Conecte-se conosco

Gastronomia

14 de abril, Dia do Café: pacientes com refluxo não precisam cortar o café da dieta

Publicado

em

Ao acordar, na pausa do trabalho, em um bate-papo com os amigos, na reunião de negócios ou depois do almoço para dar aquela despertada. Quase impossível imaginar situações como essas sem pensar no tão amado café.

Não é à toa que ele está presente em 98% dos lares brasileiros e é a segunda bebida mais consumida no país, ficando atrás apenas da água, conforme mostrou pesquisa encomendada pela Jacobs Douwe Egberts (JDE) em parceria com a Aocubo Pesquisa. Além do apelo sentimental, o café ainda ganha destaque pela grande quantidade de nutrientes e antioxidantes que estão associados a diversos benefícios, como aumento da energia, melhora do desempenho físico e da memória, prevenção de doenças, entre outros.

Por outro lado, a bebida também pode causar males à saúde se consumida em excesso, inclusive em pacientes com a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), conforme explica o médico especialista em videocirurgia e cirurgia bariátrica e metabólica, Thiago Patta. “Além do relaxamento do esfíncter esofágico, válvula de entrada do estômago, causado pela cafeína promovendo o retorno do ácido do estômago para o esôfago, o café também é um irritante da mucosa gastrointestinal, podendo causar gastrites e esofagites se utilizado em excesso”, esclarece.

Mas isso não significa que o paciente com refluxo gastroesofágico precisa cortar de vez a bebida da sua dieta. Pelo contrário, na maioria dos casos, ele pode continuar tomando seu cafezinho diariamente, desde que siga alguns cuidados especiais.

Thiago destaca que, para quem sofre da DRGE, o ideal é suspender o consumo do café por um período mínimo de 30 dias e alinhar a reintrodução e quantidade adequada com o médico, mas, de forma geral, o aconselhável é não ultrapassar três xícaras pequenas por dia.

Uma alternativa é fracionar ainda mais esta quantia no decorrer do dia e dar preferência para o momento após as refeições, assim como para o café descafeinado. Outra opção para amenizar o desconforto no estômago daqueles que não abrem mão da bebida é misturar o leite ao café.

“O grande segredo é evitar tomar café como lanche, de estômago vazio. É uma bebida que foi desenvolvida para se tomar após a refeição, para tirar aquela moleza, sonolência e, estando com o estômago forrado de alimento, ele vai causar menos mal. Mas lembrando que o leite em excesso também pode prejudicar o refluxo porque ele é muito calórico e a gordura também relaxa o esfíncter esofágico inferior”, adverte o médico.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda PODCAST RBN

TENDÊNCIA