Bahia é a região do Nordeste com mais statups do setor de alimentos, mostra pesquisa

A Bahia é a região do Nordeste com mais empresas do setor de alimentos (foodtechs), aponta uma pesquisa feita pela PwC Brasil em parceria com a Liga Ventures. O levantamento, que mapeou a evolução do mercado de startups no Brasil, foi realizado entre fevereiro de 2021 e janeiro de 2022.

O estudo aponta ainda que o tipo de foodtech mais escolhido pelos nordestinos é o que trabalha com marketplace de alimentos e delivery. O levantamento, realizado em 396 startups de 23 segmentos por meio do Startup Scanner, identificou o crescimento de 15,5% nas startups entre 2019 e 2021.

Os dados fazem parte do relatório “A evolução das startups no setor de Food Techs”, que traz uma análise completa do setor e os desafios das startups que operam nesse ecossistema, refletindo os novos hábitos de consumo e o futuro da alimentação na sociedade pós-pandemia.

Das 19 startups ativas no Nordeste, cinco delas ficam na Bahia. Entre os destaques baianos estão a Food Share, que possui uma plataforma orientada por dados e focada na área de gastronomia e a TheLivery, uma plataforma online de controle de pedidos com atuação nas cidades de Vitória da Conquista e Jequié.

“O hábito de compra dos consumidores mudou drasticamente com a pandemia, com as pessoas comprando muito mais online, especialmente alimentos, o que refletiu diretamente no crescimento de startups do setor nos últimos 2 anos”, analisa o sócio da PwC Brasil, Carlos Coutinho.

As foodtechs se destacaram na pandemia na formação de ecossistemas com o varejo e indústria e também na questão de adaptabilidade e resiliência, para dar conta da alta demanda. Ao todo foram monitoradas startups de tecnologia para produção de alimentos, da cadeia agropecuária, passando pelas empresas de alimentação por delivery. No período analisado, 154 startups foram adicionadas ao startup scanner, enquanto 119 foram inativadas.