conecte-se conosco

Gastronomia

De olho no pescado saudável para a Semana Santa

Avatar

Publicado

em

A Semana Santa se aproxima e, com ela, aumenta o consumo de peixes, crustáceos e frutos do mar em geral. Para que a população consuma pescado saudável, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) alerta: é necessário observar os cuidados de manuseio e conservação em toda a cadeia produtiva, desde a captura até o produto pronto para ser saboreado na mesa do consumidor.

Do momento em que é retirado do mar, do rio ou de um criatório, o pescado precisa ser manuseado com cuidado e precaução, por meio de boas práticas de manipulação. Além de conservar o produto por mais tempo, o cuidado tende a evitar a contaminação e as Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs). Esse rigor sanitário deve ser mantido da pesca ao acondicionamento e transporte nas embarcações, passando pelo armazenamento na indústria até a comercialização em mercados e peixarias.
As embarcações pesqueiras precisam ser certificadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e, a bordo, os pescadores devem seguir critérios e requisitos higiênico-sanitários. O pescado recém-capturado, por exemplo, deverá ser protegido de qualquer contaminação, dos efeitos do sol ou de qualquer outra fonte de calor, precisando ser resfriado e acondicionado em gelo feito com água potável. Todas as etapas de evisceração, acomodação em gelo ou salmoura, bem como a disposição dos resíduos, devem seguir as normas de higiene.
Ao longo de toda a cadeia produtiva, a presença do responsável técnico é importante para garantir a saúde e a qualidade dos produtos que serão ingeridos pelo consumidor. Quando o peixe chega à indústria, há fiscal do Serviço Veterinário Oficial para verificar a procedência dos produtos, bem como um responsável técnico para garantir a manutenção dos aspectos sanitários durante a manipulação. Ao seguir para o supermercado ou peixaria, o pescado continua sendo supervisionado por outro responsável técnico do estabelecimento e pela fiscalização da Vigilância Sanitária. Tudo isso gera uma garantia de qualidade, que certifica o produto devidamente inspecionado para consumo.
No fim da cadeia está o consumidor, que não pode se esquecer de que o cuidado também deve continuar em casa. O peixe precisa ser bem armazenado em ambiente limpo e refrigerado. Se o produto estiver congelado, é preciso analisar a data de congelamento, o prazo de validade e o local onde o peixe está sendo armazenado, que deve estar com a temperatura entre -10° e -15°C. Uma vez descongelado, é necessário prepará-lo de forma adequada e consumi-lo imediatamente. Na verdade, o consumo imediato deve ocorrer sempre que o pescado sair da refrigeração e estiver em temperatura ambiente.

Ao comprar peixes frescos, fique muito atento à parte estética. Os olhos devem estar brilhantes, salientes e transparentes. O peixe precisa estar rígido, com a pele úmida, bem aderida e sem cortes ou machucados, enquanto as escamas devem se apresentar firmes, resistentes, translúcidas e brilhantes.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receitas

Como fazer Crumble de Maçã? Piraquê ensina truques para obter a crocância perfeita

Avatar

Publicado

em

O Crumble é um prato doce de origem britânica, feito com frutas picadas cobertas com uma massa especial, que é assada até que a cobertura fique crocante, resultando em uma experiência única de sabor. Aproveitando o período da safra da maça, que se estende até o mês de maio no Sul e Sudeste do Brasil, a Piraquê, marca premium de biscoitos, massas e torradas da M. Dias Branco, ensina como fazer um Crumble de Maçã.

O segredo do crumble, a farofinha usada na cobertura do doce, está no Biscoito Maizena Piraquê, que fará toda a diferença. O prato é servido quente, portanto, pode acompanhar uma bola de sorvete de baunilha, criando uma experiência sensorial diferente.

Gostou da dica? Confira abaixo a receita completa e saboreie com quem ama.

 

Crumble de Maçã

 

Ingredientes:
Para a massa:
200 g de Biscoito Maizena Piraquê triturado
150 g de manteiga em temperatura ambiente
1 colher de (chá) de canela em pó

Para o recheio:
1 colher (sopa) de amido de milho
Suco de 1 limão
5 maçãs sem casca, cortadas em cubos médios
½ xícara (chá) de açúcar
1 colher (chá) de canela em pó

Para o crumble:
100 g de Biscoito Maizena Piraquê
50 g de açúcar
100 g de manteiga fria cortada em cubos
50 g de amêndoas cruas picadas grosseiramente


Modo de Preparo
Para a massa:
– Em um recipiente, misture o biscoito, a manteiga e a canela até obter uma massa úmida.
– Forre o fundo e as laterais de uma forma redonda, de fundo removível, de 22,5 cm de diâmetro e refrigere.

Para o recheio:
– Dissolva o amido em 3/4 de xícara (chá) de água e limão.
– Em uma panela, leve os demais ingredientes para cozinhar, junto com o amido diluído por cerca de 10 minutos. Espere esfriar por completo.

Para o crumble:
– Reserve 5 biscoitos e pique grosseiramente. O restante processe até formar uma farinha grossa.
– Misture a farinha de biscoito e o açúcar em uma tigela. Acrescente a manteiga e misture com as mãos até obter uma massa arenosa. Coloque as amêndoas e o restante do biscoito.

Para a montagem:
– Com a base fria, recheie a torta com o recheio já frio e cubra com a farofa.
– Asse a 180 °C por cerca de 25 minutos até que o crumble fique crocante.


Rendimento:
 8 porções
Tempo de preparo: 60 minutos

Continue lendo

Receitas

Pizza de Damasco com Gorgonzola é sugestão do Chef Gino Contin para um jantar exótico

Avatar

Publicado

em

Para quem adora pizza e quer experimentar novas versões, o Chef Gino Contin criou uma Napolitana agridoce que combina o sabor sofisticado do damasco hidratado no vinho branco com os sabores intensos do gorgonzola ou parmesão.

Para deixar sua criação ainda mais gostosa, o chef acrescentou uma camada de cream cheese e finalizou com um toque de mel depois que a pizza saiu do forno  para ressaltar o contraste entre o doce e salgado.

Se quiser preparar a pizza em casa é só acompanhar o passo a passo no vídeo https://www.instagram.com/tv/CNdALcZDS4c/?igshid=mhh1o36sdsf5 e conferir a receita abaixo:

 

MASSA DE PIZZA DE LONGA FERMENTAÇÃO

Ingredientes:

1kg de farinha de trigo, de preferência italiana 00

600ml de água

3g de fermento seco

30g de sal

Semolina ou fubá para abrir a massa

Modo de preparo:

Massa: Separe um pouco da água para dissolver o sal. Coloque o restante da água numa tigela e acrescente os ingredientes secos aos poucos. Quando chegar na metade dos ingredientes, coloque a água com sal e depois o restante da farinha. Sove a massa e deixe descansar em recipiente fechado por 12h. Caso queira fazer longa fermentação, deixe por mais 12 horas na geladeira.  Divida a massa fermentada em quatro partes e boleie. Polvilhe uma superfície com semolina ou fubá e abra uma das partes da massa com as mãos marcando a borda da pizza com os dedos. Coloque em uma forma de pizza e leve para assar em forno alto por 10 a 12 minutos.

 

PIZZA DE DAMASCO COM GORGONZOLA

Ingredientes para uma pizza de 35cm:

  • 350 g de massa de longa fermentação para pizza napolitana
  • 255 g de cream cheese
  • 150 g de damasco
  • 80 g de parmesão ou gorgonzola
  • Mel a gosto

Montagem:

Abra uma massa napolitana de 350g no formato redondo de 35 cm, e caso for usar um forno convencional em casa, coloque a massa em uma forma para pizza. Para que a pizza fique mais harmoniosa corte os damascos ao meio e hidrate-os com suco de uva branco ou vinho branco para que não queimem no forno. Esse processo se feito no dia anterior é melhor. Coloque sobre a massa o cream cheese de uma maneira que cubra toda a superfície, o damasco sobre o cream cheese e finalize colocando gorgonzola esmiuçado ou parmesão ralado; leve ao forno alto até dourar. Tire do forno e aplique uma fina camada de mel sobre a pizza.

 

SOBRE O MAVERICK

Em 5 de novembro de 2002 o Maverick Thematic Music Bar abriu as portas na cidade de Limeira, no interior de São Paulo. Naquela época o lugar era um dos poucos bares temáticos do Brasil e um dos primeiros do interior paulista a seguir essa tendência americana, com sua decoração com memoromobília sobre carros antigos e música de qualidade, reunindo o melhor das décadas de 50 a 70.

Não demorou muito para o bar se tornar um point para os amantes de carros antigos que faziam seus encontros e expunham suas máquinas no local. Com o passar do tempo o Maverick também conquistou os fanáticos por motos, principalmente o HOG Harley Owners Group que começou fazer seus passeios anuais rumo ao Mav.

O combustível do Maverick sempre foi o Classic Rock. Desde sua abertura, a casa conta com uma programação de shows prestigiando as melhores bandas do interior paulista, reunindo vários estilos autorais e famosas bandas cover, mantendo essa tradição até os dias de hoje.

Em relação à gastronomia, a casa começou oferecendo comidas de boteco e uma farta carta de cervejas importadas que eram raridade na época e. ao longo desses anos, o Mav se tonou uma das mais conceituadas pizzarias napolitanas do Brasil comanda pelo chef Gino Contin Júnior, seu fundador que também implementou no lugar uma adega especializada em rótulos brasileiros e de vinhos fora do mainstream.

Hoje, o Maverick consolidou sua vocação como centro etílico, gastronômico e cultural, promovendo também cursos de pizzas napolitanas com o intuito de ampliar o conhecimento das pessoas sobre essa cultura, atendendo alunos de todo o país e marcando presença nas redes sociais com várias receitas autorais criadas pelo Gino.

O slogan escolhido para a comemoração dos 18 anos é “Just Go” “apenas vá”, uma alusão à liberdade e uma correlação com a própria palavra Maverick, que vem do inglês usado no sudoeste dos EUA (Texas, Arizona, etc.), e representa um novilho ou bezerro que se recusa a ser marcado a ferro, selvagem ou sem dono. Assim é o Mav, sinônimo de liberdade, aventura e rebeldia.

Continue lendo

Gastronomia

Chef indica 5 pratos saborosos da culinária asiática

Avatar

Publicado

em

Com características únicas e uma longa história, a culinária asiática reúne pratos tradicionais famosos pela cor, aroma, sabor marcante e aparência. Os pratos apresentam equilíbrio perfeito e se destacam pelo uso de alimentos que conferem o gosto umami, como cogumelo, tomate e peixes.

A chef de cozinha e nutricionista do Comitê Umami, Lisiane Miura, explica que a escolha específica por esses ingredientes na preparação é o que proporciona o sabor irresistível das receitas. “O umami é o quinto gosto básico do paladar humano, ao lado do doce, salgado, azedo e amargo. E a culinária asiática é capaz de reunir todos os gostos em uma única preparação”, ressalta.

Para quem deseja viajar sem sair de casa, apenas degustando refeições tradicionais, Lisiane preparou uma lista de opções deliciosas. Confira:

Japão
missô-shiru é uma das sopas mais conhecidas da culinária japonesa e muito popular aqui no Brasil. Ela é preparada com missô, que é uma massa cozida e fermentada à base de soja, além da alga kombu e peixe seco defumado (katsuobushi), que ajudam a potencializar o gosto umami na preparação. “Essa sopa tradicional japonesa pode levar alguns complementos como algas do tipo wakame e cubinhos de tofu. Por ter alimentos umami como as algas e o peixe, a refeição auxilia na salivação e trazendo benefícios à digestão e ao organismo”, destaca a chef.

China
Cozido em um caldo, o hot-pot leva fatias de carne, frutos do mar e vegetais. Geralmente, é possível escolher o sabor do caldo, como cogumelo, tomate, original ou picante. “Essa opção promove uma maior experiência gustativa, pois os itens que compõem a receita são verdadeiros realçadores de sabor”, afirma Lisiane.

Coreia
kimchi é uma tradicional conserva muito consumida pela cultura coreana. “Esta receita é marcada pelo processo de fermentação pelo qual os alimentos passam. O preparo é feito com acelga condimentada e apimentada, além de outros ingredientes característicos do gosto umami, como o nabo, o gochujang, que é uma pasta de pimenta vermelha, e molho de peixe. É uma explosão de sabor”, comenta.

Tailândia
O arroz também é um grande protagonista da culinária oriental. Na preparação do pad thai, muito popular na Tailândia, não é diferente. O prato de macarrão com arroz frito é uma popular comida de rua no país. “A preparação pode levar frango, carne, camarão ou tofu, amendoim, ovo mexido, broto de feijão, molho de peixe (nam pla) e pasta de tamarindo. O resultado é uma refeição harmônica de sabor único, complexo e muito rico em umami”, destaca.

Vietnã
Um dos pratos mais representativos da culinária vietnamita é o pho, uma sopa de macarrão de arroz. “Esta especialidade possui um caldo feito a partir de ossos de boi, gengibre, cebola, especiarias e molho de peixe (nam pla), que confere um intenso gosto umami. A sopa pode ser servida com alguns complementos como carne bovina ou camarão, além dos temperos como cebola, limão e ervas frescas”, finaliza Lisiane.

Continue lendo

TENDÊNCIA