ComportamentoEstilo e Vida

Estudo revela principais preocupações de pais para o futuro dos filhos

Estudo revela principais preocupações de pais para o futuro dos filhos
A 14 year old mixed race Hispanic and African-American teenage boy standing between his parents outside their home. Mom is a mature Hispanic woman and dad is a mature African-American man. They are both in their 40s, happy and proud of their son.

Com mudanças na sociedade, Google realizou estudo para descobrir quais são as novas preocupações em relação ao futuro de crianças e adolescentes

A sociedade está em constante mudança, e os avanços e acontecimentos mais recentes fazem com que esse processo se torne cada vez mais rápido. A preocupação em relação ao futuro dos filhos, por exemplo, é particular a cada geração, respondendo aos problemas e às expectativas de cada época.

 

Pensando nisso, o Google realizou o estudo Parenting 2021, em que foram investigadas as principais preocupações de pessoas que cuidam de filhos entre os 7 e 12 anos de idade. De acordo com a ferramenta de buscas, as principais preocupações são em relação a problemas concretos, que normalmente demandam ajuda profissional ou técnica, indicando que são ações para auxiliar os filhos.

 

Existem ainda algumas preocupações classificadas como menos concretas, que acabam sendo mais complexas, por não terem uma fórmula ou um consenso. Geralmente, elas estão relacionadas à educação, bullying, uso de entorpecentes, finanças e o preconceito que crianças e adolescentes podem sofrer.

 

Mudanças nas prioridades dos pais

 

Enquanto no passado era mais evidente a preocupação com um lugar para morar, como ir à procura de uma casa à venda, ou ter uma profissão que fosse reconhecida na sociedade, hoje em dia, os pais, ainda se preocupam, mas dão atenção também a questões que já começam a aparecer na infância e que podem se desenrolar ao longo da vida dos filhos.

 

No caso de filhos negros ou de outras etnias consideradas “minorias psicológicas” (que não necessariamente são minoria em números, mas que são desfavorecidas em prol de uma etnia que recebe mais privilégios), o racismo é um dos grandes problemas. Da vida escolar à vida profissional, passando por violências na rua ou até mesmo nas instituições, os pais buscam maneiras de preparar os filhos para essas situações, além de protegê-los sempre que possível.

 

Questões relacionadas a outros preconceitos, como características físicas, de gênero, de identidade e sexualidade, também estão entre as buscas dos pais, que começam a se preocupar com a aceitação ou exclusão que os filhos podem ter em diferentes ambientes da vida.

 

Para os especialistas em comportamento e educação, isso mostra que os pais estão mais atentos às questões individuais das crianças, demonstrando também uma responsabilidade maior em conhecer e criar condições para que características consideradas “diferentes” possam se mostrar em um ambiente seguro e afetivo.

 

Ainda que não existam respostas prontas para isso, seja no Google ou entre os próprios especialistas, o interesse dos pais em encontrar alternativas é essencial para que a sociedade crie saídas menos violentas.

 

Amanda Mathias
Atua como assessora de imprensa, redatora e Link Builder na Conversion. Escreve sobre cidades, cotidiano, tecnologia, e-commerce e cultura.