0

Os serviços de abastecimento de água e esgoto de Maceió, capital de Alagoas, foram concedidos hoje (30) por R$ 2 bilhões. O valor foi oferecido pela empresa BRK ambiental, vencedora do leilão realizado na B3, na capital paulista. O valor mínimo estipulado para a concessão, válida por 35 anos, era de R$ 15,1 milhões.

O contrato determina que devem ser feitos investimentos de R$ 2,5 bilhões ao longo do período de validade da concessão, sendo que R$ 2 bilhões desse total devem ser gastos nos primeiros oito anos de administração. Assim, o abastecimento na região deverá ser universalizado em seis anos e a rede de esgoto deverá atender 90% da população em até 16 anos.

Atualmente, entre os 1,5 milhão de pessoas que serão atendidas pelo contrato, apenas 27% têm coleta de esgoto. A captação e tratamento de água seguem sob responsabilidade da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal).

O leilão é o primeiro a conceder esse tipo de serviços desde a aprovação, em julho, do Marco Legal do Saneamento Básico. A lei, que prevê a universalização dos serviços de água e esgoto até 2033, facilitou a participação de investidores privados no setor.

A empresa

A BRK ambiental é formada por uma sociedade entre a companhia canadense Brookfield, que atua nos ramos imobiliário e de infraestrutura, e o Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS). A Brookfield tem 70% das ações da BRK e o FGTS os 30% restantes.

A BRK tem investimentos em na área de saneamento e abastecimento em 100 municípios brasileiros em 12 estados, atendendo cerca de 15 milhões de pessoas.

Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Falta de acordo cancela sessão do Congresso

Artigo anterior

Reino unido doa R$ 4 bilhões para vacinas contra a covid-19

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Economia