Fogos de artifício, fumaça e fragmentos de fogueira podem ser vilões para os olhos no São João

Os festejos juninos voltaram a ser celebrados este ano, na Bahia. O período, que reúne forró, diversão e comidas típicas, também exige cautela quando o assunto é saúde dos olhos. Isso porque os fogos de artifício, a fumaça e os fragmentos de fogueira, elementos também explorados nesta época, podem prejudicar a visão, inclusive levando à cegueira, como relata o oftalmologista do DayHORC – empresa do Grupo Opty na Bahia, Marco Polo.

“Esses elementos provocam sensação de areia e lacrimejamento. As partículas dissipadas no ar podem ainda aderir à parte interna das pálpebras, gerando dor e vermelhidão. É comum também ocorrer irritação nos olhos, com sintomas semelhantes à conjuntivite, tais como ardor e fotofobia. Por isso, é possível, sim, afirmar que as lesões nas córneas podem aumentar nesta época”, detalha o médico.

“Dentre os acidentes oculares com maior gravidade estão as queimaduras nos olhos. A depender da extensão, o paciente pode ter a visão comprometida de forma irreversível”, explica Marco Polo. Em relação aos cuidados, ele alerta: “Algumas soluções caseiras podem ajudar a melhorar leves incômodos, como o uso de soro fisiológico, água corrente e água gelada. Mas, em casos de acidentes, como explosão e sintomas persistentes de embaçamento, dificuldade para enxergar, dores ou irritação, é preciso buscar, de imediato, uma emergência oftalmológica 24 horas – serviço que é disponibilizado pelo DayHORC”. O médico alerta ainda para os riscos da automedicação, como o uso de colírios e pomadas, pois podem agravar os sintomas. O ideal é seguir somente a instrução médica.

 

Inverno

Além do São João, o período junino também é caracterizado pela queda das temperaturas por conta da chegada do Inverno, estação que também requer cuidados com a visão. O médico André Barros, do Instituto de Olhos Freitas, unidade que também pertence ao Grupo Opty na Bahia, conta que o clima seco e a baixa umidade do ar deixam os olhos mais vulneráveis às doenças como conjuntivite alérgica, que pode evoluir para viral ou bacteriana, síndrome do olho seco e outras reações alérgicas (como olhos vermelhos, lacrimejamento, ardência, coceira, fotofobia e irritação). Confira algumas recomendações para evitar problemas oculares nesta época.

– Faça a lavagem e a secagem ao sol de mantas, cobertores e blusas de lã guardadas por muito tempo.

– Evite o acúmulo de poeira em casa.

–  Durma em local arejado.

– Lave com frequência o rosto e as mãos, principalmente antes e depois do uso de colírios ou pomadas, uma vez que estes são meios importantes para a transmissão de microorganismos.

– Não compartilhe toalhas de rosto, esponjas, rímel, delineadores ou qualquer outro produto de beleza.

– Evite objetos que acumulem poeira, como: cortina, carpete, tapete, bicho de pelúcia, documentos antigos, livros etc.

– Evite a exposição a agentes irritantes como fumaça e/ou alérgenos, pólen, poeira, pelos de animais e cloro de piscina.

– Se estiver com conjuntivite, não utilize lentes de contato e não coce os olhos para evitar irritações.