conecte-se conosco

Saúde

Covid-19, resfriado, gripe, sinusite e rinite: otorrinolaringologista explica como diferenciar os sintomas

Avatar

Publicado

em

Atualmente, basta um espirro ou sensação de mal-estar para o medo da contaminação por Covid-19 assolar uma família. De acordo com a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), as doenças respiratórias costumam aumentar em até 40% no outono, podendo confundir ainda mais as patologias e sintomas.

As doenças respiratórias da nova estação são divididas em duas: infecciosas (gripes, resfriados e sinusites) e as imunológicas (rinites ou outras de quadro alérgico). É preciso prevenir, para não precisar remediar. “Maus hábitos podem facilitar a transmissão de vírus e bactérias. Enquanto ambientes mal ventilados facilitam o contágio por via aérea, o compartilhamento de objetos estimula a transmissão por contato direto ou indireto com o infectado”, informa o otorrinolaringologista, Prof. Dr. Eduardo Baptistella, presidente da ABORL-CCF.

Como diferenciar as principais doenças do outono

Covid-19. É provocada pelo coronavírus denominado SARS-CoV-2. É a Covid-19. Nos casos leves a moderados, os sintomas apresentados são majoritariamente febre, tosse seca, cansaço e perda de paladar ou olfato. Os sintomas mais graves envolvem a dificuldade de respirar ou falta de ar, dor ou pressão no peito e perda de fala ou movimento.

Resfriado. É causado por vírus, como rinovírus, adenovírus, coronavírus (não Covid-19). Apresenta sintomas como nariz entupido, coceira no nariz, espirros e mal- estar.

Gripe. É provocado pelo vírus influenza. Apresenta os mesmos sintomas do resfriado adicionados à febre e dores pelo corpo. Pode acompanhar dor de garganta e tosse.

Rinite. É causado por quadro alérgico diante o contato com poeira, animais ou mudanças climáticas. Apresenta sintomas como nariz entupido, coceira no nariz e espirros. Não acompanha febre ou mal-estar.

Sinusite. É uma infecção dos seios da face provocada por vírus ou bactéria. Apresenta sintomas como secreção nasal, dores de cabeça, febre, tosse e dores no corpo.

Quando procurar um especialista

Cabe ao médico otorrinolaringologista classificar e avaliar o melhor tratamento ao paciente de maneira personalizada, seja resfriado, gripe, rinite, sinusite ou Covid-19.

“Em caso de febre, dores no corpo, coriza ou dores de cabeça frequentes, procure imediatamente um médico otorrino, seja via telemedicina ou consulta presencial. Nunca se automedique, seja com sprays nasais ou comprimidos, pois os descongestionantes levam não só ao efeito-rebote, como  também ao desenvolvimento de outras doenças, como cardíacas, de pressão arterial, glaucoma, perfurações septais e sangramentos no nariz”, finaliza o Dr. Baptistella.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio começa a vacinar hoje crianças e gestantes contra gripe

Redação

Publicado

em

Por

O estado do Rio de Janeiro inicia hoje (19) a imunização de crianças, gestantes, puérperas e indígenas contra a gripe. A campanha começou na última quarta-feira (14), com a vacinação de profissionais que atuam em unidades de saúde. A previsão da Secretaria Estadual de Saúde é, até julho, imunizar 6,8 milhões de pessoas ou 90% dos grupos prioritários. A campanha é dividida em três etapas.

A segunda etapa, que se estende de 11 de maio a 8 de junho, focará em idosos com 60 anos ou mais e professores. Já a última etapa, de 9 de junho a 9 de julho, será voltada a pessoas com comorbidades e profissionais como caminhoneiros, rodoviários, profissionais de segurança etc.

Quem tomou a vacina contra a covid-19 precisa ficar atento ao intervalo entre as duas vacinas. Os imunizados com a CoronaVac podem tomar a vacina contra a gripe 15 dias depois da segunda dose. Já quem foi imunizado com a Oxford/AstraZeneca pode tomar a vacina contra gripe 15 dias depois da primeira dose.

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Saúde

SP abre vacinação dos profissionais de saúde a partir de 47 anos

Redação

Publicado

em

Por

Começa nesta segunda-feira (19) a vacinação do grupo prioritário formado por trabalhadores dos serviços da área de saúde com 47, 48 e 49 anos na capital paulista. O público-alvo é de cerca de 40 mil pessoas.

Trabalhadores dos serviços de saúde são todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. 

O grupo inclui os profissionais de saúde, com prioridade neste momento a médicos; enfermeiros/técnicos e auxiliares; nutricionistas; fisioterapeutas/ terapeutas ocupacionais; biólogos; biomédicos/técnicos de laboratório que façam coleta de RT-PCR SARS CoV2 e análise de amostra de covid-19; farmacêuticos/técnico de farmácia; odontólogos/ASB (auxiliar de saúde bucal) e TSB (técnico de saúde bucal; fonoaudiólogos; psicólogos; assistentes sociais; profissionais da educação física e médicos veterinários.

Toda a rede de vacinação da cidade – inclusive as 468 unidades básicas de Saúde (UBS) – está disponível aos públicos elegíveis da campanha, o que inclui pessoas de grupos prioritários anteriores que ainda não iniciaram ou completaram o esquema vacinal.

A Secretaria Municipal de Saúde alerta que, mesmo após a vacinação, as pessoas devem manter as regras de distanciamento social, o uso de máscaras e a lavagem constante das mãos. O uso de álcool em gel também segue indispensável.

A secretaria recomenda ainda que as pessoas busquem a vacina de maneira gradual, evitando aglomerações nos postos da capital e preenchendo o pré-cadastro no site Vacina Já, a fim de agilizar o tempo de atendimento para imunização.

Informações também podem ser obtidas acessando o link Vacina Sampa.

Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

Saúde

Brasil contabiliza 42.980 novos casos de covid-19

Redação

Publicado

em

Por

Em 24 horas, houve 42.980 novos casos de covid-19 no Brasil. O número consta da atualização do Ministério da Saúde (MS) deste domingo (18). No balanço, foram confirmados 13.943.071 diagnósticos positivos desde o primeiro, em fevereiro de 2020. 

O número de mortes em decorrência da pandemia do novo coronavírus chegou a 373.335. De ontem para hoje, foram confirmados 1.657 novos óbitos.

Ainda há 3.660 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente. O número de pessoas recuperadas está em 12.391.599. Já o total de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.178.137.

Dados

Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras pela menor quantidade de trabalhadores para fazer os novos registros de casos e mortes. Já às terças-feiras eles tendem a ser maiores porque neste dia o balanço recebe o acúmulo das informações não processadas no fim de semana.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (88.350), Rio de Janeiro (41.310), Minas Gerais (30.309), Rio Grande do Sul (23.192) e Paraná (20.349). Já as unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.418), Roraima (1.445), Amapá (1.467), Tocantins (2.374) e Sergipe (3.955).

 

Boletim epidemiologico  Covid-19  18.04.2021

Boletim epidemiologico Covid-19 18.04.2021 – Ministério da Saúde

 

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil

Link

Continue lendo

TENDÊNCIA