0

Foto: Divulgação

A Secretaria da Educação do Estado lançou, nesta quarta-feira (11), a chamada pública para a realização da 9ª edição da Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (Feciba), que ocorrerá de 23 a 26 de fevereiro de 2021, de forma virtual, devido à pandemia do novo coronavírus.

A cerimônia, transmitida ao vivo por meio do canal do YouTube Educação Bahia, teve a participação do subsecretário da Educação, Danilo Souza, e da secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, entre outros convidados.

A Feciba visa popularizar e incentivar a Ciência por meio de apresentações de projetos desenvolvidos por estudantes e professores da rede pública. A chamada pública está disponível neste link.

Podem participar estudantes regularmente matriculados até o 2º ano do Ensino Médio e até 3º ano da Educação Profissional e Tecnológica, além de professores, gestores e coordenadores pedagógicos da rede pública estadual de ensino da Bahia.

A adesão das escolas será realizada entre os dias 12 de novembro e 2 de dezembro, com as submissões dos projetos no período de 3 de dezembro a 8 de janeiro de 2021. O formulário de adesão encontra-se neste link. A relação dos aprovados será divulgada no dia 9 de fevereiro de 2021.

O subsecretário Danilo Souza, que representou o secretário Jerônimo Rodrigues na live, destacou a importância da Feciba. “Investir na Ciência desde cedo é muito importante para todos nós. Tem alguns municípios que realizam feiras científicas e trazem a Educação Infantil e o Ensino Fundamental para esta discussão e isso é muito importante. Vivemos na Bahia um momento muito forte de relação das unidades escolares, dos profissionais de educação e dos estudantes com a Ciência enquanto instrumento de construção do conhecimento”.

Iniciação científica

Para Adélia Pinheiro, promover a iniciação científica é fundamental. “Eu estive na 8ª Feciba e foi um grande prazer encontrar jovens profundamente imersos no valor do fazer científico, da instigação para conhecer profundamente os eventos e os problemas que se apresentam na busca se soluções. Isso permitiu que a gente conhecesse in loco as várias experiências de formação de educação científica, de produção de novos conhecimentos ou tecnologias. Por isso, a realização da Feciba é muito importante”.

A estudante Camile Eduarda Guimarães e o professor orientador Marcos Batista, do Colégio Estadual Professora Lia Publio de Castro, do distrito de Ibitira, em Rio do Antônio, explicaram as suas experiências com a Feciba. “Meu contato com todo esse universo da pesquisa científica me fez adquirir muita experiência e conhecimento”, afirmou Camile. Já o professor Marcos disse que “as feiras escolares, assim como a Feciba, são essenciais para o desenvolvimento dos estudantes, pois são apresentados projetos que eles mesmos constroem durante todo o processo”.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado

Luana Marinho

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro

Artigo anterior

Fiocruz: vacina contra covid-19 pode chegar a testes clínicos em 2021

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BA