Take a fresh look at your lifestyle.

MP do DF aciona Justiça para derrubar jogo em que ‘Bolsomito’ agride LGBTs, feministas e ‘exército vermelho’

0 796

O Ministério Público do Distrito Federal ajuizou uma ação civil, nesta terça-feira (4), pedindo que a Justiça tire de circulação o jogo “Bolsomito 2K18”. No game, o jogador assume o papel do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e atira para matar um “exército vermelho” – mulheres, negros, LGBTs e militantes de esquerda, entre outros personagens.

“Seu objetivo principal é acabar com os líderes do temido exército vermelho, responsável por alienar e doutrinar grande parte da nação, para que defendam e lutem por suas causas terríveis”, diz um texto explicativo do jogo.

Na ação, o MP pede que a Valve Corporation, responsável pela plataforma de games Steam, suspenda imediatamente a oferta do jogo e forneça os dados da cadastrais da produtora BS Studios, que assina a criação do produto.

O jogo começou a ser vendido em 5 de outubro, logo após o primeiro turno da eleição. Desde então, o MP tentou derrubar o anúncio por vias administrativas, sem sucesso. O Ministério Público Federal ajuizou ação semelhante, mas o processo foi rejeitado pela Justiça Federal.

A Valve e o Steam não têm representação no Brasil.

O processo

A ação é assinada pelo promotor Frederico Meinberg, da Unidade Especial de Proteção de Dados e Inteligência Artificial (Espec) do MP, e deve ser analisada por uma Vara Cível do DF.

Segundo ele, o Steam está sujeito ao Marco Civil da Internet como um “provedor de aplicação de internet”, por funcionar no Brasil e ter página traduzida para o português brasileiro.

No pedido, Meinberg cita “violação ao direito de personalidade do presidente eleito”, “dano moral reflexo ou em ricochete aos cidadãos brasileiros” e “violação ao direitor de personalidade de mulheres, LGBTs, negros, integrantes de movimentos sociais e parlamentares”.

Para o promotor, o jogo”expõe o país, de forma negativa, no cenário internacional, ao fomentar a imagem de que o Presidente eleito é racista, homofóbico e misógino”.

“O jogo viola direito da personalidade de mulheres, LGBTs, negros, integrantes de movimentos sociais, parlamentares federais e estaduais, além de fomentar o ódio em relação às minorias”, diz outro trecho da ação pública.

O jogo

Nesta quarta (5), o jogo aparecia à venda na Steam por R$ 10, com opções de idioma em português, inglês e espanhol. Segundo a própria página da plataforma, 88% das 233 análises publicadas tinham viés positivo.

“Derrote os males do comunismo nesse game politicamente incorreto, e seja o herói que vai livrar uma nação da miséria. Esteja preparado para enfrentar os mais diferentes tipos de inimigos que pretendem instaurar uma ditadura ideológica criminosa no país. Muita porrada e boas risadas”, diz o texto do anúncio.

Os desenvolvedores avisam que o jogo pode conter “conteúdo não apropriado para todas as idades ou para visualização no trabalho”, e pedem que o comprador confirme ter mais de 18 anos. As etiquetas de material sensível incluem “nudez ou conteúdo sexual” e “violência frequente ou detalhada”.

 

Fonte: G1

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.