Conecte-se conosco

Tecnologia

Intelbras dá dicas para manter câmeras e gravadores de segurança protegidos contra ciberataques

Publicado

em

Intelbras dá dicas para manter câmeras e gravadores de segurança protegidos contra ciberataques

As ameaças à segurança na internet estão aumentando em número e em eficiência no mundo inteiro e câmeras de segurança e gravadores conectadas à rede mundial de computadores podem virar alvo de hackers. Segundo relatório divulgado pela Netscout Threat Intelligence Report no final do mês de setembro, os ciberataques cresceram 16,17% no Brasil no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período em 2020. Em nível mundial, o número foi de 5.351.930 ciberataques, representando alta de 11%, portanto os ciberataques se tornaram um perigo global, causando preocupação geral.

Porém, incrementar e aumentar a segurança de câmeras e gravadores contra ciberataques é uma prática simples e que dever ser aplicada na rotina das pessoas, como forma de prevenção. A Intelbras, empresa brasileira com mais de 45 anos de história e produtora de equipamentos tecnológicos, separou cinco dicas para deixar o sistema de CFTV ainda mais seguro:

1) Mantenha os produtos atualizados com última versão de firmware disponibilizados pelo fabricante. É essencial habilitar a opção de ´verificação automática de atualização´ para averiguar as atualizações disponíveis, ou então, buscar pelos updates no site da empresa que fabricou o produto. Essas atualizações são importantíssimas pois reforçam a segurança dos equipamentos além de melhorar seu desempenho. A maioria dos gravadores fabricados a partir de 2019 já realizam verificações automáticas, os produzidos antes dessa data precisam de atualizações manuais.

2) Utilize sempre senhas fortes. Elas devem ser compostas por diferentes caracteres – letras maiúsculas e minúsculas, números, caracteres especiais – não devem ser óbvias, como datas de nascimento por exemplo, e nunca devem ser compartilhadas. As câmeras de segurança e DVRs/NVRs vêm com uma senha de acesso padrão, liberada pelo fabricante para a primeira instalação, portanto é imprescindível mudar a senha do produto para um código personalizado e seguro.

3) Fique atento a arquivos e links recebidos via e-mail ou outros meios suspeitos, de remetentes desconhecidos ou que solicitem informações pessoais e senhas. Portanto, nunca clique em links duvidosos; verifique cuidadosamente o endereço do site (URL) para garantir que você só insira seus dados em sites ou aplicativos legítimos.

4) Escolha produtos de empresas renomadas no mercado: quando for comprar seu sistema de CFTV, é importante buscar aparelhos de boa procedência e de bons fabricantes. Os produtos de marca com maior presença no mercado, além de boa qualidade, têm sistemas atualizados com frequência e ferramentas e recursos de segurança mais avançados.

5) Prefira produtos homologados pela ANATEL: a homologação da Agência Nacional de Telecomunicações é a garantia de que o equipamento passou nos testes de verificação de segurança e padrão de qualidade estipulados por ela. As vantagens de adquirir produtos eletrônicos homologados pela agência são inúmeras, como: qualidade assegurada, garantia do fabricante, concorrência justa, redução de piratarias no mercado e segurança para quem utiliza.

Em um mundo onde as ameaças e ataques cibernéticos estão cada vez mais frequentes, incrementar a segurança de câmeras de segurança do sistema de CFTV se tornou algo fundamental. Para isto, basta começar com ações simples como as citadas acimas e ir evoluindo para práticas mais avançadas, contando, sempre, com o apoio de empresas especialistas na área.

Para atualização de firmware dos produtos Intelbras gratuitamente (DVRs, NVRs e câmeras IP), acesse o site www.intelbras.com.br e procure a página correspondente ao equipamento.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *