Conecte-se conosco

Saúde

Início da vacinação não é motivo para relaxar nos cuidados de proteção contra a Covid-19

Publicado

em

Início da vacinação não é motivo para relaxar nos cuidados de proteção contra a Covid-19

Para ganhar a guerra contra o vírus, o Dr. Jorge Luiz Araújo Filho, consultor da Máscara Pradix® e do e-commerce Máscara Delivery Original, ressalta a importância do distanciamento social, higiene das mãos e uso da máscara, de preferência a cirúrgica de uso civil

Chegamos a um ponto crucial no combate à Covid-19 no Brasil: a aprovação de vacinas para uso emergencial pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e início da imunização. Estão aprovados dois imunizantes: a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac, e a da Oxford-AstraZeneca, que teve o pedido para uso emergencial efetuado pela Fiocruz.

“Infelizmente ainda não há no país doses suficientes para vacinar nem todos os brasileiros do primeiro grupo prioritário. Para atingir maior eficácia de imunização, as vacinas devem ser aplicadas em duas doses, dentro de um certo intervalo de tempo. Os especialistas salientam que não é recomendável tomar doses de vacinas diferentes, ou seja, deve-se tomar a primeira e a segunda doses de uma única vacina. Durante este processo, a recomendação é vacinar-se quando for possível, continuar com as medidas de proteção e com relação à máscara, usar de preferência a máscara médica/cirúrgica que também é a melhor e mais indicada para uso civil, como a máscara Pradix comercializada no e-commerce Máscara Delivery Original”, afirma o Dr. Jorge Luiz Araújo Filho (Dr. Biossegurança).

Segundo o especialista, estamos ainda em uma situação desafiadora da Covid-19 no Brasil e no início de uma segunda e importantíssima etapa de combate ao vírus. “Na primeira etapa da luta, tínhamos como armas as medidas de proteção: distanciamento social, higienização das mãos e uso de máscaras. Se tudo correr bem, a partir de agora teremos as vacinas em conjunto com estas medidas de proteção. Tudo indica que o processo de vacinação será gradual, disponibilizado a diferentes grupos populacionais e mediante disponibilidade, a fim de conferir proteção à população e consequente “imunidade de rebanho”. Esta evolução deverá ser percebida ao longo do tempo, com a diminuição nas internações. Enquanto a guerra está em curso, é fundamental continuar com as medidas de prevenção ao contágio”, reforça o Dr. Jorge Luiz.

O especialista alerta que já passou da hora de aposentar a máscara caseira de uma ou duas camadas, que oferece falsa sensação de proteção, ou até mesmo a caseira de três camadas, que traz significativo desconforto respiratório, fazendo com que a pessoa leve as mãos ao rosto e ao uso displicente da máscara (a retirando para poder respirar melhor). “Para maior proteção e mais conforto respiratório, recomendo o uso da máscara Pradix de TNT com tripla camada e filtro meltblown, com mais de 96% de proteção na retenção de micropartículas”, salienta o cientista.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *