Vito Velasso solidifica trabalho solo com álbum “interminável dança dos sonhos”
0

Vito Velasso assume um novo corpo de trabalho e uma identidade sólida e madura em seu projeto solo. O músico mineiro João Vitor, também conhecido como Vito, agora assume uma nova alcunha para traduzir um renascimento musical e criativo no seu primeiro álbum completo de estúdio. “interminável dança dos sonhos” mescla low trap, dance music e experimental a MPB, soul music e rap em um rico caleidoscópio rítmico e poético. O trabalho está disponível nas principais plataformas de streaming.

 

Ouça “interminável dança dos sonhos”: https://smarturl.it/iddsAlbum

 

O álbum marca o recomeço do projeto solo de Vito Velasso nessa que é a mais recente de suas múltiplas encarnações musicais. Camaleônico por natureza, o músico se reinventa a cada nova fase, passando por gêneros musicais diversos. Sem se limitar por rótulos, Vito propõe um ousado mergulho pessoal não apenas nas suas canções, mas também em seus vídeos. O disco chega após o EP visual “O Amor é um Lindo Caminho até a Morte” e dois EPs onde o artista recriou composições de Zé Ramalho e Los Hermanos.

 

“interminável dança dos sonhos” reúne treze faixas, sendo oito inéditas e outras cinco lançadas durante o ano de 2021. O álbum carrega uma identidade densa e dançante, com instrumental eletrônico acompanhado de um trio de metais, guitarras e vozes. Vito, que assina a composição e produção desse trabalho, se uniu a músicos mineiros e paulistas pra transformar o disco em uma experiência nova para quem ouve.

 

Com letras que abordam desde questões cotidianas até inquietações com nossa forma de viver em sociedade, “interminável dança dos sonhos” passa por momentos reflexivos, alegres, acelerados e nostálgicos, assim como é a vida: cíclica e progressiva. Buscar essas nuances, tanto temáticas quanto estéticas, é um mote para o trabalho do músico ao longo dos anos.

 

Vito Velasso é cantor, compositor e produtor musical que vem construindo sua trajetória musical desde muito cedo. Aos cinco anos, iniciou os estudos de bateria. Aos 11, se tornou o único membro mirim do grupo Tambor Divino, projeto de Daniel Penido que resgatava a cultura da música regional mineira e contava com dezenas de músicos e percussionistas. Na mesma época, passou a estudar violão e compor e a primeira banda viria aos 14 anos, criando e recriando canções de pop rock e com quem se apresentaria ao longo de dois anos.

 

Passou a estudar piano e, posteriormente, se voltou para a técnica vocal. A partir daí, se dedicou a um grupo de reggae e pop reggae por três anos, com shows e gravações. Por fim, veio um curso de produção de música eletrônica que mudaria os rumos da sua carreira. Depois de uma mudança para Belo Horizonte e uma nova banda, também voltada para o reggae, agora o músico se dedica a uma trajetória solo, iniciada com o EP “Convicto”, se lançando como Victo. O projeto lhe rendeu três passagens pelo FENAC (Festival Nacional da Canção), entre outros festivais de música autoral em Minas Gerais e São Paulo.

 

Enquanto compunha canções que viriam a se tornar o álbum “Ísis”, lançado em 2016, Vito também se dedicava a um trabalho voltado para a música eletrônica. Nessa época, passou a se dedicar ao teatro musical em São Paulo, tendo participado como barítono da peça “33 Variações de Beethoven”.

 

Entre gravações e apresentações, lançou novos EPs, videoclipes e singles, todos dentro do projeto Victo. Em 2018, entrou para o curso de construção de canções na Universidade de Coimbra, em Portugal, onde viveu por três meses. Retornando a São Paulo, integrou a equipe de compositores de trilha sonora de “Quasímodo”, peça que contava com quase cem pessoas entre elenco e produção e que estrearia no fim de 2018. Por questões de incentivo e estrutura, acabou sendo cancelada.

 

Após um longo período entre todos esses trabalhos e seu projeto autoral, Vito decidiu recomeçar. Mais de trinta músicas foram escritas e produzidas até que as treze do disco “interminável dança dos sonhos” fossem escolhidas. Agora, João Vitor se batiza oficialmente como Vito Velasso na sua trajetória musical.

 

Um ano e meio se passou entre o início da composição do disco e o lançamento da primeira música, “Por Engano”. Ela, que faz parte da trilogia de videoclipes “O Amor é um Lindo Caminho até a Morte”, marcou o retorno do artista ao mercado musical. Agora, Vito Velasso olha para o futuro com uma nova coleção de canções que atestam sua versatilidade e inquietude artísticas. “interminável dança dos sonhos” está disponível nas principais plataformas de música.

 

Ouça “interminável dança dos sonhos”: https://smarturl.it/iddsAlbum

centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar