0

No ano de 2020, com todas as consequências da pandemia da Covid-19, as palavras de ordem para a cultura foram reinvenção e adaptação. Mesmo com inúmeros desafios e limitações impostas pelo isolamento social, a Orquestra Sinfônica da Bahia realizou uma Temporada 2020 completamente digital, com lives com apresentações de músicos solistas, didáticas, bate-papos, debates sobre música e cinema, concertos em vídeo, além da Academia Virtual de Música, um desejo antigo da Osba que virou realidade de maneira online, com mais de 80 alunos de todo o Brasil. Como uma memória deste ano de experimentações e inovações em seu modo de fazer música, a Osba lança um documento com relato de suas ações em 2020, “Música de Concerto em Tempos de Pandemia”, que pode ser acessado publicamente através do link: http://bit.ly/OSBA2020doc

Reinvenção ao fazer música

Para Fabiana Pimentel, diretora executiva da Osba, as organizações artísticas já enfrentam inúmeros desafios normalmente, mas 2020 foi ainda mais difícil e para as orquestras, “os desafios foram tremendos pela impossibilidade de fazer música ao vivo e presencialmente.  Contudo, nunca ficou tão claro o papel fundamental das artes para uma sociedade. Sua capacidade de promover saúde emocional e de conectar as pessoas” , destaca Fabiana.  Carlos Prazeres, diretor artístico e regente titular,  afirma que a Osba é uma orquestra de vanguarda,  que há algum tempo inova em suas práticas ( de concertos e conteúdos em geral)  e que por isso mesmo teve uma  maior facilidade de se adaptar ao ambiente digital, embora reconheça que não tenha sido uma tarefa fácil. “Todas as novas experimentações dentro do campo do audiovisual, inclusive se unindo a outras linguagens artísticas, como a poesia e a dança, foram bastante desafiadoras, mas farão parte do legado da Osba , de inovação”, conclui o maestro. 

Adaptações e novos protocolos

Já a coordenadora de produção da Osba, Raquel Rosa, fala de algumas das adaptações que sua equipe precisou fazer para a realização de uma Temporada 2020 totalmente virtual “O audiovisual traz uma sequência de novos processos, especialmente na parte de pós-produção, que é muito mais longa do que a de um concerto presencial e engloba muitas etapas”, diz a produtora, que ainda conclui ressaltando as mudanças realizadas para garantir a segurança da equipe e dos músicos nas gravações “Na parte técnica, repensamos toda a montagem da orquestra para as gravações presenciais, criando um novo mapa de palco, com distanciamento e uso de proteção para os instrumentos de sopro, além da higienização constante das cadeiras e estantes”, diz. No que tange os meios de comunicação digital como as mídias sociais online, Aline Valadares, assessora de comunicação da Osba, diz como a rotina de trabalho foi alterada e como a recepção à programação virtual foi bem recebida já que a orquestra já tinha uma forte presença nas redes sociais. “O entendimento da comunicação da Osba sobre novos modos de produzir foi sendo construído enquanto tínhamos que nos manter ativos de alguma maneira. A nossa equipe respondeu rapidamente não apenas por toda a produção de conteúdo ter se voltado ao ambiente digital, que já recebia uma atenção especial dentro do nosso planejamento de comunicação, mas também por nossa característica enquanto instituição de estarmos sempre dispostos a experimentar e preparados para adaptar”, explica  Aline Valadares.

Entre os destaques da programação da Osba neste ano, estão os concertos do projeto Osba em Casa #Virtual, em que pequenas formações da orquestra interpretaram obras expressivas de compositores nacionais, como Carlos Gomes, Alberto Nepomuceno e os baianos Domingos Mussurunga e Paulo Costa Lima; o São João Sinfônico virtual, que contou com as participações de nomes como Gilberto Gil, Geraldo Azevedo, Mariana Aydar, Marcelo Caldi, Edu Krieger e João Cavalcanti; o Osbacuri, projeto de imersão musical infantil que trouxe vídeos em parceria com o grupo Canela Fina; e o OsBATALÁ, concerto que celebrou o Dia da Consciência Negra, com destaque à música do candomblé em parceria com o Terreiro do Gantois.

Outra produção importante de 2020 foi a parceria com o Balé Teatro Castro Alves (BTCA), para o projeto Voltando aos Palcos, do Teatro Castro Alves, que resultou na realização de seis espetáculos, unindo a dança e a música em transmissões ao vivo através do YouTube do TCA e da TVE. Ainda neste ano, a Osba e o BTCA se reencontram em uma nova colaboração para o concerto de fim de ano  “Abraço no Tempo”, realizado pelo teatro, marcando o encerramento da temporada da Osba com um programa que traz Beethoven como protagonista, já que em 2020 estamos celebrando os 250 de anos de nascimento do compositor alemão. Os vídeos da orquestra podem ser vistos no seu canal no YouTube (www.youtube.com/OSBAOrquestraSinfonicadaBahia). Já os espetáculos com o BTCA estão no canal do TCA (www.youtube.com/teatrocastroalvesoficial). 

Explorando o ambiente virtual

A presença ativa nas mídias sociais sempre foi uma marca da Osba, que muito além da divulgação da programação, sempre apostou na produção de conteúdos para aproximar a música de concerto de novos públicos. A criatividade dos músicos e equipe técnica proporcionou, ainda em março, que sucesso de público, CineConcerto da Osba, fosse realizado mesmo que em uma versão caseira, onde os músicos se fantasiaram em casa e produziram vídeos tocando trechos de trilhas sonoras clássicas do cinema. O CineConcerto em Casa foi um sucesso, com mais de 107.075 visualizações entre Instagram, Facebook e YouTube. Através do Instagram (@orquestrasinfonicadabahia), foram realizadas pela orquestra 24 lives didáticas sobre os instrumentos de orquestra, apresentando os instrumentos e contextualizando as obras e apresentações individuais, destacando a capacidade solista dos músicos. Também foram realizadas lives com a versão online do projeto Viagens Sinfônicas, que consiste em uma escuta guiada de música de concerto comandada pelo regente-titular da Osba, Carlos Prazeres. Ao longo de todo ano, foram realizadas lives do Osba Talks, bate-papo com convidados sobre diversos temas ligados à música. Já no YouTube, que passou a ser o “palco digital” da Sinfônica da Bahia, os primeiros vídeos OSBAmix trouxeram gravações caseiras dos músicos (mixadas posteriormente), com convidados da música sinfônica, como Cármelo de Los Santos (violino), Cristian Budu (piano) e Fernando Cordella (cravo) e da música popular, com nomes como Carlinhos Brown e Moreno Veloso. O São João Sinfônico, que foi ao ar na noite de São João, em 23/06, atingiu um público expressivo de todo Brasil e teve mais de 37.000 visualizações. Já os vídeos do projeto OSBACURI, em homenagem ao Dia das Crianças, tiveram mais de 1.800 visualizações.

Osba em casa virtual

Setembro, mês em que a OSBA completou 38 anos de existência, foi marcado com o retorno da orquestra ao palco da sala principal do TCA, ainda sem público, para gravar vídeos-concerto com pequenas formações de câmara, dando destaque a compositores nacionais, como o paulista Carlos Gomes, o cearense Alberto Nepomuceno, e os baianos Domingos Mussurunga e Paulo Costa Lima. Ainda no OSBA em Casa #Virtual, foi realizado o concerto OsBATALÁ, que uniu a música sinfônica à do candomblé com a participação do grupo percussivo Rum Alagbê, projeto social do Terreiro Mãe Menininha do Gantois, junto também dos cantores Márcia Short e Lazzo Matumbi. O último concerto do projeto em 2020 foi em homenagem aos 250 de nascimento de Beethoven, lançado no dia do aniversário do compositor, 17/12. Os vídeos do Osba em Casa #Virtual somaram mais de 10.000 visualizações e podem ser vistos no canal da OSBA no YouTube ( www.youtube.com/OSBAOrquestraSinfonicadaBahia )

Academia virtual de música

O ambiente virtual também possibilitou que OSBA contribuísse com a formação de novos músicos de orquestra e entre  14 de setembro e 20 de novembro a OSBA realizou as aulas da sua primeira academia virtual de música, que teve 84 alunos  em de 15 estados brasileiros para 14 modalidades de instrumento, em uma carga horária de 10h.  Um dos destaques do edital de seleção da academia foi a  valorização da diversidade étnica, social e de gênero, que destinou 40% das vagas à promoção da inclusão. Destas, metade foram reservadas a mulheres e metade  reservadas a pessoas autodeclaradas negras (pretas e pardas) ou indígenas e que estejam em situação de vulnerabilidade econômica. Como atividade de conclusão de curso os alunos gravaram de suas casas, sob orientação dos professores da Academia, um vídeo-concerto com trechos da obra “Maracatu de Chico Rei”, do compositor brasileiro Francisco Mignone, que será veiculado nas redes sociais da Osba em janeiro de 2021.  Ainda, como forma de incentivar os alunos a seguirem seus seus estudos musicais rumo a profissionalização,  será oferecida uma premiação em dinheiro no valor de R$ 2.500,00 para 6 alunos com os melhores desempenhos. Com esse recurso, os alunos poderão fazer alguma manutenção em seus instrumentos, cobrir os custos de aulas, pagar o deslocamento para festivais, entre outras atividades necessárias para os estudantes de música.

DOCUMENTO DAS AÇÕES DA OSBA NA TEMPORADA 2020MÚSICA DE CONCERTO EM TEMPOS DE PANDEMIA – LEIA EM: http://bit.ly/OSBA2020doc

Pamela Simplício

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Donos de veículos não vão pagar Seguro DPVAT em 2021

Artigo anterior

Covid-19 faz impostômetro ter queda pela primeira vez desde 2005

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em BA