A verdade sobre a transposição do Rio São Francisco
0

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve a coragem histórica de iniciar o Projeto de Integração do Rio São Francisco, que estava há 170 anos no papel! Os governos de Lula e Dilma Rousseff foram responsáveis pela execução de 88% das obras do empreendimento, que vai garantir acesso à água a mais de 12 milhões de pessoas em 390 municípios dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Há quem tente se apropriar da autoria das obras da transposição do São Francisco, mas contra fatos não há argumentos.

Em maio de 2016, mês do golpe contra Dilma, a obra ocorria 24 horas por dia, com 9 mil trabalhadores e 3 mil equipamentos, trabalhando para levar dignidades para as populações do semiárido e demais regiões onde a escassez limita a qualidade de vida e a atividade econômica.

A universalização da água foi um compromisso dos governos de Lula e do PT

Lula e Dilma foram recebidos por uma multidão, em 2017, na inauguração popular do Eixo Leste, em Monteiro, na Paraíba, quando a água começou a chegar à região de Campina Grande, que estava à beira do colapso de abastecimento. O povo reconhece o esforço de quem foi responsável por executar uma obra que estava há 170 anos no papel!

Em carta escrita em 2019, quando estava injustamente preso, Lula relembrou aquele dia.

“Poucas coisas na vida me fizeram tão feliz quanto tirar do papel um sonho de muitas gerações, e tornar realidade a transposição do São Francisco. Uma das melhores lembranças que tenho é a da inauguração popular que fizemos em 2017. Ver a criançada mergulhando, o povo dançando e bebendo daquela água que o sertanejo esperava desde a época do império, nada disso tem preço. Não há dinheiro no mundo que pague os abraços que naquele dia eu recebi de tanta gente molhada de suor do seu trabalho e encharcada das águas do São Francisco”.

 

Tentativa de apropriação

Durante anos figuras políticas tentam se apropriar da autoria do projeto. No exato dia em que o Senado Federal votava relatório do processo que visava afastar a presidenta Dilma legitimamente eleita, ela visitava as obras da transposição em Cabrobó (PE), e certamente teria concluído a empreitada não tivesse sido apeada do poder por políticos que fingiam estar combatendo a corrupção. O golpista e oportunista Temer, em 2017, tentou sequestrar a autoria do projeto quando inaugurou uma obra incompleta e sem nenhuma grandeza política, mesmo tendo executado apenas 5% do trabalho.

Bolsonaro faz o mesmo. Desesperado com o resultado das pesquisas eleitorais que mostra sua rejeição na região Nordeste, tenta ganhar alguma popularidade às custas do trabalho e dedicação alheios. Ele foi o responsável por apenas 7% da obra.

É bom lembrar que Temer e Bolsonaro abandonaram o projeto da transposição, sendo necessária a realização de muita pressão popular para provocar a retomada da obra.

Ainda assim, Jair esteve essa semana no município de Jardim de Piranhas (RN), onde promoveu uma “festa” para simbolizar a chegada do volume de água da transposição do rio ao Rio Grande do Norte. Só faltou a água! Erro de cálculo e desconhecimento do Rio Piranhas por parte da equipe do governo federal, fizeram com que a água não chegasse a tempo ao território do estado onde se encontrava a comitiva presidencial. Bolsonaro inaugurou obra com água de chuva!

Em entrevista nessa quarta-feira (9), Lula falou sobre a tentativa de Bolsonaro de assumir a autoria das obras e desafiou o presidente a reconhecer que a execução se deu nos governos do PT:

“A transposição do Rio São Francisco está sendo concluída. Eu só espero que o Bolsonaro, que está fazendo viagem para inaugurar o pedacinho que ele concluiu, tenha a coragem de dizer: ‘Eu estou inaugurando aqui, mas quem começou essa obra foi o presidente Lula’”.

*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe com seus amigos



centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar