0

Os profissionais de saúde da cidade do Rio de Janeiro com ao menos 60 anos que atuam nas redes pública ou privada poderão procurar 236 clínicas da família e centros municipais de saúde, a partir das 12h da próxima quarta-feira (27), para serem imunizados contra a covid-19. A vacinação desse grupo deve ocorrer até o dia 3 de fevereiro

Estão incluídos nessa lista enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares, bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados.

Para receber a vacina, esses profissionais deverão levar documentação e comprovante de seus conselhos de classe. A vacinação também continuará para os funcionários de urgência e emergência das unidades hospitalares envolvidos no atendimento à covid-19 e para os que realizam exames da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta o restante da população a não procurar postos de vacinação neste momento, já que a imunização permanece restrita a uma parte dos grupos prioritários, definida pelo Ministério da Saúde.

Na semana passada, a imunização começou pelos idosos e maiores de idade com deficiência que moram em abrigos de longa permanência, além dos profissionais que atuam nestes locais. Também começaram a ser vacinados com a primeira remessa de imunizantes os trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente contra a covid-19 e a população indígena que vive em aldeias.

A primeira semana de vacinação contou apenas com as primeiras 6 milhões de doses da CoronaVac produzidas no Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac. Nesta semana, começarão a ser aplicadas 2 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Oxford, importadas prontas da Índia, onde foram produzidas pelo Instituto Serum. Os dois imunizantes possuem autorização de uso emergencial na Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que atestou sua segurança e eficácia na prevenção da covid-19.

A cidade do Rio de Janeiro já aplicou cerca de 60 mil doses da CoronaVac, das 115 mil disponibilizadas inicialmente para uso. Como a vacina requer uma segunda dose a ser recebida em menos de um mês, foram reservadas outras 115 mil unidades para a aplicação dos que receberam a primeira dose.

No caso da vacina AstraZeneca/Oxford importada da Índia, as 76 mil doses já recebidas pela prefeitura serão aplicadas imediatamente, seguindo orientação do Programa Nacional de Imunizações e da Fundação Oswaldo Cruz. No caso dessa vacina, a dose de reforço só deve ser aplicada três meses após a primeira dose.

Vinícius Lisboa – Repórter da Agência Brasil

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Arrecadação federal cai 6,91% em 2020

Artigo anterior

Após consenso, Felipão antecipa saída do Cruzeiro

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Saúde