0

Criança paraense que se recuperava da Covid precisou ser internada na época das queimadas; incêndios prejudicaram vida de milhares de moradores na Amazônia

Nesta animação, a Agência Pública mostra como o recorde de queimadas na Amazônia em 2020 se relacionou com a pandemia do novo coronavírus, confundindo pacientes e profissionais de saúde, agravando o quadro de pessoas que estavam doentes ou em recuperação e prejudicando a saúde respiratória dos moradores de nove estados da Amazônia Legal Brasileira.

Série de reportagens revela que houve quase 28 mil casos de pessoas com síndrome respiratória grave no período mais crítico dos incêndios na Floresta Amazônica e que o ano de 2020 registrou novo recorde de queimadas no bioma, que já havia crescido no primeiro ano da presidência de Jair Bolsonaro.

Assista o vídeo

Sobre a Agência Pública – A Agência Pública foi fundada em 2011 por jornalistas mulheres e tem como missão produzir reportagens de fôlego pautadas pelo interesse público, sobre as grandes questões do país do ponto de vista da população – visando o fortalecimento do direito à informação, à qualificação do debate democrático e a promoção dos direitos humanos. Em 2019, nossas reportagens foram reproduzidas por mais de 1000 veículos, sob a licença creative commons. A Agência Pública ganhou mais de 50 prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio Vladimir Herzog, Prêmio República e Prêmio Gabriel García Marquez. Foi o primeiro veículo brasileiro indicado ao Prêmio Liberdade de Imprensa, da organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). https://apublica.org/

centralrbn

EuSaúde convida voluntários para projeto voltado à Covid-19

Artigo anterior

Atleta da ABDA é convocado para Pré-Olímpico de polo aquático

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Notícias