0

Você sabe o que é um condicionador de metais? A função principal do Militec 1, o condicionador de metais da Militec Brasil, é tratar o metal de um motor. Ele preserva as partes metálicas dos desgastes naturais, de peças que estão em funcionamento constante. Aplicado nas proporções corretas ele é adsorvido pelo metal, tratando e evitando o desgaste. Devido ao aproveitamento do que seria perdido para o atrito, favorece um funcionamento mais eficiente do motor que, como bônus, ainda gera ganho de potência, economia de combustível, diminuição de temperatura do motor e a redução da emissão de poluentes.

Ainda que seja comum a aplicação do condicionador junto do óleo, o Militec 1 não é um aditivo de óleo, já que ele não contém melhoradores do índice de viscosidade e não altera a composição físico-química do óleo. O condicionador de metais usa o lubrificante como um meio para chegar às superfícies metálicas e aos pontos críticos de calor dentro do equipamento. Quando os alcança, se separa completamente do óleo, fazendo com que as moléculas do Militec 1 se fixem na superfície metálica via adsorção (fixação de molécula de uma substância na superfície de outra). O fenômeno acontece entre 38oC e 66oC e a reação enrijece a superfície e a torna cerca de 17 vezes mais resistente quando a reação se completa.

A orientação da distribuidora exclusiva do produto no Brasil é que o Militec 1 seja utilizado na proporção de um frasco de 200 ml para cada 4 litros de óleo, a cada 20 mil quilômetros, ou seja, ele é independente da troca de óleo, por ser um condicionador de metais e ficar no metal e não no óleo. “Uma vez aplicado, em até mil quilômetros o condicionador de metais já terá alcançado todo o motor do veículo”, explica Paulo Germano, diretor comercial da Militec Brasil.

Momento crítico para os motores

Cerca de 80% do desgaste total do motor ocorre nas partidas a frio, porque é nelas que acontece o contato do metal com metal devido à falta temporária de lubrificação. Com o Militec 1, o que ocorre nessa fase será o contato entre as superfícies tratadas, o que tem por finalidade eliminar esse desgaste.

“O óleo, para atingir o potencial completo de lubrificação no motor de um automóvel precisa estar em uma temperatura adequada. Até que ele atinja essa condição, quem está evitando o desgaste é exatamente o condicionador”, explica Germano.

Três anos de corridas de carros sem quebra de motor

É possível uma modalidade do automobilismo completar três anos de provas constantes sem uma única quebra de motor? A GT Sprint Race comprovou que sim. Tiago Marques, piloto e CEO da marca, explica que a modalidade conseguiu o feito histórico a partir da aplicação do condicionador de metais Militec 1. Segundo o piloto, o aumento da performance conquistado foi essencial para manter a qualidade mecânica, a resistência e a credibilidade das máquinas. Com isso, o recorde foi possível. “Tivemos três anos sem ter quebra de motor. Não existe no mundo todo uma categoria com um desempenho desses. Essa é uma marca histórica”, comemora.

A GT Sprint Race é uma modalidade de corrida de carros acessível a pilotos não profissionais; uma única equipe é responsável por todos os carros do grid. A modalidade já é parte do circuito do automobilismo brasileiro, hoje posicionada entre campeonatos nacionais, como a Stock Car e o Brasileiro de Marcas. Os carros, com chassi tubular em inox e design de carros como Ford Mustang e Chevrolet Camaro, correm com motores de seis cilindros 3.6 de 300cv, suspensão independente nos dois eixos e câmbios sequenciais Sadev.

1,5 milhão de quilômetros e motores preservados

Resultado semelhante ao da GP Sprint Race foi registrado por uma empresa do sistema de transporte urbano de Curitiba e São José dos Pinhais. O Militec 1 é utilizado pela Auto Viação São José dos Pinhais, uma das principais companhias de ônibus do transporte público da capital do estado e do município da Região Metropolitana que dá nome à viação.

A companhia analisou dados de desempenho da frota e de durabilidade de componentes mecânicos obtidos a partir do uso de Militec 1 desde 1992.

Como resultado, a empresa apurou que alguns motores de uso exclusivamente urbano com até 1.500.000 quilômetros rodados ainda mantinham motores originais de fábrica.

“Tivemos vários ônibus nessa realidade, que apenas saíram da nossa operação por já ter atingido os 15 anos de uso [que é o prazo máximo estipulado pela administração pública], então foram vendidos para outros municípios”, conta Dante Franceschi Filho, diretor de Operações da Viação.

“Temos relatos de que esses números não são alcançados por outras empresas, mesmo tento manutenções rígidas. Em alguns casos, a nossa performance chega a ser algumas vezes maior do que quem não usa o produto”, compara o diretor. “São investimentos em equipamentos e tecnologias avançadas que têm aumentado o desempenho da frota para além do esperado pelos fabricantes. É inovação aplicada, testada e validada”, reforça.

Estudo técnico comprova redução de desgaste

Dados preliminares de um estudo sobre condicionadores de metais, o maior em desenvolvimento atualmente no país sobre o assunto, sustentam a ideia de inovação tecnológica contida no Militec 1. Conduzida pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), a pesquisa observou, de modo inicial, que a aplicação do Militec 1 reduziu em até dez vezes o desgaste por atrito em ensaio de pino.

A constatação veio com os ensaios tribológicos, que simulam o contato entre o anel de pistão e parte do cilindro de motor. Os testes compararam os resultados de uma amostra pura de óleo lubrificante comercial e outra com o mesmo óleo somado ao percentual indicado de Militec 1. Segundo o professor dr. Tiago Cousseau, que coordena os estudos com a doutoranda Oriana Palma, mesmo sendo resultados preliminares, “já demonstram desempenho. É evidente que, com o passar do tempo, teremos resultados cada vez mais consistentes sobre essa categoria”, defende.

O estudo, realizado a partir de um acordo de cooperação entre a UTFPR e a Militec Brasil, tem previsão de 48 meses de duração. O objetivo é desenvolver uma metodologia robusta para uma avaliação ainda mais precisa de condicionadores de superfícies.

As análises térmicas e físicas do produto realizadas no âmbito do estudo apontam ainda que o Militec 1 não altera as propriedades do óleo lubrificante tanto em viscosidade quanto em temperatura de oxidação (degradação). “O óleo no qual adicionamos o condicionador não se degrada em um tempo diferente do da amostra pura”, explica Cousseau. “Não há alteração na maneira como o óleo atua no motor nem em seu tempo de vida”, acrescenta. Outros testes estão sendo realizados com base em parâmetros rígidos de análise para avaliar o desempenho do produto.

Onde e como usar o Militec 1

O Militec 1 pode ser utilizado com resultados positivos, sem alteração das tolerâncias de folga, em qualquer equipamento no qual duas peças de metal se friccionem. Saiba onde utilizar o condicionador de metais:

  • em motores de qualquer tipo e tamanho, alimentado por qualquer combustível, seja de dois ou quatro tempos;
  • transmissões e diferenciais automotivos ou industriais;
  • compressores de qualquer tipo, incluindo os de refrigeração;
  • rolamentos, redutoras, bombas e sistemas hidráulicos, correntes, armas, jet skis, karts, bicicletas, hobby modelismo;
centralrbn

Indústrias devem iniciar a transformação digital o quanto antes

Artigo anterior

TS Shara lança linhas de nobreaks UPS Professional Universal e UPS Senoidal Universal

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Notícias