0

Ato a ser realizado hoje (1º), às 14h, na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro, vai lembrar o Dia Mundial de Luta contra a Aids, instituído em 1988 pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

 O Grupo pela Vidda-RJ, que organiza o movimento, fará a distribuição de máscaras de proteção individual para a população de rua e prestará orientações sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), HIV/Aids e covid-19, além de realizar testagem rápida de HIV com fluido oral e distribuição de autoteste do HIV.

O coordenador-geral do Grupo, Márcio Villard, destaca que é preciso enfrentar a estigmatização das pessoas que vivem com o HIV, para garantir que tenham acesso à saúde e à cidadania.

“Que não tenhamos mais o estigma e discriminação, que não haja sentença de morte, e, sim, sentença de vida, que é o que acreditamos para todos, não só hoje, mas todos os dias”, afirma.

O Brasil enfrenta a epidemia de Aids há 40 anos e, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde, 920 mil pessoas vivem com HIV no país. O ministério estima que 89% desses casos foram diagnosticados e 77% deles já estão em tratamento com antirretrovirais. Entre os que estão em tratamento com esses medicamentos, 94% já não transmitem mais o HIV, por terem carga viral indetectável.

“Que hoje, mesmo durante a pandemia, a gente se lembre e lute contra essa epidemia que ainda é tão cara e contra a qual precisamos lutar todos os dias”, disse Villard.
 

Vinícius Lisboa – Repórter da Agência Brasil

Link

Redação
Leia no Portal RBN como mais notícias do Brasil e do mundo sobre: ​​Entretenimento, Esportes, Vida, Jogos, Cultura e muito mais! https://portalrbn.com.br

Centro Educacional em Firmino Alves doa frutas e hortaliças cultivadas em projeto agroecológico para a comunidade local

Artigo anterior

IPC-S tem alta de 0,94% e vai para 4,06% no ano

Próximo artigo

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Saúde