0

Aos 15 anos, João Marcos Meira Pinto controla o nível de açúcar no sangue com a ajuda do triathlon

Superar os limites do corpo e da mente é o combustível de quem pratica o triathlon. Para João Marcos Meira Pinto, aluno do núcleo Oswaldo Cruz da Escolinha de Triahtlon Formando Campeões, a escolha por nadar, pedalar e correr trouxe um outro tipo de superação. O esporte o ajudou a controlar o nível de açúcar no sangue, algo crucial para quem tem diabetes.

Cerca de 463 milhões de pessoas no mundo, 9,3% dos adultos entre 20 e 79 anos, vivem com diabetes, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Além disso, 1,1 milhão de crianças e adolescentes com menos de 20 anos apresentam diabetes tipo 1. Nesse tipo de diabetes, a insulina não é liberada para o corpo, e a glicose fica no sangue, ao invés de ser usada como energia. O tratamento envolve insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas.

João Marcos, de 15 anos, foi diagnosticado com diabetes tipo 1 em abril do ano passado, quando teve de ser internado na UTI, com cetoacidose diabética. Nessa situação, o paciente tem níveis muito altos de açúcar (glicose) e cetonas no sangue. As cetonas são substâncias ácidas que desequilibram o Ph do sangue e podem levar ao coma e até à morte.

Depois do susto, a transformação. João Marcos começou a fazer o tratamento com aplicação de insulina duas vezes ao dia, e passou a ter uma alimentação com menos carboidratos e sem açúcar. Por orientação da endocrinologista, procurou uma atividade física e encontrou no triathlon um grande aliado.

“Ele já fazia exercícios, mas na Escolinha de Triathlon passou a praticar todos os dias, o que trouxe melhoras no diabetes. Antes, a glicose no sangue chegava a 500. Hoje, fica entre 100 e 200”, comemora a mãe, Michele Meira Pinto. “Melhorou tudo, inclusive a disposição para realizar tarefas simples, que ele não conseguia fazer.”

Controle durante o treino de triathlon

Um treino de triathlon pode ter uma longa duração e requer intensidade e resistência aeróbica. Isso exige um monitoramento constante do nível de glicose no sangue, que pode ser controlado com a aplicação de insulina ou consumo de carboidrato.

Devido ao isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, os treinos da Escolinha de Triathlon estão sendo realizados virtualmente, por meio de vídeos diários no Youtube e encontros ao vivo no Google Meet. As aulas têm priorizado exercícios funcionais e técnicas de corrida e ciclismo. Por isso, João Marcos não tem necessitado de cuidados maiores.

“Ele aplica uma dose de insulina pela manhã e outra durante o dia, para controlar a glicose. Se ele tiver algum sintoma, mede novamente a glicose. Mas tem se sentido muito bem após os exercícios,” conta Michele. “A atividade física é o melhor remédio.”

Com o retorno aos treinos presenciais, com sequências de natação, ciclismo e corrida, os cuidados terão de ser maiores. Mas João Marcos já está ansioso para fazer a sua primeira prova. “Adoro escutar meu professor de xadrez, que também é triatleta, falando das competições que ele já disputou”, conta o aluno, que, entre outras atividades, também joga xadrez e toca violino na Orquestra Projeto Vida e Arte e na banda do Colégio da Polícia Militar do Paraná. “Eu me apaixonei pelo triathlon, vou levar para a vida.”

Formando Campeões

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões, iniciada há cinco anos em Curitiba (PR), é hoje um modelo de formação da modalidade no País. Idealizado pelo atleta olímpico curitibano Juraci Moreira, contempla mais de 500 crianças e adolescentes em 11 núcleos espalhados pelo Paraná, São Paulo e Ceará.

O Paraná conta com sete núcleos, seis deles em espaços mantidos pela Prefeitura Municipal de Curitiba: Boqueirão, Centro, CIC, Cajuru, Boa Vista e Santa Felicidade, em espaços mantidos pela Prefeitura de Curitiba. Juntos, os seis núcleos atendem 240 alunos. As crianças contam com todos os equipamentos necessários e são treinadas por especialistas na modalidade.

A Escolinha de Triathlon Formando Campeões é viabilizada pela Lei de Incentivo ao Esporte, programa da Secretaria Especial do Esporte, Ministério da Cidadania e Governo Federal com a execução da Federação Paranaense de Triathlon, com apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba. A Volvo é a patrocinadora exclusiva do projeto nos núcleos da prefeitura.

centralrbn

Projeto de Tiago Correia torna obrigatório QR Code em todas as placas de obras públicas do Estado

Artigo anterior

Ministério da Educação anuncia investigação de fraudes no Fies

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Esportes