Empresa sueca desenvolve montantes leves feitos de celulose
0

Um dos principais desafios que a indústria da construção enfrenta atualmente é a crise climática. O setor é responsável por aproximadamente 40% das emissões globais de gases de efeito estufa, e por isso, tem como prioridade diminuir esta porcentagem e lançar menos poluentes na atmosfera. 

 

Nos últimos anos, houve bastante inovação e pudemos observar técnicas de construção mais avançadas, como fabricações digitais e peças em 3D. Nessa onda, a empresa sueca Wood Tube lançou um produto com o mesmo nome que estreou no mercado recentemente: montantes leves feitos de celulose. 

 

O montante é uma estrutura vertical que tradicionalmente é constituída de aço ou madeira, e faz parte de uma parede ou divisória de drywall. A peça também segura portas, janelas, isolamentos e outros elementos de construção. O Wood Tube é diferente dos outros produtos no mercado, por ser feito de uma fibra de madeira que geralmente é utilizada na fabricação de papel. A invenção, além de econômica, é leve, resistente e fácil de trabalhar. Além disso, como é feito de fibra de base biológica, o produto pode ser reciclado como papelão comum. 

 

O processo de instalação é simples e direto. O uso de uma parafusadeira ou furadeira é possível normalmente.. Devido ao seu peso leve e sua suavidade, existem menos riscos para os carpinteiros e construtores que manuseiam a peça. 

 

Mesmo sendo criadas para molduras e paredes internas, as peças podem ser encontradas em diferentes tamanhos e formatos, atendendo uma variedade de funções, sendo também indicadas para molduras de móveis, construção de camas, sofás e portas. 

Os inventores descobriram, por meio de análise científica, que o Wood Tube emite 14 vezes menos CO2 que os montantes de aço, reduzindo em até 92% as emissões. Essa é uma redução significativa, principalmente se levarmos em conta o grande volume dessas peças que são usados em obras no geral. 

 

Quando pensamos na matéria prima utilizada, a invenção também é muito eficiente, já que uma árvore pode produzir quatro vezes mais montantes de celulose do que de madeira padrão, ou seja, não é preciso cortar tantas árvores para produzir uma quantidade alta de montantes. Além de diminuir o corte de árvores, a produção é de baixo custo. 

 

A invenção ajuda a criar de uma indústria mais sustentável e permite o acesso a moradias ecológicas de valores mais baixos, combinando sustentabilidade, custo-benefício, bom desempenho e simplicidade. Os montantes de celulose têm potencial para revolucionar a construção civil e o ramo habitacional, contribuindo para um ambiente mais sustentável, com materiais ambientalmente responsáveis, garantindo cidades mais verdes para as próximas gerações.

 

Amanda Mathias
Atua como assessora de imprensa, redatora e Link Builder na Conversion. Escreve sobre cidades, cotidiano, tecnologia, e-commerce e cultura.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar