Conecte-se conosco

Educação

Simulador leva transformação digital para faculdades de Direito

Publicado

em

Simulador leva transformação digital para faculdades de Direito

Instituições que ofertam o curso de Direito agora contam com uma plataforma que está fazendo toda diferença no ensino e aprendizagem da Prática Jurídica. JURISTTA é um simulador que oferta aos alunos e professores toda a experiência vivida por um advogado durante a sua atuação profissional. A plataforma é 100% online e já está presente em instituições de ensino de Minas, Goiás e Rio Grande do Sul.

O realismo da experiência é a grande aposta do Juristta para aumentar a absorção de conhecimento do aluno. No conteúdo produzido em parceria com professores de práticas jurídicas, vídeos gravados com atores relatam problemas comuns trazidas por clientes em escritórios de advocacia. A partir da escuta, o aluno de Direito pode organizar sua estratégia de defesa ou acusação, reunindo provas e documentos que são gerados dentro da própria plataforma. Em seguida o estudante entra com a petição inicial, dando andamento ao rito do processo. Os prazos e sentenças são determinados pelo professores, que fazem as avaliações e até podem realizar uma audiência pública dentro do JURISTTA. Toda metodologia é construída para simular os ritos do Processo Judicial Eletrônico (PJe) presente em todos os tribunais do Brasil.

 

Uma das grandes vantagens destacadas pelo CEO do Juristta, Fernando Souza, é a aproximação da teoria ministrada em sala de aula à prática do profissional do Direito. ‘Imagine se você é um estagiário em um escritório de advocacia durante seis meses. Muito provavelmente terá a oportunidade de acompanhar apenas partes de vários processos, porque a justiça demanda muito mais tempo para concluir todos os trâmites. Dentro da plataforma, o professor pode organizar um rito para ser transitado em questão de dias e o aluno pode exercitar a prática inteira, saindo da faculdade muito mais preparado para o mercado de trabalho e para o exames da OAB”, explica.

Segundo dados do Exame de Ordem em Números, realizado pela Fundação Getúlio Vargas, estudantes de Direito precisam em média de pelo menos três tentativas até atingirem a pontuação mínima do Exame da OAB. Para aumentar a eficiência dos alunos no exame da OAB, a plataforma se inspira na teoria da Pirâmide da Aprendizagem de William Glasser, psiquiatra americano, que afirma que ao exercitar e ensinar um conteúdo é possível absorver até 95% de conhecimento, enquanto metodologias comuns são responsáveis por apenas 50% de aprendizado.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *