Especialistas citam alguns cuidados necessários antes de realizar investimentos

Muitos investidores e empresários passam por dificuldades ao realizar seus primeiros movimentos no mercado, causando problemas financeiros que podem ser irreversíveis em alguns casos.

De acordo com Gabriel Komatu, formado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas – FGV e co-fundador da Komatu Gestora de Recursos, a principal razão para este cenário  é a falta de conhecimento por parte dos investidores iniciantes. “A primeira recomendação é se informar antes de fazer qualquer aplicação monetária. Hoje, existem diversos conteúdos disponíveis na internet, como artigos e vídeos que ensinam desde o básico até o mais complexo. Após adquirir conhecimento no assunto, é importante tirar todas as suas dúvidas, mesmo que elas pareçam bobas, porque é importante sentir-se seguro”, pontua.

Para o administrador, o conhecimento adquirido sobre um investimento antes de uma eventual aplicação pode mitigar os riscos. “Não é aconselhável dar passos maiores do que a perna ou arriscar patrimônio em ativos que não se está familiarizado. É importante saber exatamente como o investimento irá acontecer antes de, efetivamente, começar a investir”, alerta.

Isabela  Komatu, CEO e também co-fundadora da Komatu, acredita que antes de buscar o auxílio de bancos ou instituições financeiras, é necessário realizar pesquisas e uma análise detalhada para efetuar a melhor escolha. “É sempre importante checar se o banco ou a corretora está devidamente credenciado a funcionar perante os órgãos regulatórios. Em paralelo, busque uma plataforma que converse com os seus objetivos e ideais. Por exemplo, existem instituições e corretoras digitais que oferecem uma experiência extremamente moderna, enquanto outras seguem processos mais tradicionais. É válido ter em mente que não é preciso se limitar a apenas um banco ou corretora pelo resto da vida. O ideal é diversificar e  caso o interessado não esteja satisfeito com a gestão, pode mudar”, relata.

Caso o investidor não tenha tempo de se aprofundar em cada uma de suas aplicações, um fundo de investimentos pode ser a melhor solução. “Nesse caso, é comum delegar a gestão para profissionais habilitados. Muitas vezes, existe mais de um fundo em sua carteira,  justamente por conta de cada um deles ter um mandato único”, revela Isabela.

Gestoras de investimento, como a própria Komatu, podem auxiliar nesse tipo de situação. “Além de estarem sempre abertos a esclarecerem dúvidas, quando o investidor atua diretamente com a gestora em seus produtos e serviços, ele não será cobrado por corretagem, spreads e comissões como é feito em outras instituições financeiras. A gestora se remunera através de taxas de gestão e de performance, sempre de forma clara, objetiva e transparente. Além disso, é possível acompanhar a evolução dos investimentos da melhor forma possível”, finaliza.