conecte-se conosco

Estilo e Vida

Sete lições dos samurais para enfrentar os medos na pandemia

Avatar

Publicado

em

Para atravessar calamidades não basta ter calma, precisa ter coragem e satisfação, como pregavam os lendários guerreiros samurais. Em tempos de pandemia e lockdown, se inspirar nos sete pilares da filosofia samurai pode ajudar a atravessar a tormenta com a mente, corpo e autoestima fortalecidos. E isso não requer treinamentos com espada. Fazer uma boa ação, praticar solidariedade, não espalhar fake news e ser gentil com o próximo podem ajudar a vencer o medo.

O código que define a conduta dos guerreiros orientais tem conceitos que auxiliam na conquista de mais qualidade de vida. Justiça, benevolência, coragem, compaixão, verdade, polidez e lealdade são os pilares que sustentam a força, a determinação e a resiliência dos samurais. “Ser sensível ao sofrimento e às necessidades do outro nos traz resiliência para enfrentarmos nossas frustrações e encontrarmos ânimo e disposição para sermos fortes e confiantes na batalha que vivemos”, explica o consultor de executivos e guerreiro samurai com formação no Japão, Wagner Thiele.

Uma importante lição a ser aplicada neste momento é a verdade, diz o consultor. “Não crie polêmicas com informações falsas, não divulgue informações que desviam as pessoas do caminho da verdade. A verdade tem o poder de salvar vidas”.

Wagner Thiele participa da cerimônia do chá

Segundo Thiele, nunca foi tão importante absorver o que esses guerreiros podem ensinar. Sempre acostumados a lidar com o risco iminente, com a guerra, com as atrocidades da vida e da natureza, desenvolveram um pensamento para ter foco. “Pratique boas ações, ajude o próximo. Neste momento de crise, a solidariedade é fundamental”, diz.

“Neste momento de pandemia temos a oportunidade de, assim como os samurais, olhar para nossa vida e ver o que podemos fazer melhor, através da simplicidade. Melhorar a maneira como a gente pensa, como se relaciona, desenvolver um código de honra para superarmos os desafios, enfrentarmos o medo com coragem, conversarmos sobre o conflito com polidez e desenvolvermos muito mais respeito dentro de nossas casas”, afirma Thiele.

O consultor conta que os samurais aprenderam a valorizar a simplicidade de cada momento. “Por isso o que importa é o que se vive no presente, no agora, sem projeção de futuro. E é assim que devemos nos portar neste momento incerto, em que existem mais dúvidas do que respostas. Vamos vencer cada dia dessa pandemia com a força interior que temos e não ficarmos projetando o que vai ser no futuro. A força está dentro de cada um de nós e os pilares dos samurais podem nos ajudar a construir essa fortaleza necessária para nos proteger”, afirma.

Wagner Thiele é guerreiro samurai, com formação no Japão

SETE PILARES SAMURAIS PARA QUALIDADE DE VIDA:
1- Justiça – ser justo é ser seguidor do bem comum, é zelar pelo coletivo de acordo com as regras e as normas do combate à pandemia.
2- Benevolência – quando somos benevolentes, praticamos o altruísmo e com isso nos sentimos úteis. Essa sensação nos traz bem-estar e alegria.
3- Coragem – a coragem é a força do nosso coração para enfrentarmos nossos medos e depende das virtudes que formamos em nosso caráter.
4- Compaixão – ser sensível ao sofrimento nos traz ajuda a enfrentar nossas frustrações e a encontrar ânimo para sermos fortes e confiantes.
5- Verdade – não criar polêmicas com informações falsas é fundamental para um coração limpo. Busque a verdade e seja verdadeiro.
6- Polidez – seja gentil com todos, só guerreiros poderosos conseguem ser delicados para expressar o que pensam, por isso influenciam um batalhão a lutar por um propósito.
7- Lealdade – ser leal é vital para vencer uma causa. Hoje a nossa é o combate à pandemia: devemos sair dela melhor do que entramos.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Portaria que destina verba a ações para gestantes é publicada no DOU

Redação

Publicado

em

Por

Uma Portaria do Ministério da Saúde com incentivo financeiro federal de custeio para desenvolvimento de ações estratégicas de apoio à gestação, pré-natal e puerpério, com vistas ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus foi publicada nesta segunda-feira (19) no Diário Oficial da União.

Segundo o Ministério da Saúde, R$ 247 milhões serão destinados, por meio do Fundo Nacional de Saúde (FNS) aos fundos Municipais e Distrital de Saúde, de modo automático e em parcela única. Os recursos serão aplicados, por exemplo, na identificação precoce, no monitoramento de gestantes e puérperas com síndrome gripal, síndrome respiratória aguda grave ou com suspeita ou confirmação de covid-19.

A verba também será investida na qualificação das ações de atenção ao pré-natal odontológico e no suporte ao distanciamento social para gestantes e puérperas que não possuam condições para realização de isolamento domiciliar. Nesse sentido, os recursos vão fomentar a utilização das Casas de Gestante, Bebê e Puérpera.

Ainda entre as ações estratégicas, a norma prevê que a verba repassada em caráter extraordinário possa fortalecer e garantir o cuidado das gestantes e puérperas em todos os pontos da Rede de Atenção à Saúde e fomentar a realização de testagem para detectar a covid-19, por metodologia de RT-q PCR da gestante e puérpera que apresente síndrome gripal, síndrome respiratória aguda grave ou sintomas da covid-19, em qualquer momento da gestação, conforme recomendação do Ministério da Saúde;

A Portaria prevê ainda que o auxílio extraordinário possa fomentar a realização dos exames preconizados pela Rede Cegonha até a 20ª semana de gestação promovendo a identificação de doenças preexistentes em tempo oportuno.

Adiamento da gravidez

Na última sexta-feira (16) o secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Parente, recomendou que, se possível, mulheres adiem a gravidez até uma melhora nos números negativos da pandemia.

“Caso possível, postergar um pouco a gravidez, para um melhor momento, em que você possa ter a sua gravidez de forma mais tranquila. A gente sabe que na época do zika, durante um, dois anos, se teve uma diminuição das gravidezes no Brasil, e depois aumentou. É normal. É óbvio que a gente não pode falar isso para alguém que tem 42, 43 anos, mas para uma mulher jovem, que pode escolher um pouco ali o seu momento de gravidez, o mais indicado agora é você esperar um pouquinho até a situação ficar um pouco mais calma”, ressaltou o secretário, que também é ginecologista.

O alerta foi feito pelo fato de que a gravidez é uma condição que favorece a formação de coágulos no sangue, as chamadas tromboses. Essa complicação pode tornar a Covid-19 ainda mais perigosa durante as gestações.

Assista na TV Brasil

YouTube video

Karine Melo – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Saúde

Rio começa a vacinar hoje crianças e gestantes contra gripe

Redação

Publicado

em

Por

O estado do Rio de Janeiro inicia hoje (19) a imunização de crianças, gestantes, puérperas e indígenas contra a gripe. A campanha começou na última quarta-feira (14), com a vacinação de profissionais que atuam em unidades de saúde. A previsão da Secretaria Estadual de Saúde é, até julho, imunizar 6,8 milhões de pessoas ou 90% dos grupos prioritários. A campanha é dividida em três etapas.

A segunda etapa, que se estende de 11 de maio a 8 de junho, focará em idosos com 60 anos ou mais e professores. Já a última etapa, de 9 de junho a 9 de julho, será voltada a pessoas com comorbidades e profissionais como caminhoneiros, rodoviários, profissionais de segurança etc.

Quem tomou a vacina contra a covid-19 precisa ficar atento ao intervalo entre as duas vacinas. Os imunizados com a CoronaVac podem tomar a vacina contra a gripe 15 dias depois da segunda dose. Já quem foi imunizado com a Oxford/AstraZeneca pode tomar a vacina contra gripe 15 dias depois da primeira dose.

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Saúde

SP abre vacinação dos profissionais de saúde a partir de 47 anos

Redação

Publicado

em

Por

Começa nesta segunda-feira (19) a vacinação do grupo prioritário formado por trabalhadores dos serviços da área de saúde com 47, 48 e 49 anos na capital paulista. O público-alvo é de cerca de 40 mil pessoas.

Trabalhadores dos serviços de saúde são todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. 

O grupo inclui os profissionais de saúde, com prioridade neste momento a médicos; enfermeiros/técnicos e auxiliares; nutricionistas; fisioterapeutas/ terapeutas ocupacionais; biólogos; biomédicos/técnicos de laboratório que façam coleta de RT-PCR SARS CoV2 e análise de amostra de covid-19; farmacêuticos/técnico de farmácia; odontólogos/ASB (auxiliar de saúde bucal) e TSB (técnico de saúde bucal; fonoaudiólogos; psicólogos; assistentes sociais; profissionais da educação física e médicos veterinários.

Toda a rede de vacinação da cidade – inclusive as 468 unidades básicas de Saúde (UBS) – está disponível aos públicos elegíveis da campanha, o que inclui pessoas de grupos prioritários anteriores que ainda não iniciaram ou completaram o esquema vacinal.

A Secretaria Municipal de Saúde alerta que, mesmo após a vacinação, as pessoas devem manter as regras de distanciamento social, o uso de máscaras e a lavagem constante das mãos. O uso de álcool em gel também segue indispensável.

A secretaria recomenda ainda que as pessoas busquem a vacina de maneira gradual, evitando aglomerações nos postos da capital e preenchendo o pré-cadastro no site Vacina Já, a fim de agilizar o tempo de atendimento para imunização.

Informações também podem ser obtidas acessando o link Vacina Sampa.

Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

TENDÊNCIA