Inverno e as baixas temperaturas podem aumentar a queda dos cabelos?

O inverno pode trazer problemas para o couro cabeludo e para os fios de cabelo. Mas, não é diretamente a temperatura mais baixa a responsável por isso: o que pode atrapalhar são as mudanças de hábitos que ocorrem durante a estação, como a ingestão de alimentos mais gordurosos e os banhos com água mais quente. É o que explica o médico e tricologista Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia e Diretor Médico do Instituto do Cabelo. “Com uma alimentação mais calórica e gordurosa, há um aumento significativo da produção efetivada pela glândula sebácea, que fica no interior do couro cabeludo, adjunta ao bulbo capilar. Os banhos quentes também causam essa elevação no que é fabricado pela glândula. Isso causa um excesso de seborreia e leva a uma dermatite seborreica, que são as conhecidas caspas”, explica.

Além de intensificar a produção de gordura, os banhos quentes têm outro agravante: provocam uma desidratação dos fios de cabelo, causando ressecamento, aumento de frizz, dificuldade de pentear e, ainda, queda de cabelo, porque com o calor há uma dilatação do óstio, que é o poro por onde emerge o fio que vem da raiz capilar.

Sobre a alimentação, o especialista comenta que é comum que as pessoas ingiram comidas mais calóricas em maior quantidade durante o inverno, como hambúrgueres, pizzas, carnes gordurosas, chocolates e doces, e que é preciso ter cuidado com essa dieta. Mas, há ainda outro motivo de atenção: o excesso de ingestão de café e chás, que também possuem cafeína. A quantidade regular de consumo dessas bebidas seria de, no máximo, quatro xícaras ao dia. Passando disso, é possível que a pessoa apresente ansiedade, já que a cafeína é uma substância que pode acarretar esse problema. E essa ansiedade leva ao aumento de cortisol, o que também provoca a queda de cabelo. “Diretamente o café até faz bem para o cabelo, porque ele é antioxidante. O problema acontece apenas quando ele é ingerido em excesso, o que muitas pessoas fazem no inverno, buscando se esquentar. Então, é preciso manter o controle, para que isso não chegue ao ponto de afetar o cabelo”, diz o médico e tricologista.

Outra dúvida que surge durante esses dias mais frios é em relação ao uso de acessórios na cabeça, como toucas, bonés, boinas e gorros. Eles podem ser usados sem problemas, se não for por longos períodos.

Quando utilizados da maneira correta – apenas quando a cabeça está exposta ao frio – eles, no máximo, causaram suor na cabeça, o que não faz mal para o couro cabeludo ou para o fios, já que o suor é composto apenas por água e sal. Mas, se eles forem usados sem necessidade, quando há sol ou quando não está frio, também podem culminar no aumento da gordura no couro cabeludo.

  

Dicas

Para que não haja queda de cabelo durante o inverno – ou em qualquer outra estação – e para manter os fios sempre com ótima aparência, algumas orientações devem ser seguidas:

– Manter higiene diária, lavar cabelo todos os dias que é o ideal;

– Lavar o cabelo com a água em uma temperatura média de 20ºC, o que significa sentir frio na cabeça, a água não pode estar em uma temperatura agradável;

– Esfregar o cabelo com muita suavidade e sempre na direção dos fios;

– Utilizar shampoo com PH neutro, ou seja, PH ácido – assim como o couro cabeludo e os fios;

– Evitar shampoos com corantes excessivos ou optar pelos corantes naturais;

– Hidratar os fios, pelo menos, uma vez por semana, com uma máscara contendo manteiga de karité ou outros componentes como óleo vegetal de coco e murumuru;

– Evitar o uso em excesso do secador e nunca utilizar ‘chapinha’;

– Utilizar o secador a 30 cm de distância e em uma temperatura média.

  

Sobre o Instituto do Cabelo

O Instituto do Cabelo é uma clínica médica, registrada no CRM sob o número 38045, especializada no tratamento capilar de homens, mulheres e crianças.

À frente dos trabalhos estão o Dr. Luciano Barsanti e a Dra. Marcia Cecilio.

O currículo do Dr. Luciano Barsanti dispensa quaisquer outras apresentações. Médico e Tricologista, ele é Presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia “SBTri”, membro titular do American Hair Loss Council – USA e da Sociedade Italiana de Tricologia, além de membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia. É Diretor Médico do Instituto do Cabelo.

Junto a ele está a Dra. Marcia Cecilio, Diretora Científica do Instituto do Cabelo. Médica e Tricologista, ela é membro titular do American Hair Loss Council – USA, membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, e membro da Sociedade Brasileira de Tricologia “SBTri”.

O protocolo médico do Instituto do Cabelo utiliza métodos não-invasivos para diagnóstico do problema capilar e seu melhor tratamento. Isso significa que a recuperação da saúde dos cabelos se faz sem injeções no couro cabeludo (mesoterapia), cirurgias, técnicas artificiais de entrelaçamento ou próteses.

No tratamento não-invasivo, são utilizados equipamentos para eletroestimulação do bulbo do cabelo e desobstrução do óstio (orifício) capilar.

 

Métodos avançados de diagnóstico: Para a detecção dos problemas capilares envolvidos, o paciente é submetido à consulta médica e ao exame tricológico, por meio de scanner do couro cabeludo, e à microscopia da raiz capilar (bulbo). A partir desse diagnóstico, o paciente é encaminhado ao tratamento.

Tratamento: No tratamento não-invasivo, são utilizados equipamentos pra eletroestimulação do bulbo do cabelo e desobstrução do óstio (orifício) capilar. O Instituto do cabelo utiliza tecnologia de laser de baixo comprimento de onda para a recuperação capilar.

O FDA Americano avaliza o laser de baixa penetração como uma das tecnologias para o tratamento de recuperação capilar. A técnica chama-se LLLT (Low Level Laser Therapy), também conhecida como laser frio. Estudos científicos internacionais demonstraram o aumento da multiplicação celular da raiz do cabelo, aumentando a velocidade de crescimento dos fios e melhorando a densidade capilar, a partir desse tratamento.

Outras terapias auxiliares são adotadas para que o tratamento se potencialize, já que os pacientes podem necessitar de atendimento multidisciplinar que, apenas a partir de uma consulta médica, serão indicados.

O Instituto do cabelo oferece atendimento específico para a recuperação capilar após a gravidez, bem como para os mais variados casos de alopecia.

Todo o tratamento é acompanhado e supervisionado por um médico e tricologista.

*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe com seus amigos