Conecte-se conosco

Esportes

Vento forte marca primeiro dia de regatas da Copa Brasil de Vela 2021 em Ilhabela (SP)

Publicado

em

Vento forte marca primeiro dia de regatas da Copa Brasil de Vela 2021 em Ilhabela (SP)

A corrida olímpica para Paris 2024 começou como quase todo velejador que se preze gosta: água gelada e vento frio em uma das raias mais tradicionais do País, que é Ilhabela (SP). A nona edição da Copa Brasil de Vela teve seu primeiro tiro de largada na tarde desta quarta-feira (13) na Escola de Vela Lars Grael, litoral norte de São Paulo.

A competição, que reúne quase 200 atletas, teve disputas nas classes ILCA 7 (Masc.), ILCA 6 (Fem.), ILCA 6 (Masc.), 470 (Misto), 49er, Snipe (misto), Hobie Cat 16, Star, 420 (Aberto e Fem.), 29er (Masc e Fem), ILCA 4.7,  HC 16 com balão (Misto), Dingue, e Bic Techno 293+ (Masc e Fem).

A competição, organizada e chancelada pela CBVela – Confederação Brasileira de Vela, conta também com as classes Windsurf Formula Foil, Formula Kite, iQFoil, Nacra 17 (Misto) e Finn, que terão suas primeiras regatas amanhã, na quinta-feira (14).

A Copa Brasil de Vela foi disputada pela primeira vez em 2013 e teve grande adesão de atletas logo de cara, inclusive com velejadores estrangeiros. O evento faz parte do Plano de Alto Rendimento (PAR) da CBVela, que analisa os resultados e desempenhos dos velejadores em competições, que podem ser convocados para treinamentos e participação em outros campeonatos nacionais e internacionais.

O evento será classificatório para o Mundial da Juventude que ocorre em Omã, além de somar pontos para os Jogos Pan-Americanos de Santiago de 2023 e também para os Jogos Olímpicos de Paris em 2024. Por isso, grandes nomes da modalidade participam das provas.

A Copa Brasil de Vela Jovem é realizada ao mesmo tempo e conta com a participação das classes: Bic Techno 293+, Laser Radial, 420, 29er e HC 16 com Balão. O evento também tem apoio do Comitê Brasileiro de Clubes sendo um CBI – Campeonato Brasileiro Interclubes.

Vento Favorável 

A organização aproveitou o vento favorável no Canal de São Sebastião para a realização do máximo de regatas possível para todas as classes. Na maioria das categorias foram realizadas três regatas com intensidade forte, de 90º de direção.

O objetivo da CBVela é que os velejadores curtam a experiência e se desenvolvam ainda mais em suas respectivas classes. ”Tenho certeza que todos saíram satisfeitos da água”, comentou Cuca Sodré, coordenador de provas.

A previsão para esta quinta-feira (14) é que o vento esteja com menor intensidade, mas ainda favorável para a realização das regatas. “Amanhã a gente ainda tem um vento legal, mais fraco um pouco, depois temos um dia ou dois em dúvida, mas a previsão é que não teremos chuva, com vento mais médio, com menos correnteza, com mar com onda menos picado, mas acredito que amanhã iremos mais para o lado norte do canal”, completou Cuca Sodré.

Os primos Marco e Nick Grael do 49er ficaram em segundo no resultado parcial depois de três regatas realizadas na classe. Eles são filhos de Torben e Lars, respectivamente, e contam com histórico de sucesso assim como seus pais.

“O vento hoje era leste e a nossa raia foi a mais perto de São Sebastião. Fizemos um quarto, segundo, primeiro nas regatas. A flotilha está muito legal, muito parecida. A disputa vai ser muito boa, o nível da galera está muito bom”, comentou Nick Grael, filho de Lars Grael.

Na corrida pela vaga no Mundial da Juventude, os três primeiros da classe ILCA 6 Radial masculino, Felipe Fraquelli,  Mathias Reimer e Pedro Madureira se destacam e prometem uma disputa acirrada até domingo (17). Pedro Madureira começou melhor, com 4 pontos, seguido por Mathias Reimer (7) e Felipe (7).

O 470 conta com grandes nomes do esporte brasileiro e as regatas são realizadas nos moldes de Paris 2024, com duplas mistas. Ana Barbachan, atleta olímpica de três edições está na briga junto com a campeã mundial feminina de Snipe e medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, Juliana Duque, que começou liderando o resultado parcial da classe com seu marido, Rafael Martins.

A Copa Brasil de Vela é uma competição organizada pela CBVela e foi disputada pela primeira vez em 2013. Ela foi criada para servir de preparação aos velejadores visando o ciclo olímpico dos Jogos do Rio 2016. Com grande adesão de atletas, inclusive velejadores estrangeiros, a competição se firmou e hoje é a mais importante da vela brasileira de barcos monotipos.

As provas estão sendo transmitidas pela TVN Sports no Canal Olímpico do Brasil. Clique aqui e assista ao Canal Olímpico Brasil.

Acompanhe todos os resultados no site oficial da CBVela: https://www.cbvela.org.br/.

Abertura oficial com autoridades

O dia começou com a cerimônia de abertura e contou com a participação do Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, Secretário de Esportes do município, Harry Finger, Secretário do Meio Ambiente de Ilhabela, Xico Graziano, Vice-Presidente da CBVela, Daniel Bezerra, Diretora de Sustentabilidade da CBVela,  Sandra Di Croce Patrício, Cuca Sodré, coordenador de prova, além do representante da Sabesp.

“Hoje, estamos aqui fazendo a abertura dessa etapa importante da vela nacional, o campeonato brasileiro que é classificatório não só para mundiais como também para as Olimpíadas de Paris. A nossa expectativa é muito grande. Para nós é muito importante”, comentou o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci.

A competição volta à Escola de Vela depois de quatro anos e terá como novidade a VII Copa Brasil de Vela Jovem, que será realizada no mesmo local e data e  servirá como experiências e chance para jovens velejadores fixarem ainda mais seus nomes na vela brasileira.

“Eu quero agradecer demais à CBVela, em especial o Daniel, vice-presidente que está aqui conosco, Marco Aurélio, nosso presidente. Ilhabela só é capital da vela se a CBVela estiver conosco. A gente sabe da importância da vela para o esporte brasileiro e a gente quer participar da construção de um alicerce e de um futuro muito maior. Contem com Ilhabela, nós contamos com vocês, CBVela”, concluiu Toninho.

Evento Sustentável 

A Copa Brasil de Vela vai calcular e compensar as emissões de gases do efeito estufa geradas pelo consumo de combustível fóssil das embarcações de apoio às regatas.

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela), em parceria com a Prefeitura de Ilhabela e com patrocínio da SABESP, planeja, conseguir uma compensação ambiental que torne o evento mais sustentável.

“A World Sailing tem uma agenda de sustentabilidade orientada pela grande agenda de sustentabilidade do COI. Todas elas seguem a agenda da ONU, que ficou muito conhecida porque ela tem 17 objetivos de desenvolvimento sustentável”.

”A nossa ideia foi trazer para a Copa Brasil de Vela essa informação e também fazer algumas iniciativas muito práticas, como por exemplo a compensação da emissão de carbono que vem da queima de combustível fóssil dos barcos que vão acompanhar as regatas. Vamos ter um evento de carbono neutro pela primeira vez”, disse a Diretora de Sustentabilidade da CBVela, Sandra Di Croce Patrício.

Ao final da Copa, todas as pessoas responsáveis por embarcações a motor informarão à equipe da CBVela a quantidade de litros de combustível consumida durante o período de regatas. Com estes dados, o Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza vai calcular a quantidade de gases do efeito estufa (carbono equivalente) emitida pelos barcos.

Depois, um outro cálculo vai indicar a quantidade de mudas de árvores que deverão ser plantadas e mantidas por um período de dois anos para compensar a pegada de carbono da Copa Brasil de Vela 2021.

“Isso é muito interessante para que a vela se engaje nessa grande questão das emissões de carbono. A agenda da sustentabilidade quando ela entra em uma população ou instituição, ela entra para ficar. É um caminho sem volta”, concluiu Sandra.

A compensação será feita no município de Ilhabela, em área de reflorestamento, com mudas de palmeira juçara. No mesmo período da Copa Brasil de Vela, Ilhabela (SP) receberá o XVII Simpósio de Segurança do Navegador Amador, no Yacht Club de Ilhabela (YCI). O evento terá uma série de atividades dentro e fora do mar, incluindo palestras, treinamentos e provas.

Sobre a CBVela

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Tem o Bradesco como patrocinador oficial, e o Grupo Energisa como parceiro oficial e patrocinador da Vela Jovem. A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: oito. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 19 medalhas em Jogos Olímpicos.

Katarine Monteiro é jornalista especializada em esportes olímpicos e em saúde. Com cobertura de grandes eventos internacionais, como Jogos Pan-Americanos em Lima 2019, Qatar Total Open 2020, Qatar ExxonMobil Open 2019 - tênis em Doha (QT), Semana de Vela de Ilhabela, Transat Jacques Vabre 2019 (França-Brasil), L'Étape Brasil by Tour de France, também já fez coberturas de natação, maratona aquática, vôlei, polo aquático, Fórmula E, vela, skate e boxe, além de eventos esportivos como assessora de imprensa, relações públicas e social media. 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *