0

Cuidar da saúde bucal garante um belo sorriso no rosto, além de proporcionar uma vida mais saudável para uma pessoa. Com pequenos hábitos de higiene, alimentação e acompanhamentos com o dentista, é possível não só garantir um bom estado dos dentes e da boca, como também do corpo.

A partir desses hábitos, que precisam ser adotados no cotidiano, é possível se prevenir de doenças como:

  • Cáries;
  • Periodontite;
  • Gengivite;
  • Halitose;
  • Câncer na boca.

Por isso, é extremamente importante manter os hábitos de escovar os dentes três vezes ao dia, bochechar o enxaguante bucal e passar o fio dental entre os dentes diariamente. 

Além disso, a ida ao dentista a cada seis meses é importante, pois ele irá realizar as avaliações e tratamentos para a manutenção da saúde bucal, realizando limpezas e procedimentos estéticos – quando houver interesse e necessidade -, além de evitar a propagação das bactérias.

No entanto, existem muitos hábitos que passam despercebidos no dia a dia, mas que prejudicam significativamente a saúde bucal e que podem até desgastar algum procedimento ortodôntico.

Ao avaliar quanto custa um clareamento dental com o profissional, nota-se que o investimento no belo sorriso é compatível com o resultado, mas para que ele seja prolongado, é necessário atentar-se aos hábitos para não prejudicar/desgastar o efeito do procedimento.

Com tudo isso, serão expostos aqui alguns hábitos que devem ser evitados para ter um belo sorriso e manter uma vida mais leve e saudável.

Roer unhas

Esse é um hábito bastante comum na população, mas que pode trazer diversos impactos para a saúde. 

Estudos apontam que aproximadamente 30% da população mundial têm o hábito de roer unhas, o que significa que cerca de 2,2 bilhões de pessoas podem facilitar o acesso de bactérias ao corpo ao morder as próprias unhas.

Esse é um hábito que pode causar consequências graves à saúde bucal, pois é um ato completamente anti-higiênico e pode causar lesões, favorecendo problemas virais, fúngicos e bactericidas, além de infecções no sistema digestivo.

As unhas podem acumular uma grande quantidade de germes e bactérias que, quando entram em contato com os dentes, podem ser passados para a boca, ficando alojados na cavidade, causando – inclusive – o mau hálito. 

Além disso, o hábito constante pode influenciar na estrutura e resistência dental.

Escovação errada

Muitas pessoas consideram que, para fazer uma boa escovação, é preciso usar muita força, porém essa ação pode ser extremamente equivocada. Esse é um hábito que pode desmineralizar o dente, causar hipersensibilidade e retirar o esmalte dentário.

Não só isso, a escovação inadequada pode causar, também, problemas na gengiva, como a retração, inflamação, gengivite e periodontite. 

Por isso, o ideal é escovar os dentes utilizando uma escova macia, fazendo movimentos circulares ou verticais leves da gengiva para fora. 

Outro fator importante é lembrar de não exagerar no creme dental, pois o flúor em excesso e os abrasivos presentes no creme podem fragilizar a dentição.

A atenção com a escovação é necessária principalmente para quem utiliza aparelho ortodôntico, pois a boca está sujeita a acumular resíduos de alimentos e, portanto, deve ser lembrada sempre com um cuidado essencial.

Abrir embalagens com os dentes

Quem nunca abriu alguma embalagem com o dente? Se não fez, pelo menos já viu alguém colocando sachês de ketchup, caixinhas ou pacotes na boca para conseguir abrir.

Além de ser algo extremamente anti-higiênico, pois se trata de embalagens que estão constantemente em contato com diversos lugares e pessoas, esse ato também pode lascar os dentes e até mesmo causar fraturas mais graves.

Em casos de perda do dente, a odontologia possui procedimentos muito eficazes para a solução do problema, como o implante dentário. 

Apesar disso, o ideal é que se preserve a estrutura, evitando possíveis desgastes.

Ir ao dentista só em casos graves

Estudos mostram que o Brasil concentra 11% dos dentistas do mundo, porém 24 milhões de pessoas nunca pisaram em um consultório odontológico e apenas 15% dos brasileiros cuidam da sua saúde bucal regularmente. 

Esses dados mostram que há um desequilíbrio grande entre profissionais disponíveis para trabalhar na odontologia e o número de procura por esse serviço e isso ocorre por diversos motivos, como a falta de acesso e campanhas que conscientizem sobre a importância da higienização e visitas regulares.

Ir ao dentista sem periodicidade, apenas quando acontece algo grave pode comprometer muito a arcada dentária e a saúde bucal como um todo. 

A boca está suscetível a ter diversos problemas, como acúmulo de bactérias, hipersensibilização e até quebra dos dentes.

Por isso, o recomendável é ir ao dentista a cada seis meses, Em casos de necessidades de procedimentos, não pode-se deixar de procurar um profissional, pois ele poderá corrigir problemas bucais de maneira prática e eficiente, inclusive em casos de extração de dente.

Assim, a saúde da cavidade e de todo o corpo são preservados, por meio de hábitos e cuidados simples e regulares.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Clínica Ideal, plataforma especializada em marketing e gestão para consultórios e clínicas odontológicas.

centralrbn

Mais atletas brasileiros se transferem para o polo aquático da Europa

Artigo anterior

Gianni Petrarca lança “Smoke”, colaboração internacional ao lado de Jaime Deraz pela Sony Music Brasil

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Saúde