Conecte-se conosco

Notícias

Coelba instala sintema de geração solar de energia para beneficiar área rural do município Remanso

Publicado

em

Coelba instala sintema de geração solar de energia para beneficiar área rural do município Remanso

A comunidade de Xique-Xique, no município de Remanso, na Bahia, será a primeira localidade onde a Coelba irá instalar uma microrrede em área isolada, solução que será abastecida por sistema centralizado com energia solar e armazenamento por baterias. A iniciativa integra um projeto piloto que a companhia realiza para beneficiar uma área rural que ainda não é atendida pela energia elétrica. O diferencial está no sistema de armazenamento e no fator inovador – o mercado de microrredes é pouco explorado no Brasil. A geração na comunidade será exclusivamente solar, com capacidade para atender 103 unidades consumidoras, e as baterias irão garantir o fornecimento por 48h, quando não houver radiação solar suficiente para eficiência máxima pelas placas.

Coelba instala sintema de geração solar de energia para beneficiar área rural do município Remanso

Além do ineditismo dentro do programa Luz para Todos, o projeto envolve a simulação de microrrede para avaliar a aplicação de super capacitores – solução de armazenamento que usa uma tecnologia nova e ainda não disseminada em atividades de campo. “A instalação será capaz de gerar dados para que, em laboratório, seja simulada a aplicação de uma microrrede com armazenamento com super capacitor, bem como avaliar a degradação da placa solar em atuação no ambiente. Participam da pesquisa o LabSolar, primeiro laboratório de estudos e certificação de sistemas de energia solar do Nordeste inaugurado pela Coelba em Salvador em parceria com o Instituto de Física da Universidade Federal da Bahia e com o governo do estado baiano”, informa o gerente de P&D da Coelba, José Antônio Brito.

O projeto, que está em fase de planejamento e tem previsão para início da operação no primeiro semestre de 2021, utiliza recursos do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), integrando ainda o programa do governo federal Luz para Todos, que visa levar eletrificação a áreas remotas, universalizando o acesso à energia. “No momento, a Neoenergia, controladora da Coelba, adota duas soluções para atender a clientes isolados: realizamos a extensão da rede convencional ou implantamos sistemas solares individualizados. As microrredes, com geração e armazenamento centralizados podem ser uma solução para melhorar a eficiência e qualidade do fornecimento”, diz Débora Catão, engenheira de Smart Grids da Neoenergia. 

Diferencial do armazenamento

A capacidade da microrrede desenvolvida pela Neoenergia irá gerar uma potência de 240 kW DC/180 kW AC. Isso significa que o sistema de geração poderá garantir um consumo médio de energia de 80kWh para as 103 residências existentes na comunidade de Xique-Xique. O sistema de armazenamento, com capacidade útil medida do lado AC de 928 kWh, garantirá o mesmo consumo ainda quando não houver radiação suficiente por um período de 48h. Tanto o sol quanto o vento são fontes de geração de energia que estão sujeitas a interferências da natureza, por isso a importância de um sistema que armazena essa energia para momentos em que a captação solar não seja possível. Diante disso, foi realizado um estudo para dimensionar a demanda de energia no local, sendo instaladas baterias de lítio em uma quantidade acima da necessária para reforçar o sistema.

Um sistema de armazenamento apropriado permite que o uso da energia gerada a partir da captação solar não fique restrita a um período, pois o sistema de armazenamento é carregado durante o dia e, à noite, fica disponível para utilização. A vantagem da microrrede também se aplica ao fato de que nem todo mundo usa a energia ao mesmo tempo. Com isso, é possível entregar energia com maior qualidade para quem está consumindo naquele momento”, explica José Antônio Brito.

Impactos sociais e econômicos

Para a realização do projeto, também são levados em consideração aspectos técnicos, financeiros e sociais. O investimento em microrredes está relacionado a expectativa de que a tecnologia tenha maior penetração no mercado, o que vai gerar redução de custos. “Já do ponto de vista social, iremos acompanhar a estimativa de crescimento da comunidade para saber se ela poderia ser absorvida pelo sistema e como as pessoas irão se relacionar com a novidade, de forma a garantir o desenvolvimento da localidade”, afirma Débora Catão.

Com a chegada da energia elétrica na área rural, é comum observar o retorno de algumas famílias que anteriormente haviam migrado para outras regiões, como observa Mayline Pinto, supervisora da Unidade de Gestão do Luz Para Todos. “Temos a preocupação de pensar nos impactos que essa implantação terá na vida das famílias, acompanhando como a comunidade irá se comportar economicamente após ter acesso a energia elétrica. Essa também é uma oportunidade para avaliarmos a viabilidade da instalação da microrrede de geração solar para atender a outras localidades no mesmo modelo, expandindo a universalização do acesso à energia elétrica”.

Existente desde 2004, o programa Luz para Todos é uma parceria do governo federal com as distribuidoras. Somente na Bahia, já foi responsável por mais de 650 mil ligações, levando energia a 1 milhão e 800 mil pessoas da área rural do estado.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *