0

Foto: Divulgação/Secti

Infraestrutura e novas oportunidades de negócios para o interior do estado. O projeto Espaço Colaborar, desenvolvido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), está ajudando a Bahia a construir a maior rede pública de centros voltados para o setor do empreendedorismo e inovação do Brasil.

A primeira fase da iniciativa, que contempla 24 municípios baianos, prevê a implantação de ambientes de coworking disponíveis para toda a população, potencializando o ecossistema de inovação, composto por pesquisadores, empreendedores, donos de micro e pequenos negócios, onde eles podem realizar reuniões de trabalho, encontros profissionais, entrevistas, treinamentos, palestras, entre outros.

O projeto marca a requalificação dos antigos Centros Digitais de Cidadania (CDC), que foram reutilizados para a implantação do Espaço Colaborar. A unidade de Caetité, no alto sertão da Bahia, foi entregue em agosto de 2020 e está equipada com ferramentas de trabalho como computadores, mesas, cadeiras e televisão.

Para o coordenador Sergio Alves, o projeto tem incentivado a inovação ao levar tecnologia a lugares de difícil acesso. “É um benefício para a população, principalmente os mais jovens que desenvolvem pesquisas e projetos; aqui em Caetité estamos recebendo uma resposta muito positiva daqueles que fazem uso do local e acreditamos que isso será benéfico para o futuro da cidade e dos novos empreendedores”, explicou.

Também já foram entregues unidades em Irecê, Cruz Almas, Alagoinhas e Itaparica. A expectativa é que a de Santo Antônio de Jesus seja a próxima a ser inaugurada. Ainda nessa primeira etapa também serão contempladas as cidades de Porto Seguro, Feira de Santana, Ilhéus, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Lauro de Freitas, Madre de Deus, Paulo Afonso, Seabra, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista. Na segunda fase do projeto, outros 17 municípios entrarão nessa lista.

À medida que são implantados, os espaços devem manter uma rede de conexão para trocar experiências entre si, como explica a secretária da Secti, Adélia Pinheiro. “É importante que possam trocar experiências empreendedoras existentes em outros lugares, trocar as ações de instituições que produzem ciência e tecnologia presentes em outros lugares. Dessa forma, é possível integrar e articular todos os entes que fazem parte do ecossistema de inovação, como sociedade civil, setores produtivos, poder público”.

Espaços dinamizadores

O Espaço Colaborar faz parte de uma ação da Secti, em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que oferece à população locais de coworking, pesquisa e desenvolvimento de projetos. Além do Colaborar, outros equipamentos estão previstos no projeto, como, por exemplo, os espaços Fazer, Inovar e Fortalecer.

O superintendente de Inovação da Secti, Agnaldo Freire, destaca a construção de parcerias para o crescimento e potencialização do projeto. “O Colaborar faz parte do conjunto que chamamos de espaços dinamizadores do ecossistema de empreendedorismo e inovação que a Secti vem planejando implementar. As ações planejadas para esses espaços têm o objetivo de fomentar a cultura empreendedora no município para que ele se desenvolva, parceiros como o Sebrae, Senai, universidades ou quaisquer prestadores de serviço serão bem-vindos”.

Repórter: Tácio Santos

Luana Marinho

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

MEC discute novas formas de avaliar ensino superior

Artigo anterior

Turismo na Bahia cresce 48% entre julho e agosto

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BA