Conecte-se conosco

Tecnologia

Brasil tem primeira rede social de investimentos em criptomoedas do mundo

Publicado

em

Brasil tem primeira rede social de investimentos em criptomoedas do mundo

Permitindo seguir estratégias de usuários mais experientes, acompanhar notícias e interagir na plataforma, Monnos empodera quem quer investir em criptomoedas

Primeira rede social de investimentos em criptomoedas do mundo, a plataforma brasileira Monnos disponibiliza para seus mais de 20 mil usuários o News Feed – um agregador de notícias globais sobre criptomoedas. E, nas próximas semanas, disponibilizará o acesso à ações de grandes empresas, como Apple, Amazon e Netflix em formato de tokens. O usuário poderá comprar frações de cada ação, as chamadas tokenized stocks.

“50% dos nossos usuários investem tanto em criptomoedas, quanto no mercado de ações. Possibilitando a compra fracionada, tornamos mais democrático o acesso a este tipo de criptoativo”, explica Rodrigo Soeiro, CEO da Monnos. “Visando fomentar a capacidade de decisão e gestão de portfólio dos usuários, oferecemos acesso às principais notícias, com interações via compartilhamentos, curtidas e comentários, como uma rede social”.

Visando o público jovem, a criptoeconomia vem absorvendo os anseios dos investidores e facilitando diversas negociações. “São tendências mundiais os investimentos em criptomoedas e em ações fracionadas. É possível se posicionar das duas formas na Monnos, sem precisar acessar bolsas de valores de todo o globo. A cada mês, vêm aumentando em 30% os valores investidos em criptomoedas na plataforma”, aponta Soeiro.

Investidores iniciantes

Há pouco mais de um ano no mercado, a Monnos tem mais de 20 mil usuários no Brasil e no mundo. E grande parte dos brasileiros, 38,5%, nunca havia investido em criptomoedas antes. “Oferecemos aos usuários a possibilidade de seguir estratégias de outros usuários mais experientes. Isso atrai aqueles que têm interesse em investir, mas ainda não se sentem seguros”, explica Rodrigo Soeiro, CEO da Monnos.

Analisando o comportamento dos usuários, que são de 118 países, é possível observar a diferença entre os brasileiros e os investidores do exterior. “A grande maioria dos usuários de fora do Brasil (96,3%) já havia investido em criptomoedas antes. A possibilidade de conhecer a estratégia de investidores mais experientes e se empoderar vem atraindo os brasileiros – que representam 7% da nossa base de usuários”, explica Soeiro.

Como funciona

A plataforma funciona da seguinte forma: qualquer usuário pode tornar sua estratégia pública, a ser classificada em um ranking de performance. E todos os usuários podem seguir uma ou mais estratégias públicas, para ter os mesmos ganhos. Quem tem sua estratégia seguida por outros, ganha notoriedade e uma taxa mensal fixada por ele mesmo. “É importante lembrar que o mercado é volátil. Pode-se ganhar e perder, bem como o dono da estratégia. Nossa proposta é transparente e a decisão é do usuário”, explica o CEO da Monnos.

Visando difundir a criptoeconomia, a Monnos possibilita que o usuário compre, venda e faça pagamentos com criptomoedas em um único lugar – tal modelo de negócios é conhecido mundialmente como CryptoBank. Entre as exchanges brasileiras, a plataforma oferece a maior variedade, 40 criptomoedas. Além de crypto wallet (carteira de criptomoedas), portfólio management (gerenciamento de portfólio) e social trading (sincronização de estratégias). Em breve, oferecerá cartão de pagamento, possibilitando o uso de criptomoedas em compras do dia a dia.Sobre a Monnos – https://monnos.com

Plataforma brasileira de criptomoedas que opera globalmente e tem proposta voltada para leigos. A Monnos foi fundada em setembro de 2019 e hoje tem mais de 20 mil usuários no Brasil e no mundo. Conectados em ecossistema de ganhos através de rede, os usuários podem seguir estratégias de outros, criando uma rede social de investimento que empodera leigos.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Light Dark Dark Light