Gabriel Costa fala sobre vida nos EUA e decisão que mudou a sua vida nos tatames

Gabriel Costa possui apenas 20 anos de idade, mas já acumula uma vasta experiência na arte suave. Natural da cidade de Boston, Massachusetts, o lutador que é filho de brasileiros, passou a infância no Brasil até decidir ainda adolescente que a arte suave era o caminho para mudar de vida. Em meio às dificuldades de ser um atleta profissional no Brasil, o lutador não pensou duas vezes, e decidiu aos 16 anos que mudar para os EUA era a melhor escolha para a sua carreira e futuro profissional:

— Nasci aqui em Boston e fui para o Brasil com 3 anos. Comecei a treinar com 13 e com 16 sabia que era isso que eu queria para minha vida. Foi nesse momento que resolvi voltar aqui para Boston para morar com meu pai. Vim por causa das oportunidades que creio eu que eu não iria ter no Brasil pelo menos onde eu morava. Levei em consideração a questão da mudança, de sair da zona de conforto, que no caso era morando com minha mãe, para experimentar tudo novo — declarou o atleta.

O atleta que representa a BTT Boston, uma das equipes de maior renome no estado, conta com os ensinamentos do mestre Daniel Gazzone em Massachusetts. Graduado a faixa-marrom em 2021 devido aos grandes resultados recentes, o atleta conquistou a prata no World Pro, um dos principais torneios da modalidade, já na nova graduação. Questionado sobre o nível dos atletas na faixa-marrom, Gabriel analisou o nível dos novos rivais que têm enfrentado:

— Não senti muita diferença falando tecnicamente, mas o profissionalismo fala mais alto nessa etapa eu acho, não adianta você ser técnico, mas não levar em consideração suplementação e musculação. Acho que isso conta muito e é nessa área que pretendo melhorar — analisou o atleta.

Nos tatames, Gabriel compete tanto na categoria dos meio-pesados, quanto dos pesos-pesados, além de disputar alguns torneios também no absoluto. Além dos títulos já citados, o lutador soma vitórias notáveis no Fight to Win, um dos principais torneios de submission dos EUA, além de ter ficado com o duplo bronze no Charlotte Open no ano passado. De olho em grandes conquistas em 2022, o atleta espera retomar o ritmo forte de competições para brilhar no circuito ainda neste primeiro semestre.

— Nesse ano pretendo focar nos campeonatos na minha região, sendo da IBJJF ou mesmo os regionais. O máximo que conseguir competir vou estar competindo, quero voltar ao meu ritmo de competição novamente. Porém, o primeiro campeonato para se levar em consideração é o Grand Slam de Londres em março e o Pan em abril — finalizou Gabriel Costa.

Faixa-marrom com apenas 20 anos de idade, o atleta tem chamado a atenção pelo alto nível que apresenta nas competições. Representante da Fuji Sports, o lutador mira em 2022, além do Pan e o World Pro, um grande desempenho no Campeonato Mundial No Gi, que acontece todos os anos na Califórnia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.