 e 29 anos.
A maioria (54,7% ou 25.920) dos respondentes, apontou como o principal critério as oportunidades de promoção e crescimento. Para o analista de treinamentos do Nube, Everton Santos, os profissionais atualizam suas habilidades e certificações em busca de ascensão e visibilidade. “Portanto, dispor de um ambiente estruturalmente apto para acolher o indivíduo é um diferencial para a empresa fornecer”, destaca. De acordo com ele, a entidade quando oferece esse tipo de iniciativa, aumenta a motivação e engajamento dos times.
Para 19,5% (9.247) dos participantes, satisfação pessoal com as atividades desenvolvidas é o principal ponto. O especialista explica como estar feliz com as incumbências pode movimentar a escolha, trazendo novas descobertas e aumentando a notoriedade da pessoa no mercado. “Realizar uma auto análise a fim de alinhar seus valores aos propósitos da corporação pode nortear melhores ações de transformação individual e do contexto corporativo”, comenta.
Uma vaga oferecendo equilíbrio entre labor e vida fora do escritório é a ambição de outros 13,7% (6.508). “É importante garantir espaços em sua rotina para o autocuidado e à qualidade de vida, discernindo com mais clareza as metas e objetivos a serem alcançados dentro da organização. Por sua vez, a companhia pode adotar medidas visando aumentar o engajamento de seus colaboradores a respeito da manutenção do bem estar e boas práticas”, complementa Santos.
Já 7% (3.355) querem fazer algo significativo para a sociedade. Segundo o analista, elencar escopos é natural para o ser humano e isso se reflete nas escolhas profissionais. “Fazer parte de uma entidade com responsabilidades além do negócio, como questões sociais ou ambientais, relacionadas à diversidade e respeito à liberdade de expressão, gera identificação por parte dos seus funcionários. Isso melhora a satisfação de suas equipes e a qualidade dos resultados apresentados, possibilitando o exercício da cidadania para as equipes”.
Por fim, 4,9% (2.320) prezam pela segurança no trabalho, sem riscos de desligamento. “São diversas as variáveis a serem analisadas”, destaca o analista. Para esses, “é importante compreender o mercado de acordo com sua função, a instabilidade da empresa em tempos de crise e o seu desenvolvimento pessoal frente às entregas realizadas”, continua.
Santos finaliza destacando a importância de ficar antenado à realidade atual e à economia porque isso também ajudará na caminhada. “O cenário é incerto, por isso se manter informado, solicitar feedbacks à gestão e realizar boas entregas pode auxiliar a sustentar sua colocação”, conclui.
Fonte: Everton Santos, analista de treinamento do Nube
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda PODCAST RBN

TENDÊNCIA