Conecte-se conosco

Esportes

Barco mais moderno do Brasil será lançado na Semana Internacional de Vela de Ilhabela

Publicado

em

Veleiro Phoenix idealizado por Eduardo Souza Ramos está em fase final de preparação para as regatas de 24 a 31 de julho

O novo Phoenix fará sua estreia na Semana Internacional de Vela de Ilhabela, evento marcado de 24 a 31 de julho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI). O barco de 44 pés é apontado por especialistas em vela oceânica como um dos melhores projetos feitos no País, misturando velocidade e tecnologia a bordo.

O veleiro é um Botin 44 construído todo em carbono pelo estaleiro ML Boats, em Indaiatuba (SP) e que teve como projetista a Botin Partners Naval Architecture. A construção começou em 2019, pouco antes da pandemia de COVID-19, e agora está em processo final de ajustes no Iate Clube de Santos, no Guarujá (SP), sob o comando do atleta olímpico André Fonseca e de Sérgio Rocha.

Apesar do tamanho, a embarcação deve pesar no máximo 5.300 quilos. O mastro instalado é de 21,75 metros. As duas rodas de leme e o grinder devem ajudar os tripulantes a fazer manobras mais rápidas. O tamanho da área vélica deve chamar a atenção em Ilhabela (SP), principalmente com a vela balão, àquela utilizada em ventos de popa.

Na Semana de Vela de Ilhabela, o Phoenix vai medir na classe ORC e terá sob seu comando Eduardo Souza Ramos, o maior vencedor da competição em Ilhabela com 11 títulos divididos em barcos como Phoenix e Pajero. ”Torcendo para que o barco fique pronto. Os finalmentes sempre são muito imprevisíveis e são muitos! Estamos ansiosos para velejar”.

”O espírito que me levou a esse barco é ter um veleiro prazeiroso, agradável no velejar em ventos médios, de popa e de través. Consegui depois de muitos anos ter roda de leme, o que me dá um conforto maior em barcos rápidos. É bom de andar e navegar”, disse Eduardo Souza Ramos.

A tripulação do Phoenix é a atual campeã da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Na última edição, disputada em 2019, o Pajero – um Soto40 – foi o campeão da categoria e teve o melhor desempenho entre todos os 123 participantes.

Outro destaque do Phoenix é o grinder – peça que parece uma manivela – e será usado para subir e descer as velas, principalmente para baixar o balão. É um sistema bastante importante numa regata, já que ajudará o tático a decidir as manobras nos últimos segundos.

A tecnologia para evitar que os cabos fique espalhados no meio do veleiro e o sistema elétrico também foram adaptados para os melhores resultados da equipe mais profissional de vela do País.

Nos próximos dias, a equipe do Phoenix fará o batismo do veleiro e os testes na água com as velas. Até a viagem para Ilhabela desde Santos, a equipe de terra do Phoenix ficará praticamente 24 horas por dia em função da montagem do veleiro.

Além da ORC, a 48ª edição da Semana Internacional de Vela de Ilhabela está aberta às classes RGS, Bico de Proa, Clássicos, C30 e HPE25.

Velejadores profissionais, olímpicos e amadores tradicionalmente correm as regatas, que marcam o grande encontro anual da modalidade na América do Sul. Em 2021, todas as atividades relacionadas ao evento atenderão aos protocolos de segurança oficiais relacionados à COVID-19. As inscrições estão abertas por meio do site www.sivihabela.com.br.

”A estreia do Phoenix será um marco para a modalidade e principalmente para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela. A expectativa entre os velejadores é enorme e certamente vai chamar atenção de todos nessa retomada das regatas”, comemorou Mauro Dottori, diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela (YCI) e organizador do evento.

Velocidade pura

Antes de correr as primeiras regatas, é difícil apontar a velocidade final do barco, mas pela quantidade de área vélica e peso – pouco para um 44 pés – a tendência é que o Phoenix seja muito rápido. Foi essa a ideia do projeto, que para alguns integrantes da equipe é uma versão brasileira do TP52, da campanha de Eduardo Souza Ramos na Europa em anos anteriores.

O Phoenix está qualificado até para a disputa do Mundial de ORC, que é considerado o maior evento de oceano do mundo. Há um similar ao Botin 44 nos Estados Unidos chamado Interlodge 4, que disputa as principais competições do Hemisfério Norte. Assim com o time norte-americano, o barco brasileiro terá uma tripulação profissional, que não estará 100% completa na Semana de Vela de Ilhabela por causa da Olimpíada de Tóquio, que é no mesmo período.

Tático do Phoenix, o atleta olímpico e com três participações na The Ocean Race, André Fonseca, quer fazer história na nova versão do Phoenix. ”É um barco de performance desenhado para velocidade e nem sempre para handicap. Queremos ganhar grandes velocidades, quem sabe quebrar recordes, principalmente da Alcatrazes. A gente sabe se pegar uma condição boa de vento temos condições de bater essa marca e também de outras no Brasil”.

A melhor marca da Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil é do veleiro gaúcho Crioula, que fez o percurso de 55 milhas em 6 horas, 1 minuto e 42 segundos no ano de 2017. O recorde anterior era do Camiranga, um Soto65, com 6 horas, 4 minutos 03 segundos, em 2015.

Em 2021, a regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil novamente abrirá o calendário de provas da Semana Internacional de Vela de Ilhabela no domingo (25). No mesmo dias largam também a Toque-Toque e Renato Frankenthal.

”É puro carbono! Nem pintamos para não ter peso no barco. A cada dia é um gol. Estamos trabalhando das oito da manhã às oito da noite para conseguir chegar a tempo”, concluiu Sergio Rocha, um dos responsáveis pelo projeto.

Faça o tour pelo barco 

Phoenix em números

Projetista: Botin Partners Naval Architecture

Projeto: Botin44

LOA: 13,40m

Boca: 4,10m

Calado: 3,15m

Mastro: Axxon

Comprimento: 21,75m

Inscrições

As inscrições para a 48ª edição da Semana Internacional de Ilhabela estão abertas para as regatas de 24 a 31 de julho no Yacht Club de Ilhabela (YCI), em parceria com a Prefeitura de Ilhabela. As inscrições  são feitas pelo site www.sivilhabela.com.br para os veleiros nas categorias ORC, RGS, Bico de Proa, Clássicos, C30 e HPE25.

O acesso ao Sistema de Inscrições está disponível desde 18 de junho até o dia 19 de julho. O valor do pagamento da taxa de inscrição do veleiro será definido no momento da inscrição. O simples cadastramento não garante nenhuma faixa de valor e sua inscrição só será efetivada após a quitação da inscrição.

O valor da inscrição será calculado pelo tamanho do barco. Veja na tabela abaixo:

Até 25 pés – R$ 400

Até 26 a 28 pés – R$ 500

De 29 até 32 pés – R$ 600

De 33 até 40 pés – R$ 700

De 41 até 46 pés – R$ 1.000

Acima de 47 pés – R$ 1.200

A última regata presencial foi realizada em 2019 com mais de 120 veleiros de todo o País e nações vizinhas. O evento em sua versão virtual teve realização do Yacht Club de Ilhabela e organização da Tribu Live Marketing e Full Time Eventos e Turismo.

 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda PODCAST RBN

TENDÊNCIA