0

Na quinta edição da série Secti – Diálogos Virtuais, o encontro, que será transmitido através do canal do Youtube da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), nesta quinta-feira (10), às 10h30, será focado em debater sobre CTI e desenvolvimento em saúde. Para apresentar o tema e dialogar com a plateia sobre o assunto, a Secti convidou a mestre em economia e doutora em saúde coletiva, Erika Aragão e o mestre e doutor em ciência política, Carlos Gadelha.

De acordo com a secretária da Secti, Adélia Pinheiro, que faz a abertura e medição do evento, a série propõe temas variados, que estejam associados a ciência, tecnologia e inovação na interface com o contexto atual. “Debater sobre desenvolvimento em saúde é primordial para enfrentarmos os desafios que estamos vivendo atualmente, durante a pandemia de Covid-19. Além disso, a CTI torna-se uma ferramenta para potencializar os setores da saúde, em prol da melhoria e amplitude de atendimento médico e na busca pelas formas de democratizar o acesso a serviços de saúde”, declarou. 

Os convidados deste Diálogo são grandes especialistas no assunto. Carlos é doutor em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IE-UFRJ), coordenador das Ações de Prospecção da Presidência da Fiocruz e professor e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (DAPS/ENSP/FIOCRUZ). Possui vasta produção científica e é Líder do Grupo de Pesquisa Desenvolvimento, Complexo Econômico-industrial e Inovação em Saúde. Também foi vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz; secretário de Ciência e Tecnologia e Produtos Estratégicos do Ministério da Saúde e secretário de Desenvolvimento Industrial e Competitividade do Ministério do Desenvolvimento Industrial e Comércio Exterior. 

Erika possui graduação e mestrado em Economia e doutorado em saúde coletiva pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Realizou pós-doutorado na Universidade de Sussex, Inglaterra, e desde 2015 é professora adjunta do Instituto de Saúde Coletiva (ISC-Ufba) e pesquisadora colaboradora da Fundação Oswaldo Cruz, onde atuou na área de gestão científica e tecnológica, entre os anos de 2006 e 2015, na unidade da Bahia.

Integra o Programa Economia, Tecnologia e Inovação em Saúde do ISC-Ufba e o INCT de Inovação em doenças negligenciadas (Fiocruz-CDTS). Também coordena o Eixo de Estudos e Políticas em Ciência, Tecnologia e Inovação do Observatório de Análise Política em Saúde. Foi eleita presidente da Associação Brasileira de Economia da Saúde (Abres) para o biênio 2019-2020, tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia da Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação de programas; política de ciência; tecnologia e inovação em saúde; economia da tecnologia; e políticas de saúde. No contexto da pandemia de Covid-19, tem atuado em diversas frentes, entre as quais, como membro da comissão executiva da Rede Covida e na coordenação do eixo impactos socioeconômicos e desigualdade. 

As edições anteriores da série, com cerca de 2h de duração, que debateram sobre inteligência artificial, fake news, CTI e desenvolvimento econômico e redes sociais, internet e dados já estão disponíveis na íntegra no canal da Secti no Youtube. Além disso, para os espectadores que estiverem assistindo o evento ao vivo, serão disponibilizados certificados de participação, pois um link para emissão do documento é divulgado durante a edição, ficando disponível apenas até o final do debate.

Fonte: Ascom/ Secti

Pamela Simplício

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Brasil pega Tunísia no Mundial de Futebol de Areia Raiz

Artigo anterior

Uma em cada 10 pessoas de países pobres receberá vacina, diz relatório

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BA