Braquialgia e cervicobraquialgia: afinal, o que são?
0

Dor nos braços e no pescoço podem ser sintomas de sérios problemas de saúde que necessitam de tratamento; saiba mais sobre eles

Com o envelhecimento, infelizmente, o risco de desenvolver certas doenças acaba aumentando, devido ao desgaste do corpo. Os problemas ósseos e articulares são alguns deles, como a braquialgia e a cervicobraquialgia.

A braquialgia nada mais é que uma síndrome dolorosa da coluna cervical que atinge os braços, podendo afetar também pescoço, ombros e parte de cima das costas. Quando a região acometida é o pescoço, chamamos de cervicobraquialgia.

Além da idade, outros fatores elevam a possibilidade de desenvolver essas condições, como genética, sedentarismo, excesso de peso, tabagismo e carregar muito peso com frequência de forma inadequada. Fraturas e traumas raramente levam ao surgimento, mas também acontece.

Veja, abaixo, mais detalhes sobre esse problema de saúde.

Quais são as causas das braquialgias?

As braquialgias são provocadas por:

  • Hérnia de disco;
  • Estreitamento no canal cervical;
  • Artrite na coluna vertebral;
  • Formação de osteófitos (o popular “bico de papagaio”);
  • Em casos raros, tumores ósseos.

Conheça os sintomas

O principal sintoma é a dor no local afetado, sendo que ela irradia para outras partes próximas (do pescoço para os ombros, dos braços para os ombros, etc.). Sensação de choque, diminuição da sensibilidade do tato, fadiga muscular e perda de força e formigamento dos braços e dedos também podem ocorrer.

Em casos mais graves, é possível surgir atrofia muscular.

Como funciona o diagnóstico

A detecção de qualquer braquialgia começa com a consulta a um especialista formado em uma faculdade de Medicina, através do exame físico, e em seguida com testes de imagem, como radiografia, tomografia ou ressonância magnética.

É possível tratar?

A boa notícia é que, tanto a braquialgia, como a cervicobraquialgia, têm tratamento! Ele vai depender do diagnóstico e do grau em que a síndrome se encontra, mas, em geral, envolve analgésicos e anti-inflamatórios, fisioterapia, acupuntura, exercícios para corrigir a postura e mudanças no estilo de vida.

Os casos mais avançados demandam tratamento cirúrgico, mas quem baterá o martelo sobre isso é o médico, junto com o paciente.

Saiba como prevenir

Caso você tenha predisposição à braquialgia, devido à sua profissão ou por questões genéticas, o ideal é realizar fisioterapia preventiva.

Agora, se você não se encaixa nessa situação, mudanças simples no dia a dia já ajudam a prevenir esse problema.

  • Procure deixar seus ombros relaxados. Alivie a tensão!
  • Não durma com travesseiros em uma altura maior ou menor que a linha do seu pescoço.
  • Por fim, busque manter a postura correta, principalmente se seu trabalho envolve ficar sentado por horas a fio.
Amanda Mathias
Atua como assessora de imprensa, redatora e Link Builder na Conversion. Escreve sobre cidades, cotidiano, tecnologia, e-commerce e cultura.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar