"Depois da Primavera": História de irmãos sírios refugiados reflete sobre o Brasil
0

Em “Depois da Primavera” os diretores Isabel Joffily e Pedro Rossi usam a história real de Adel e Hadi Bakkour, dois jovens irmãos sírios que moram no Rio de Janeiro, para uma analogia com a realidade política do Brasil. Enquanto brasileiros não compreendem os reais motivos da guerra na Síria, os dois refugiados, que deixaram o país em 2013 por conta do conflito, não entendem os conceitos de “direita” e “esquerda” daqui. Depois de passar por festivais, a produção estreia com exclusividade no canal Curta!.

Separados da família, os jovens de Aleppo chegam ao Brasil em um momento delicado na política, com manifestações frequentes e pleitos que eles não conseguem entender, mas buscam se estabelecer no país na expectativa de trazerem seus pais. Com o tempo, vão se desvinculando de alguns de seus costumes e aderindo aos hábitos locais.

O filme utiliza imagens do da vida construída no Brasil e fotos de acervo da época em que moravam na Síria, confirmando as muitas mudanças sofridas por eles, inclusive na forma de ser vestir. Quando o encontro com a família finalmente acontece, em uma visita passageira, os pais percebem que os filhos mudaram e a nova realidade trouxe transformações físicas, políticas e religiosas.

As divergências políticas brasileiras são analisadas pelos irmãos, que questionam se existe liberdade no país, uma vez que protestos contra o governo são permitidos, algo impraticável na Síria. Porém, acreditam que em nada resultam, pois os políticos ignoram o clamar do povo.

“O que me irrita no Brasil é que supostamente temos mais liberdade comparando com a Síria, mas eu vejo uma ditadura aqui também, vejo tortura. Você sai para se manifestar, grita, xinga o presidente. Mas ninguém se importa. No final, eles fazem o que eles querem. Estão roubando mais, tudo está ficando mais caro. O que você ganha então?”, contesta Adel.

“Depois da Primavera” é uma produção da Coevos Filmes, viabilizada pelo Curta! através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).  estreia é na Sexta da Sociedade, 20 de maio, às 22h.

Em episódio inédito, “Jazz” relembra artistas como Louis Armstrong, Chick Webb e Duke Ellington

“A Verdadeira Acolhida”, novo episódio da série “Jazz”, nos leva para a época da Grande Depressão nos Estados Unidos, que se deu após o crash na bolsa de Nova York em 1929 e se estendeu ao longo da década de 1930. Naquele momento, os artistas do jazz entraram em cena para levantar os ânimos do país.

Nesse contexto, que foi seguido por um período de crescimento econômico explosivo, Louis Armstrong revoluciona a música popular norte-americana; Chick Webb é pioneiro em seu próprio som de big band no Savoy Ballroom, com uma nova dança chamada “Lindy Hop”; Duke Ellington compõe canções de sucesso com uma nova sofisticação – e os críticos o comparam a Stravinsky; e Benny Goodman faz história ao som da batida de sua big band. Ali começava a Era do Swing. A estreia do episódio é no Sábado, 21 de maio, às 21h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 16/05

23h – “Jazz” (Série) – Episódio: “Nossa Língua”
À medida que o mercado de ações continua a subir, o jazz está em toda parte e solistas e cantores ocupam o centro do palco: Bessie Smith, Imperatriz do Blues, cujas músicas ajudam empresários negros a criar uma nova indústria fonográfica; Bix Beiderbecke, a primeira grande estrela branca do jazz; e Benny Goodman, para quem o jazz oferece uma fuga do gueto judeu e uma chance de realizar seus sonhos. Em Nova York, Duke Ellington vai até a casa noturna mais famosa do Harlem, o Cotton Club. Ele tem a chance de sua vida quando o rádio leva sua música para as casas de todo o país, trazendo-lhe fama nacional. E Louis Armstrong combina as artes do solista e do vocalista para criar o canto scat, então traça o futuro do jazz em uma série de gravações de pequenos grupos que culminam em sua obra-prima, “West End Blues”. Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 17 de maio, terça-feira, às 3h e às 17h; 18 de maio, quarta-feira, às 11h.

PROMO:https://youtu.be/WufRFAf1BZI
FOTOS:https://drive.google.com/drive/folders/1V6Mz9ZEsy7JzXHBYaygSFr8lGRguVV9v?usp=sharing

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 17/05

23h – “Joan Miró de Perto” (Documentário)
Joan Miró foi uma figura icônica no mundo artístico. Quanto mais o tempo passa, mais seu trabalho se torna universal: ultrapassa fronteiras e gêneros, vai além de museus, está nas paredes de prestigiadas instituições e se estende ao design e à arquitetura. Este documentário traz a excepcional presença de Joan Punyet Miró, seu administrador e neto, e acessa seu estúdio, revelando arquivos nunca vistos para descobrir a faceta menos conhecida do artista: sua privacidade. Diretor: Albert Solé Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 18 de maio, quarta-feira, às 03h e às 17h; 19 de maio, quinta-feira, às 11h; 21 de maio, sábado, às 16h; 22 de maio, domingo, às 23h.

PROMO: https://youtu.be/g2XhHqYTKIg
FOTOS: https://drive.google.com/open?id=1o78QyJF0QuruaFtVRojmxjLeuimxL3GK

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 18/05

22h – “Getúlio” (Cinebiografia)
Agosto de 1954. O jornalista de oposição Carlos Lacerda sofre um atentado à bala na porta da sua casa, em Copacabana. O pistoleiro erra o tiro e mata o major da Aeronáutica Rubens Vaz, que fazia a segurança de Lacerda. O presidente da República, Getúlio Vargas, é acusado de mandar matar o maior inimigo político do seu governo. Getúlio passa a ser pressionado por lideranças militares e pela oposição para renunciar ao mandato. As investigações mostram que a ordem para o atentado saiu de dentro do Palácio do Catete. Ao lado da filha, Alzira Vargas, seu braço direito na presidência, e colaboradores fiéis como Tancredo Neves e o general Zenóbio da Costa, Getúlio tenta se manter no poder e provar sua inocência. Diante das ameaças que pedem a deposição imediata do presidente, Getúlio comete um ato extremo. Diretor: João Jardim. Duração: 94min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 19 de maio, quinta-feira, às 02h e às 16h; 20 de maio, sexta-feira, às 10h; 21 de maio, sábado, às 12h30; 22 de maio, domingo, às 19h35.

PROMO: https://youtu.be/CiPN0DpvzY0
FOTOShttps://drive.google.com/open?id=1YcaSD7vaF3KpyVmWlZrkB6OCCYtev1oq

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 19/05

22h30 – “O Guia Pervertido da Ideologia” (Série) – Episódio “Parte 1”
O filósofo Slavoj Zizek apresenta cenas de filmes famosos, como “A noviça rebelde”, “Titanic” e “Nascido para matar”, sob nova luz. Sua jornada cinematográfica vai rumo ao coração da ideologia, mostrando conceitos e noções filosóficas que estão ligados às imagens em questão. Direção: Sophie Fiennes. Duração: 45 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 20 de maio, sexta-feira, às 02h30 e às 16h30; 22 de maio, domingo, às 0h; 23 de maio, segunda-feira, às 10h30.

PROMO: https://youtu.be/jmcgPH97Puo
FOTOS: https://drive.google.com/open?id=132lSFIsJA11sm326JNuli-xuT1Bv_0-n

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 20/05

22h – “Depois da Primavera” (Documentário)
Os irmãos sírios Adel e Hadi Bakkour vão às ruas do Rio de Janeiro lutar por Democracia no país onde escolheram viver. A história se repete: antes precisaram deixar Aleppo ao protestarem por liberdade. Para trás deixaram sua mãe, Lawahez, e seu pai, Abdo. A família se reencontra seis anos após a separação, em um Brasil em transformação. Direção: Pedro Rossi e Isabel Joffily. Duração: 83 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 21 de maio, sábado, às 2h e às 14h30; 22 de maio, domingo, às 21h30; 23 de maio, segunda-feira, às 16h; 24 de maio, terça-feira, às 10h.

PROMO: https://youtu.be/xWFsWMeC7u0
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1n_NEKtyQ1KgAUQDZzTIly03GzahH3rhY?usp=sharing

Sábado – 21/05 – ESTREIA DE EPISÓDIO

21h – “Jazz” (Série) – Episódio: “A Verdadeira Acolhida”
Durante a Depressão, o Jazz é chamado para levantar os ânimos de um país assustado, e entra em uma década de crescimento explosivo. Louis Armstrong revoluciona a arte da música popular americana e se torna um dos principais artistas do país. No Harlem, Chick Webb é pioneiro em seu próprio som de big band no Savoy Ballroom com uma nova dança chamada “Lindy Hop”. É Duke Ellington que leva o jazz para “além da categoria”, compondo músicas de sucesso com uma nova sofisticação que faz com que os críticos o comparem a Stravinsky. E a agitada turnê nacional de Benny Goodman dá uma guinada no Palomar Ballroom em Los Angeles, quando os dançarinos enlouquecem ao som da batida de big band de Goodman. No final da noite, a Era do Swing começou. Direção: Ken Burns. Duração: 59 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 22 de maio, domingo, às 10h30; 23 de maio, segunda-feira, às 23h; 24 de maio, terça-feira, às 3h e às 17h; 25 de maio, quarta-feira, às 11h.

PROMO: https://youtu.be/GyTCbEh6i8I
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1GAdduzjS6ClhAY4wT7opT4npBJzRz4UB?usp=sharing

Domingo – 22/05

18h– “Inconveniências Históricas” (Série) – Episódio: “Getúlio e o Eixo”
Embora atualmente o Brasil possa se orgulhar de ter lutado contra fascistas e nazistas na Segunda Guerra Mundial, a decisão de romper relações e declarar guerra ao Eixo não foi tão simples. Afinal de contas, o Estado Novo de Getúlio Vargas tinha claras inspirações nos regimes italiano e alemão. Como essa inversão ocorreu? E o que ela diz sobre a identidade nacional? Isto é o que vamos entender ao mergulhar nas entranhas do Estado Novo. Duração: 26 min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 23 de maio, segunda-feira, às 17h30; 24 de maio, terça-feira, às 11h30.

PROMO: https://youtu.be/JU-1GFis1HU
FOTOS: https://drive.google.com/drive/folders/1RAQTutn1iLoWOldtCOckE9xwaOaBmJZh?usp=sharing

 

*Todos os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não expressam a linha editorial do portal e de seus editores.

Compartilhe com seus amigos

centralrbn

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar