Conecte-se conosco

BA

Secretaria da Educação participa da abertura da edição virtual da Festa Literária de Uauá que homenageia Jorge Portugal

Publicado

em

Secretaria da Educação participa da abertura da edição virtual da Festa Literária de Uauá que homenageia Jorge Portugal

O secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, participou da abertura da segunda edição da Festa Literária de Uauá (FLIU), nesta quinta-feira (21), junto aos músicos Roberto Mendes e Lazzo Matumbi. Realizada no canal do Youtube do evento, em função da pandemia do Coronavírus, a FLIU teve como destaque na sua primeira noite a mesa “Jorge Portugal do Brasil”, em homenagem ao professor, compositor e ex-secretário estadual de Cultura, falecido em agosto de 2020. O evento acontece até domingo (24), sob a curadoria do poeta, cantador e cordelista Maviael Melo, com mesas literárias protagonizadas por nomes locais e nacionais, como Xico Sá, Marcelino Freire, Bráulio Bessa e Elisa Lucinda. O evento, que foi contemplado pela Lei Aldir Blanc, tem como propósito provocar uma reflexão coletiva e propositiva sobre o atual momento mundial e como a arte interfere.

Em suas palavras iniciais, o secretário Jerônimo parabenizou os organizadores da FLIU pela vasta e rica programação desta festa literária de Uauá. “Quero parabenizar e agradecer, em nome de Maviael, curador desta segunda edição, por esta coragem e capacidade de produção, porque, acima de tudo, uma festa literária carrega muita arte e cultura, mas também muita oportunidade de a gente poder dialogar sobre cultura, arte, educação, geração de renda. Um abraço especial também à SECULT (Secretaria de Cultura do Estado) e à Fundação Pedro Calmon, em nome de Zulu, pela sua competência e parceria”.

O secretário lamentou o fato de, por conta das circunstâncias da pandemia, o encontro literário não deu para ser presencial, como na edição anterior. “Fico sentido, porque nas festas literárias que acompanhei em 2019 e 2020 a gente viu a presença de estudantes e professores. Mas não podemos baixar a guarda, porque sei que eles estão aqui participando, com entusiasmo. Quero também parabenizar, em nome do governador Rui Costa, a iniciativa de homenagear o grande poeta e professor, educador brasileiro Jorge Portugal, que nos está fazendo muita falta. A cultura tem que estar viva, animando a gente e, por isso, peço a todos os prefeitos e vereadores que possamos estabelecer o compromisso da parceria para a realização de outras festas literárias pela Bahia. Esta FLIU tem a marca da esperança com o começo da vacinação e logo, logo estaremos juntos presencialmente”, afirmou.

O presidente da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo, falou sobre a importância da Lei Aldir Blanc para a efetivação da II FLIU. “A Lei Aldir Blanc é fruto da articulação nacional dos produtores culturais, dos artistas, gestores e de todos aqueles que acreditam que a cultura é um elemento estratégico para o nosso desenvolvimento. Portanto, parabéns à equipe que possibilitou a realização desta festa. Quero também parabenizar a escolha do tema, que homenageia o nosso querido amigo, poeta, escritor, compositor, educador Jorge Portugal. Estamos aqui, hoje, seguindo a sua orientação de educar para transformar e as festas literárias servem para isso, pois são um mecanismo de educação por meio do livro, da leitura, da escrita, da literatura que possibilita a transformação. Quero também agradecer o secretário Jerônimo pelo fato de ser um educador que compreende a importância da articulação, da parceria entre a educação e a cultura, tendo compreendido que era possível realizar as festas literárias na Bahia ainda que em formato virtual”.

Os cantores e compositores Roberto Mendes e Lazzo, por sua vez, deram emocionados depoimentos sobre a presença de Jorge Portugal em suas vidas e pelo “pelo grande educador, músico e poeta que ele foi”, como destacou Maviael Melo.

Programação – A abertura contou, também, com exibição de vídeos da FLIU 2019 e shows de Roberto Mendes e Raimundo Sodré, parceiros de Jorge Portugal. Durante a II FLIU, que é coordenada por Lorena Ribeiro, serão abordados temas ligados ao processo literário durante a pandemia e como esse processo pode ser transformador na formação da sociedade. Na sexta (22), a programação começa às 9h30, com a apresentação do artista Nilton Freitas. Às 10h, é a vez da Galeota do São Francisco, para o público infantil, e, às 14h30, participa o poeta cearense Bráulio Bessa, com a palestra “Poesia com rapadura”. Ainda na sexta, às 16h, destaque para a mesa “Tempo, espaço e a literatura on-line”, com os escritores Xico Sá e Marcelino Freire. A última mesa, às 19h40, tem como tema “Lugar de fala – mulheres, palavras e pandemia, com Elisa Lucinda e Luna Vitrolira. A cantora Aiace encerra a programação do dia.

A mesa Encontro de Educação e Cordel – EDU Cordel dá início à programação de sábado (23), às 10h, com Antonio Barreto, Auritha Tabajara e Elton Magalhães. Às 14h30, acontecerá a mesa “Política e literaturas”, com Elika Takimoto e Cida Pedrosa, e, às 19h30, a mesa “Versos e vozes femininas, com Isabelly Moreira, Erika Pók e Clarissa Macedo. Outro destaque são os shows do grupo pernambucano Em Canto e Poesia e do cantador Flávio Leandro. No domingo (24) haverá o lançamento de livros com um bate-papo entre Maviael Melo e Emmanuel Mirdad, idealizador da Festa Literária de Cachoeira (FLICA), que vão falar sobre os livros “Oroboró Baobá” e “O espelho dos girassóis”. A programação terá, ainda, a apresentação da Editora Clae sobre a produção literária do Vale do São Francisco, com o poeta, editor e produtor juazeirense João Gilberto. O encerramento acontece com show de Xangai e João Omar.

Milena Leal

Link

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Propaganda PODCAST RBN

TENDÊNCIA