0

Expoente do samba carioca por excelência, o grupo Arruda celebra uma década e meia de existência com uma série de lançamentos projetados ainda para 2020. A primeira faixa revelada é “Falsa Liberdade”, single onde convidam a uma reflexão sobre o racismo estrutural na sociedade. A canção já está disponível para audição nas principais plataformas de streaming e também ganha um vídeo.

 

Ouça “Falsa Liberdade”: https://sl.onerpm.com/falsaliberdade

Assista ao vídeo: https://youtu.be/SVO047SjPm0

 

Originário da banca da Tia Zezé, na Mangueira, o Arruda soma apresentações pelos principais palcos da cidade do Rio de Janeiro, passagens por Bahia, Minas Gerais e São Paulo, clipes lançados, CD e DVD. Agora, o grupo se prepara para uma nova fase na carreira.

Em maio deste ano, o Arruda prestou homenagem à madrinha do samba, Beth Carvalho, e lançou “Andança”, primeiro sucesso da artista mangueirense. Com “Falsa Liberdade”, a banda começa a lançar faixas autorais.

A nova canção é um desabafo sobre a luta do negro na sociedade. Fala sobre o racismo, ora velado, ora escancarado, em versos como “Daqui debaixo eu enxergo o cativeiro/ Dizem que eu fui liberto/ Nunca me senti inteiro/ Minha vida é tão sofrida / Como um navio negreiro/ Minha vida é tão sofrida/ Como um navio negreiro”. O single antecede “Negritude”, outra faixa que segue abordando o tema do racismo, e um EP com 6 canções, entre inéditas e músicas que já são sucessos nas apresentações do grupo.

O Arruda é formado por sete integrantes. Sua batucada, uma das mais elogiadas do cenário do samba carioca, é composta por Gustavo Palmito (repique de mão e percussão geral), Fabão Araújo (surdo), Marcelinho (tan tan), Anderson Popó (percussão geral), Nego Josy (voz e pandeiro) e Armandinho do Cavaco (cavaquinho bandolim). Completa o time a cantora Maria Menezes. A artista é uma das maiores vozes da nova geração do samba, vencedora da Mostra de Novos Talentos Carioca da Gema e indicada ao 29° Prêmio da Música Brasileira com o Projeto ÉPreta.

 

O single “Falsa Liberdade” já está disponível nas principais plataformas digitais.

 

Ouça “Falsa Liberdade”: https://sl.onerpm.com/falsaliberdade

Assista ao vídeo: https://youtu.be/SVO047SjPm0

 

Crédito: Leo Queiroz

 

Ficha técnica

Composição: Nego Josy e Júnior de Oliveira

Arranjo e produção musical: Alessandro Cardoso

Técnico de gravação: Luciano King studio

Imagens: Léo Queiroz

 

Voz: Maria Menezes e Nego Josy

Surdo: Fabão

Tantan: Marcelinho

Pandeiro: Nego Josy

Repique de anel e cuica: Luiz Henrique

Xequerê, balde e tamborim: Popó

Efeitos, congas e agogô: Gustavo Palmito

Violão 6 cordas: Vítor Budoia

Violão 7: Saramago

Cavaco: Alessandro Cardoso

Cavaco: Armandinho

Sopros: Rogério Siri

 

Letra:

 

Daqui debaixo eu enxergo o cativeiro

Dizem que eu fui liberto

Nunca me senti inteiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

 

Daqui debaixo eu enxergo o cativeiro

Dizem que eu fui liberto

Nunca me senti inteiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

 

Sinto a dor do meu povo que luta

E não perde a esperança dessa vida aprumar

Lavrada a sentença, mas nada compensa

Um açoite velado, essa falsa liberdade

 

Têm negros morrendo demais

Mentem dizendo direitos iguais

Ai da gente se não correr atrás

Muito mais que você

Que insiste em dizer nos entender

Seu preconceito covarde é maldade

Lutamos em desvantagem pelo direito de viver

 

Daqui debaixo eu enxergo o cativeiro

Dizem que eu fui liberto

Nunca me senti inteiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

Minha vida é tão sofrida

Como um navio negreiro

 

Sinto a dor do meu povo que luta

E não perde a esperança dessa vida aprumar

Lavrada a sentença, mas nada compensa

Um açoite velado, essa falsa liberdade

 

Têm negros morrendo demais

Mentem dizendo direitos iguais

Ai da gente se não correr atrás

Muito mais que você

Que insiste em dizer nos entender

Seu preconceito covarde é maldade

Lutamos em desvantagem pelo direito de viver

 

Composição: Junior Oliveira / Nego Josy

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Márcio Ribeiro Reis e Edimara Celi realizaram encontro em Padre Miguel e Bangu.

Artigo anterior

Bracell lança campanha de combate a incêndios florestais na Bahia

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Clip